Virgindade tardia

Recebo muitos e-mails de virgens que já passaram (às vezes, muito) dos vinte anos. A maioria tem a mesma dúvida: como dizer para o parceiro que aquela é a sua primeira relação sexual? Aliás, o questionamento começa antes ainda. É necessário contar?

Minha experiência no assunto é nula. Transei cedo, aos 15 anos, como já contei aqui. Até pouco tempo atrás eu tinha um certo preconceito com quem demorava demais a transar. Achava que havia algo de errado, como se a pessoa tivesse uma espécie de bloqueio. Em muitos casos, isso é verdade. Em outros, a pessoa acreditou no mito do “a primeira vez tem de ser com alguém especial”; esperou, esperou, e esse tal ser jamais chegou. Também há os mega tímidos, ou ainda os que tinham problemas de autoestima, com muita vergonha do corpo. O tempo passou e agora alguns desses virgens ficaram envergonhados pela falta de experiência.

Não é uma crise boba. A gente vive a nossa sexualidade de maneira muito tortuosa. Se você dá muito, você é puta; se nunca deu, é bobalhão. Se for homem, então, é frouxo. Por conta disso, poucos são os que confessam nunca terem ido pra cama com alguém. Com os emails que recebo, porém, vejo que isso é muito mais comum do que se imagina.

A primeira coisa que deve ser analisada é: qual a idade ideal para transar pela primeira vez? Eu transei com o primeiro namorado, aos 15, e foi tudo bem (quero dizer, doeu pra caralho). Fiz porque quis, sem ceder a pressões. Usamos camisinha, eu não esperei pedidos de casamento e nem achei que iria “prender” ele com sexo. Mas quantos jovens transam sem maturidade para isso e engravidam na adolescência? Como quase tudo no sexo, não acredito em regras para isso. Já recebi emails de leitoras dizendo “perdi a virgindade tarde, aos 19 anos”. Tarde? Acho realmente necessário deixarmos de lado essa coisa de “passou dos 20 e não transou, perdeu a hora”. Conheço vários homens que tiveram a primeira – e única – relação aos 16-17 (idade em que parece ser aceitável transar para não ser chamado de bobão), e só transaram de novo aos 20, 20 e poucos. Nem preciso dizer que aquela foda da adolescência foi um mero pau-dentro-da-buceta, né?

Mas se você acha que a idade é realmente assim tão importante e está morrendo de vergonha de ainda ser virgem, vamos à segunda questão: devo falar? Eu falaria. No caso das mulheres, é provável que ele perceba. Não pelo sangramento, que não acontece em todas as vezes e pode ocorrer depois que você já está em casa. Mas é que provavelmente vai doer, e o rapaz precisa ter um pouco mais de cuidado que o normal. Talvez você nem consiga ir até o final de primeira. Claro que você pode fingir, mas é isso que você quer?

Quanto aos rapazes, não há nada tão óbvio que nos faça notar que vocês nunca fizeram aquilo. Talvez exista um mal jeito em colocar a camisinha, mas certamente você não terá o ritmo normal de sexo, seja gozando muito rápido, seja no simples movimento dos quadris. Ela não vai conseguir cravar: “virgem”, mas talvez ela imagine que você é MUITO ruim de cama. E, a julgar pelas reações ao meu leitor de 25 que era virgem, mencionado em outro post, muitas mulheres adorariam ser a primeira de alguém.

Então você decidiu contar, e fica imaginando em que situação seria melhor fazer isso. Mais uma vez, não há regra. Que tipo de relação você tem com a pessoa com quem vai transar? Acho desnecessário ser um grande amor, aquele tal ser especial. Mas é preciso ter uma relação bacana, de companheirismo, porque provavelmente vai ser preciso um pouco de paciência para te “ensinar” algumas coisas. Assim, não devia ser difícil você simplesmente falar. Talvez a pessoa se surpreenda, mas se for bacana vai te tratar com todo carinho.

Tem gente que despiroca por aí e transa a primeira vez com completos desconhecidos, só para se livrar do “fardo”. Conheço casos em que isso deu muito certo. Mas se não é a sua, eu enxergo a sinceridade como a melhor saída. Sempre.

***

Uma leitora colocou o seguinte comentário aqui no blog neste fim de semana:

Oi Leticia, sempre leio seu blog e sobre o post do vaginismo eu ficava horrorizada com as experiências das garotas. Eu era – sou? – virgem. Nesse final de semana tentei com um amigo pela primeira vez. Várias vezes. Doeu demais, sangrou demais, e não consegui uma penetração completa. Isso é normal da primeira vez ou você acha que eu tenho algum problema? Eu etava bem relaxada, mas agora sei que na próxima vez vou ficar receosa, com medo dessa dor terrível. Responda por favor! Obrigada.

Eu mesma digo sobre a minha primeira vez que não sei em que dia aconteceu. Doeu tanto, mas tanto, que eu não pude precisar se o pau estava dentro ou fora. Nas vezes seguintes também doeu uma enormidade. Sinceramente? Depois a dor passa. Se não passar, procure ajuda médica.

Compartilhar

287 pensamentos em “Virgindade tardia

  1. Realmente a primeira vez é bastante dolorosa para a mulher, ou pelo menos para a maioria delas. Por isso, é muito importante encontrar um parceiro que tenha bastante paciência. Parabéns pelo post, Letícia. Achei bastante esclarecedor e identifiquei bastante a minha história nele. Eu também vivi, claro que na minha imaginação, a pressão de transar antes dos 20. E sinceramente, hoje, eu considero uma bobagem muito grande ficar pensando na idade certa para se perder a virgindidade. Não existe uma idade certa, isso é lenda, mas como eu disse, o importante é você ter um parceiro que te entenda e te respeite.

    • Eu tenho 22 anos e nunca transei e n foi por falta de oportunidade. Já fiquei com vários caras, fiz oral e recebi e no ultimo fds fui p um motel com um cara. Não me sinto confortável em fazer sexo por fazer, mas tbm n recrimino quem faça. Consigo fazer essas brincadeirinhas e tal sem culpa, mas demorou mt ate eu abrir a mente. Mas sexo mesmo acho q so vou conseguir fazer namorando, mas n namoro há 4 anos. Os caras querem fazer sexo primeiro p ver como e q e e como eu n faço tbm n namoro. é foda.

  2. Olá Xará,

    Bem interessante o post.
    Normalmente leio teu blog, mas não comento.
    Mas me identifiquei. Acho que isso acontece muito.
    Perdi a minha virgindade com 19 anos, e já estava na faculdade. Como a maioria das meninas, esperaca a ‘pessoa certa’. Ai conheci um formando do meu curso que me convenceu que nenhuma pessoa é certa. Não foi nada do que que eu planejava para o momento, doeu, mas foi bacana. E eu não contei a ele que era virgem. Claro, que na hora ele viu (e ficou apavorado, pq ele não esperava). Mas considero que foi uma experiência bacana, sobretudo porque aprendi muito com o cara, e com a situação.
    Parabéns pelo blog. Sou sua fã!

  3. Não acredito nisso de esperar pra transar porque o principe chegará num cavalo branco e levará a donzela, perdi minha virgindade aos 17 anos pelo simples fato de achar que estava num momento e namorando um cara legal ( pelo menos até aquele momento eu achava que ele era), e penso que é isso que vale, você estar bem consigo. Quanto a pessoa certa, isso não existe, o meu namorado da época se mostrou um idiota no momento em que estavamos transando e ele ficou me comparando com a ex, mas só não me arrependi porque nao esperei o principe e transei com o sapo..rs

    Um bjo LÊ

  4. é engraçado… eu tive uma sexualidade muito forte (ou não reprimida, talvez) desde muito bebê. sim, bebê. me lembro de masturbar encostada na grade do berço, com uns 2 anos. a falta de tempo de minha mãe cuidar de mim talvez tenha feito tbem com que eu não tenha engolido os preconceitos dela, que eram muitos. aí cresci e sempre me masturbei mesmo sendo virgem. qdo aconteceu, foi tão natural que nem lembro direito. sei que não doeu, não sangrou nem nada. e eu não contei. não porque eu queria esconder algo de alguém, mas é porque aconteceu sem muitas expectativas e sem muita importância. eu já conhecia bem meu corpo, já sabia reconhecer o que era prazer pra mim. sei que ficava muita gente dizendo que tinha que ser com um namorado que eu amasse e tal. mas nem foi. era um cara que gostava de ouvir as mesmas coisas que eu e ria comigo das mesmas besteiras. era um ficante/amigo. sexo pra mim nunca foi bicho de 7 cabeças. já os relacionamentos… sempre acho que não consigo namorar. mas, sei lá, talvez as pessoas devessem ler mais, conversar mais com seus ginecologistas, seus médicos. sério, médicos são ótimas fontes de conhecimento com menos preconceitos. com meu ginecologista, converso até sobre os caras com quem fico, se tô gostando, se não tô… desmistificar sexo pode ajudar, sei lá. mas eu procuraria sempre mais informação e ajuda de profissionais.

  5. Na minha primeira vez eu tinha 20 anos. Estava com meu namorado. Beijo vai, beijo vem ele me levou pro quarto. Não contei pra ele que era a minha primeira vez pq achei que ele ía perder a espontaneidade.
    Se doeu? Não lembro! Tento forçar a memória e não consigo lembrar. Então, imagino que não deve ter sido uma dor insuportável. Só lembro que foi difícil ultrapassar o hímem e sangrou um pouco.
    Depois, descobri que ele também era virgem e não tinha me falado.
    Se fosse hoje, talvez eu tivesse contado. Afinal, só se perde a virgindade uma vez.

    • Rs, puxa Mari..li você e achei que era eu escrevendo…Tb aconteceu o mesmo comigo, namorado da faculdade, não falei nada..e ele tb não. Os dois virgens…E tb não lembro de nada, a não ser que as outras vezes foram melhores. Ah, e eu perdi duas vezes a virgindade ( rss…maneira de dizer..) porque depois fiz pela primeira vez com uma mulher…e ela tb não sabia que era a minha primeira vez…

      • Cris, o pior é que eu achava que ele tinha experiência e ele achava que eu tinha. Daí, na hora da camisinha ele me entregou o pacotinho. Ops, e agora?! Lógico que já conhecia das aulas de Biologia e por curiosidades mesmo. E lembrei na hora de uma propaganda de uma revista feminina da importância da camisinha, e dava umas dicas de como deixar a coisa interessante. Coloquei a camisinha com a boca. Imagine se ele nunca me esqueceu!!! ;)

  6. Oiii Letícia!
    Adoro seus posts… o blog tem ensinado muita coisa legal. Parabéns! Perdi a minha virgindade com um colega de escola aos 18 anos, era tudo muito novo pra mim, confesso que tinha mais curiosidade do que vontade, doeu e sangrou e mesmo assim fui até o final (não sei como aguentei…rs), contei que era virgem e ele foi extremanente carinhoso e paciente. Hj vejo que ele não é o melhor cara que transei mas foi muito especial. bjo!

  7. eu considero que minha pela primeira vez foi aos 17, só que com uma menina. acho meio besta desconsiderar pq tem gente que acha mesmo que lésbica não transa. apenas pq nao tem uma penetração (nessa sociedade falocêntrica de merda, sexo só se tiver um pau no meio). mas ainda quero transar com um homem. e tbm idealizo esse cara, mas não no sentido romântico da coisa. quero um homem que me dê tesão. já fiquei com vários, mas nunca cheguei ao ponto de querer arrancar as calças, sabe? medo de doer eu nem tenho, até pq deve doer só nas primeiras cinco ou dez vezes. depois fica uma maravilha :)

    • Luana, eu gostaria muito de conseguir falar com alguma propriedade sobre relacionamentos homossexuais. Infelizmente conheço pouco; nem amiga lésbica eu tenho. Tenho vários amigos homens homo, mas meninas, não.

      • ah, letícia, vida sexual de lésbica é difícil, viu? kkk. acho que a sociedade ainda vê o relacionamento entre meninas ligado somente ao romance, algo totalmente sentimental (sem falar na suposta fantasia que todos os homens deveriam ter, que é só pra isso que sapatão serve, né?). aí, ou não tem sexo nunca, ou é algo sem graça (pq é “só” oral e masturbação). conheci algumas garotas (lésbicas mesmo) que acham isso e que não consideram a primeira vez tendo sido com uma menina. poxa, não é só romper o hímen. mesmo que tenha feito oral e anal a pessoa ainda poderia se dizer virgem?! ah, não concordo. as pessoas não reparam nos detalhes, que é o mais importante: as palavras, os beijos, os abraços, a pressão dos corpos. essas coisas que nos levam a querer transar, seja lá com quem for.
        fico meio irritada com essas coisas. enfim, acho que você sabe dessas questões e o que não conhece vai aprendendo aos pouquinhos. normal, né?

        • Olá, Letícia!
          Já acompanho seu blog a algum tempo, mas nunca comentei… Parabéns pela iniciativa! Muito bacana!
          Sou mestranda em antropologia social e faço uma pesquisa sobre sexualidade e juventude… Minha idéia é problematizar a relação entre as performances de gênero e sexuais feitas pelos jovens (de 17 a 23 anos) em locais de sociabilidade e o uso de categorias de identidade sexual… Como se dá essa articulação? É a minha pergunta…
          Bom, sobre a sexualidade homossexual feminina, realmente há poucos trabalhos, mas acho que seria bacana (caso vc tenha interesse) dar uma olhada no trabalho da Regina Facchini, ela é uma pesquisadora da UNICAMP que fez o doutorado sobre sexualidade lésbica… É MUITO bacana! Porque além da parte teórica tem um trabalho de campo muito bom!

  8. Eu, sei lá porque (devo ter cara de confiável), já ouvi um zilhão de histórias de primeira vez. Isso, antes da minha irmã e da Rosane escreverem um livro sobre o assunto http://www.casadapalavra.com.br/livros/index.php?codigo=268

    tenho várias amigas que “se livraram do fardo”. Uma foi mais radical e se livrou no médico: cirúrgico. O que é meio diferente, mas não deixa de ser uma opção: sua primeira vez “de verdade” não terá a dor etc. e você poderá então se concentrar no que interessa.
    Tenho um montão de primos e de amigos que me contaram da sua primeira vez (tava falando disso ontem): muitas foram traumáticas, cedo demais, com prostitutas desatenciosas (porque com atenciosas pode até ser bacana); e os homens, tadinhos, carregam aquele outro fardo: tem que subir, tem que ficar duro, tem que manter… eu tenho é pena deles… nosso caso é mais simples, acho. Mesmo que não seja muito fácil, pelos tempos que correm, se confessar virgem com mais de 20. Lembro de linda história da minha tia-avó Nitinha, que perdeu a virgindade perto (talvez depois) dos 30: chorou na noite de núpcias, de medo. E meu tio-avô Dadu (viva ele) teve a pachorra de esperar e de ir aos poucos, aos pouquinhos, até que ela estivesse pronta. Você devia ver a alegria com a qual ela me contou isso… =) (Renata, 16, no ano novo com alguém para quem também era a 1a vez)

    • Me fez lembrar a história da minha vó que casou virgem e voltou da lua de mel virgem também!!! Isso pq ela e meu avô namoraram a distância durante 4 anos praticamente (ele era militar) e “mal” se conheciam no dia do casamento. Passaram a lua de mel conversando e se conhecendo melhor, pra só depois, já em casa, rolar!

      • Eu sei que em caso de hímens imperfurados ou espessos há a indicação cirúrgia para permitir a saída da mentruação e facilitar o aot sexual, respectivamente.
        Há, também, um “movimento” (bem, não seria exatamente a palavra certa) de garotas a favor de nunca romper o hímen. Elas usam uma técnica na qual, através do dedo ou algo apropriado, “alargam” progressivamente, a abertura do hímen até que ela não seja mais visível.

        • Isso serve principalmente pra quem tem vaginismo, ou simplesmente pra menina que está com medo, perder a virgindade não precisa ser dolorido, se uma menina usar um dilatador, que vai reduzindo o hímen aos poucos não dói, não sangra, não acontece nada, na hora com o cara é só o bem bom….Descobri cedo o meu vaginismo, minha médica me passou os dilatadores, perdi minha virgindade com 21, mas tranquila e relaxada pq sabia que não ia doer e nem sangrar…

          • mas como não dói, se até o dedo dói? esses alargadores são vendidos onde? é caro? e essa cirurgia, o plano de saúde cobre? qualquer ginecologista faz?

            eu morro de medo de sentir dor e me sinto ridícula sendo virgem aos 24 anos.

            antes dos 18 eu não queria, tava na escola, não tinha a menor vontade, era muito insegura por ser gordinha, n queria correr riscos (medo da camisinha rasgar, escorregar e tal) e n queria ser tachada de puta como todas as meninas q faziam sexo (meu colégio tinha essa mentalidade ridícula).

            na faculdade, eu queria ter feito com algum namoradinho sem grandes compromissos, só pra poder curtir mesmo.
            comecei a sair com um cara q era legal, mas tb era virgem. então ele n me pressionava, a gente ficava “só” no oral e na masturbação. e eu adorava, né? pq n doía. quando a gente tentava o dedo, doía muito e eu desistia. mas me sentia muito bem comida com oq eu tinha.
            aí o casinho acabou por causa da distância (ele era de outra cidade) e outros desentendimentos, e a gente acabou não fazendo.

            se no ambiente escolar todo mundo se sente meio adolescente, agora q eu to formada e ficando mais velha, isso tá se tornando constrangedor. pq todo mundo q quer ficar com alguém, já está com alguém, namorando, noivando, casando, tendo filhos. às vezes eu acho q só vou conseguir achar alguém qd essas pessoas começarem a se divorciar, entre 30 e 40 anos.

            eu não tenho pressa de transar só pra ser penetrada. deve ser legal ter um orgasmo vaginal, mas sei q a maioria das mulheres n tem. quero q essa experiência seja legal pra mim, quero ter prazer em ficar tentando com um cara q queira me proporcionar isso. eu me masturbo, sei gozar sozinha, n é uma necessidade física, é mais por ter com quem trocar aquele momento de intimidade. talvez eu ainda idealize o sexo com amor, sei lá. não sei como me livrar desse sentimento.

            n querer fazer com qualquer um n quer dizer q eu esteja esperando “charming prince”. basta n ser muito machista (claro q atitudes sexistas quase todos eles têm, mas se ele for babaca n vai rolar). é o tipo de limite q eu sempre tive, mesmo antes de descobrir, lá no blog da lola, q sempre fui feminista.

            até pq o cara babaca vai ter nojinho de tudo, vai ficar me avaliando com base no q ele idealiza pra uma mulher, e eu quero um cara tranquilo com isso. q me foda e me chupe numa boa, q n ligue se eu sou gorda e só depilo até a virilha. eu sou limpinha mas nunca vou ter o cu rosado e depilado e o corpo de uma ginasta e to meio cansada de me sentir feia por isso e ter medo de rejeição. e aí eu fico achando q nunca vou conseguir ter esse tipo de transa sem stress se n for em um relacionamento.

            mesmo q eu só queira uma simples transa, me pego usando filtros pra escolher um parceiro, critérios pra um relacionamento. n sei ainda separar as coisas, talvez por ter pouca experiência.

            pq pra uma transa n deveria importar se o cara é uma porta, desde q te dê tesão. acho q eu consigo me imaginar com um gostosão burro na cama, só.
            mas pra ter um namorinho ou casinho, eu já me imagino com um cara comum, bem menos atraente, mas culto o suficiente pra q a gente consiga conversar.

            eu tenho tentado mudar esse sentimento, principalmente depois q li no alex castro sobre como preconceito linguístico é bobagem (e parei pra observar q a maioria das pessoas q escreve mal é mesmo tapada, mas algumas delas realmente não são. e é melhor ser tapado do q ter um posicionamento firme em algo errado, tipo ser eleitor de bolsonaro haha). então, da mesma forma q meu conceito de beleza está bem mais amplo, eu to começando a achar q é ok um carinha n me estimular intelectualmente… mas é puxado, viu?

            enfim, a verdade é q n adianta eu querer isso e aquilo se eu nunca mais conheci nenhum cara interessante e interessado. onde eu vou conhecer gente agora q parei de estudar? acho super válido quem vai pra buatchy e naquele mar de trogloditas consegue conversar com alguém. ou então nem conversa e transa, pela necessidade física apenas. mas eu não sei se quero isso pra mim.

            vejo q vc sempre fala em como é bom estar aí transando, por transar, pq é legal e faz bem pro humor, mas eu tenho tentado ser feliz sem isso, sozinha, com amigos. e qd for pra ter esse tipo de intimidade, q seja em um relacionamento mesmo. mas meu medo é q eu demore tanto a encontrar alguém legal q acabe morrendo virgem q nem minha tia-avó.

            (juro, gente! ela teve um noivo na juventude, ele morreu cedo e ela nunca mais conheceu outro homem, ficou solteirona e velha virgem. n q ela quisesse, acho q foi total falta de oportunidade mesmo. bem, eram outros tempos, anos 40/50).

  9. Assim como você, Letícia, perdi a virgindade aos 15 anos com o meu primeiro namorado. Eu estava tão a fim, mas tão a fim que não senti dor alguma. Meu namorado, inclusive, duvidou da minha “virgindade”, pois a única manifestação que tive foi de absoluto prazer. Lógico que não gozei nesse dia, afinal, ao mesmo tempo que queria imensamente, sentia um misto de medo e vergonha. O mais engraçado é que depois disse para ele: você não tem nenhuma obrigação comigo só pq “tirou” minha virgindade!

    Apesar disso, o namoro durou 11 anos!

    Beijos, adoro o blog e curto a vibe dos 100 homens. Certamente eu já passei dessa métrica, mas foi ao longo de 3 anos! Enjoy!

  10. A minha primeira vez foi com 16 anos, com um namoradinho de 17 anos, primeira vez dele também. Foi horrível, senti dor. Foi pau na buceta cfe. a Letícia falou no post. Me arrependi, deveria ter esperado mais.Até hoje não gosto de lembrar e nem falar no assunto.

  11. Excelente post Letícia. Eu faço parte da turma que já passou dos 20 e ainda não transou (tenho 23). O meu problema é que sou muito tímida e insegura e, além disso, sempre morei (até uns meses atrás) em uma cidade pequena e muito conservadora, então nunca me arrisquei em sair com alguém por sexo por medo do que podiam falar, sabe como é. Só que por outro lado eu sou bastante sexual, penso muito em sexo e teve um tempo que eu achei que isso não fosse normal para uma menina, já que não notava isso nas minhas amigas. O fato é que hoje em dia eu faria sexo casual, pois não sou conservadora, muito menos romântica, mas a timidez é que complica tudo..

    Beijos

  12. Eu perdi a virgindade tarde. Na verdade sempre achei que fosse casar virgem e viver o grande conto de fadas… Claro q isso nao aconteceu, e depois de ter uma grande decepcao com um namorado eu resolvi q o tempo tinha chegado (tb nao queria chegar aos 30 virgem… rs).
    Foi com um casinho, ele nao sabia q eu era virgem, mas sabia q eu nao tinha experiencia. Nos estavamos ficando ha um mes e eu queria q fosse com ele. Foi ok, nao doeu nem sangrou. Pra mim foi meio q: isso q eh sexo??? ahahahaha
    Na verdade demorou um pouco para eu ter um orgasmo durante sexo. Nos continuamos juntos e como o povo diz: practice makes perfect :)

      • Putz, também pensei a mesma coisa! Com um adicional: olhei pro namorado e perguntei: “agora não sou mais virgem?”hahaha
        Eu já tinha 20 anos, era meu segundo namorado (o primeiro era babaca demais, eu sabia que não iria me tratar bem. Tanto é que ele terminou comigo pq eu não transei com ele.), e nisso já faz 3 anos que estamos juntos.

        • Ah, e eu não senti dor nenhuma, nem muito prazer. Foi gostoso, mas eu lembro mais do carinho e talz, do que do prazer em si. Já depois de algum tempo foram outros 500… ahahaha

    • haha Pensei isso também! “Isso é sexo? É disso que as pessoas sentem falta?? Nunca vou sentir falta disso!” hahaa Ledo engano. Eu tinha 18 e tava começando a namorar. Foi bem tranquilo e foi com o cara certo. Namoramos uns anos, mas o fim do namoro não foi legal. Lá pela 4ª vez que transamos aí, sim comecei a sentir prazer realmente. A dor parou e tudo o mais. Não considero que eu tava nervosa, nem nada. Eu queria, não tinha problemas de conversar isso com a família e gostava dele mesmo. Acho que o bom é isso. Não esperar o príncipe, mas ir com alguém bacana, que tu confie e que te respeite. Eu falaria, até para o outro ter mais cuidado e tal. E sim, hoje entendo como é possível sentir falta de sexo. E de como ele é bom! =)

      • kkkk, ri demais com esses últimos comentários. Minhas 5 primeiras vezes eu vivia em conflitos: Isso é q é sexo? Nunca vai parar de doer? Lembro que o peso dele em cima de mim me sufocava, era um bom namorado, sempre muito gentil e paciente comigo. Mas perdi a paciência e quando troquei de parceiro, não sei se foi pq perdi a vergonha, ou pq comecei a sentir falta, n sei, pra mim foi uma loucura, ele até me achava experiente, kkk. E hoje, 10 anos e 20 parceiros depois, sinto que sempre tenho algo a aprender, algo a experimentar, amo sexo e não me arrependo de nadinha que fiz até hj.

  13. Ai eu tbm pirei e fui com o primeiro q apareceu, so p me livrar do fardo. Vc imagina, eu 15 anos virgem, nem sequer ter beijado na boca? Nao via a hora de me desvirgininar, eu me sentia muito mal com a situação.
    Não façam o mesmo que eu, pois eu arrumei um idiota dessa maneira.

    “mas talvez ela imagine que você é MUITO ruim de cama. ” kkkkkkkkkkkk eu tbm imagino se um ex meu era virgem, pq ele era MUITO ruim de ruim; acredito que ele teve poucas relações, a julgar a “ruindade”

  14. Acho que serei uma das poucas que não sentiu dor e nem sangrou na primeira vez, tinha 16/17 anos, foi com o namorado da época que depois descobri ter me traído diversas vezes.
    Esse lance de esperar pelo cara certo é confuso, até porque o cara que é certo hoje, pode não ser amanhã… e daí você pode ter deixado de fazer algo bacana.

    Bom Lê, posso fazer uma perguntinha básica? Já fez strip-tease pra alguém? Nunca fiz, morro de vergonha e não sou muito fã do meu corpo (magrela demais!), mas quero fazer pro namorado… Agora a questão é: como me livro da vergonha? haha

    Beijos e espero que possa me ajudar. Boa semana.

    • Vanessa, eu nunca fiz pq não tenho vontade e ia me sentir um pouco ridícula fazendo caras e bocas. Seu namorado já não conhece seu corpo e já não sente tesão por você? Então deixa de bobeira.
      :D

        • Vanessa,
          sempre achei strip o máximo, mesmo quando ainda era virgem. Um dia fiz para o meu namorado, morta de vergonha, muito mais ou menos, ri à beça, e ele A-DO-ROU!! Ficou num estado de felicidade tão grande… Aí perguntei se ele gostaria que eu repetisse, ele disse que sim e até hoje sou meio desajeitada, mas ele elogia dizendo que melhorou muito (está querendo ser bonzinho??)rs. Eu também acho que melhorei na “performance”, e pra isso acho que é importante você se achar ali na hora a mulher mais gostosa e desejável do mundo.
          Ah, eu também morro de vontade de fazer um curso, só que o meu problema é a falta de tempo ($$$)…

        • Nada como um espartilho e uma cinta liga filha. Não há mulher que não fique sensual, a dança vc nem vai conseguir terminar, eles enlouquecem. Um pouquinho de álcool tb ajuda.

          • Eu fiz sem álcool mesmo, até porque não bebo, e nas primeiras vezes foi com lingerie bonitinha, sim, mas não com espartilho, e deu certo…
            Quanto à falta de jeito, acredite, eu sou a PIOR de todas.

    • Oi Vanessa!
      Lendo seu comentário, me lembrei de uma situação constrangedora pela qual passei com meu namorido (9 anos juntos)!
      Um dia fomos a um motel bacaninha, e eu tinha preparado uma surpresinha pra ele: como ele curte mulher de jaleco, eu pus o meu, e por baixo uma lingerie preta bem sexy. Aí pus uma música e comecei um strip-tease pra ele, achando que ele ia adorar! Mas, imagine minha surpresa: ele ficou super desconfortável, e ficou me puxando pra cama, dizendo que “não era voyeur”. Menina, fiquei morrendo de vergonha.. e nem preciso dizer que naquela noite não rolou mais nada, né? hehe E strip-tease NUNCA MAIS!! hahaha
      Então, se vc aceita um conselho: dê uma sondada no namorado antes; pergunte o que ele acha. Assim vc se poupa de pagar um micão sexual como eu, hahaha!
      Beijo, e boa sorte! :D

      • Amelie, olha, eu já sondei o namorado, ele gostaria.. mas sabendo que sou desajeitada como sou, ele disse que sófaço se tiver vontade, pra agradar ele não precisa… no final ficaremos sem roupa mesmo, não é? rs

        beijo.

        • Comigo ocorre o seguinte:
          Meu namorado já me pediu várias vezes e tenho vergonha de passar um mico, pois acho q o clima deve estar bom pra rolar um streap legal, com música adequada, ambiente e tudo mais.
          Já ele, várias vezes iniciou pra mim, mas sinceramente o querido não leva jeito, aí corto ele no meio o puxando como o namorado da Amelie fez, mas mesmo assim ele não se toca que é constrangedor

          • qd meu ex tentava ser sexy era constrangedor, parecia q ele estava tento um derrame ou um surto autista, n era nada sexy e cortava o clima ahahaha

            mas se ele já disse q quer q vc faça e vc tb tá a fim, vá em frente :)

    • Oi Vanessa!

      Eu fiz pro ex-namorado. Apesar de ser bem ruinzinho, ele adorou! haha E sou bem desajeitada tb. Mas desde o início levei a coisa mais pra diversão do que pra algo muito sério/sexy… Acho que foi isso que deu certo.

    • Permita-me que opine, quem sabe o que vou dizer, não te ajuda? Acho, que um homem com o mínimo de sensibilidade adoraria receber um presente desses; falo do striptease e também falo por mim. Outro detalhe: você fala que é magra, isso ajuda nos movimentos.Vá em frente!!

  15. A minha primeira vez foi com 18 e não me arrependo. Estava namorando, apaixonada, ele também era virgem e tinha 19.
    Até hoje fico me perguntando como consegui driblar o tabu que era o sexo pra mim. Venho de uma família católica praticante; minha mãe sempre tentou colocar na minha cabeça que sexo só depois do casamento, e que se eu fizesse antes, ficaria mal falada. E que se não casasse com o primeiro homem da minha vida, o futuro marido jogaria na minha cara que não casei virgem. Agora fala sério, ainda existe homem assim em pleno século XXI? Pelo menos esse medo deixou de existir assim que passei a me conhecer melhor e ver o mundo de outra forma, onde a dignidade feminina não é medida pelo hímen que já se foi, mas sim pelo papel que a mulher exerce no meio onde está inserida.

  16. Eu nunca fui muito fã de contos de fada e sou cínica desde muito cedo, então sempre tive em mente que a minha 1ª vez seria normal. Não ia esperar o príncipe encantado no cavalo branco, nem nada.

    Então, estava eu com 16 anos ficando com um carinha que eu gostava muito e deu (uiii) vontade. Foi na situação mais não-romântica possível e imaginável, mas foi no dia que eu quis e na hora que eu quis. Sem expectativas, sem pressão, sem drama. E foi.

    Foi o que? Pois é, foi. Não doeu, não sangrou, foi incômodo no começo, mas deu até pra tentar umas 3 posições diferentes. Foi normal. Nada estupendo, mas não foi ruim. Ele foi super legal, gentil, carinhoso. Sem traumas.

    Só que eu não entendia pq tinha sido assim se com as minhas amigas tinha sido o maior auê! Anos mais tarde, nós nos esbarramos por aí e eis que eu descobri o porquê. Trágico gente, ele tinha pau fino…. (pausa para gargalhadas). Bom para minha 1ª vez porque não tive maiores problemas, mas pésssiiiimmmooooooo para esse reencontro. A outra vantagem é que eu ainda tinha uma certa quedinha por ele, e aí curou-se!!

    Mas concordo com a Letty. Hoje em dia acho besteira essa história de ter uma idade pra fazer alguma coisa. O importante é fazer porque quer, não por pressão e com alguém que você goste e te respeite!

    • Mariana, comigo foi a mesma história: o cara não era meu namorado, eu tinha 16 anos e resolvi que era naquela hora. Foi durante o carnaval, na casa que ele tava ficando, quando todo mundo já tinha ido pra rua – lugar mais nada a ver impossível.
      Tipo, foi normal… Depois só conseguia pensar que não era mais virgem…
      A única diferença é que ele não tinha o pau fino – muito pelo contrário, era muuuuuito grosso… Acho que por isso que sangrou um pouco, mas dor eu quase nem senti… Lembro da sensação até hoje, como se tivesse sido ontem, e olha que já foi há 11 anos!
      Abçs

  17. Oiii Leticia!!
    tudo bem?
    Quando tive minha primeira relação sexual eu tinha 14 anos, e vivia naquela fase da rebeldia, e simplesmente acontece por acontecer e também acredita que esse negocio de “pessoa certa” era babozeira, e foi com um cara que eu ficava… a primeira vez senti uma dor imensa, e nada de tesão…e esse nada de tesão aconteceu todas as vezes, e eu comecei achar que isso era normal e que eu nunca ia senti aquele prazer que as pessoas falavam e isso durou um bom tempo… hoje eu namoro ha 2 anos e descobri que existe sim, esse negocio de “pessoa certa” e me arrependo de não ter perdido minha virgindade com ele, hoje ele me faz sentir todas as vezes aquele prazer maravilhoso…

  18. Não acredito em regras no que diz respeito a sexo. Cada um é cada um e deve se respeitar.
    Pra mim a 1ª vez não teve nada demais, não lembro a cara e nem o nome do indivíduo. Estava de férias na praia, na casa da família de uma amiga, e resolvi que não queria mais ser virgem. Tinha 14 anos. Não foi traumático, nem especial, nem doeu. Mas isso serviu pra mim, e o que serve pra mim não é o que serve para os outros – e nisso cada um deve buscar o que serve para si.
    Se eu fosse virgem, diria para o cara sim. Fingir pra que? Também preferiria que o cara me contasse caso ele fosse virgem (melhor pensar que ele é inexperiente do que ruim de cama né). Rapazes, contem que são virgens caso o sejam!

  19. Minha primiera vez foi tranquila. Doeu bastante e sangrou. Mas incrivelmente eu gozei, não foi o melhor orgasmo da minha vida, mas foi bem legalzinho, deu pra sentir prazer e rolou o orgasmo de final (só com penetração) pq eu tava com muita vontade. Eu tinha 17 anos e tava bem decidida a transar. Não foi nada traumatizante.
    Ah, continuou a doer nas primeiras vezes…Acho que por mais tesão que se esteja uma dorzinha é normal.
    É isso aí meninas, não é nada de mais, nem nada de menos. Se eu fosse dar um conselho pra quem está nessa situação diria: pensa que todo mundo passou por isso e que a expectativa pode ser muito pior que a realidade. Vcs vão ver como na prática o negócio é mais simples.

  20. Eu transei a primeira vez aos 16, ja namorava a uns 8 meses e eu resolvi, na verdade foi eu que resolvi, tive vontade, falei com ele e pronto, na primeira tentativa doeu pra caralhoooo, eu estava nervosa, a situação não estava ajudando e minha sogra na epoca estava para chegar, então não rolou, ja no outro dia fui mais preparada e na hora foi relax demais, não doeu, não sangrou e eu também não gozei rsrs, demorei a descobrir o que era. Eu nunca pensei em esperar o principe ou uma idade maior, eu sempre me dei a oportunidade de fazer as coisas quando queria e quando quero, a virgindade para mim nunca foi tabu ou algo que me deixasse encucada, na verdade vim encucar depois de velha rsrs, com coisas relacionadas ao corpo, depois que tive minha filha, meu corpo mudou e a gravidade fez um efeito gigante, ai sim descobri que o importante é realmente a auto estima, mulher com auto estima boa não se importa com peso, pelos, estrias, celulite ou peito caido, o negocio é estar satisfeita com o que se é e trasmitir isso ao parceiro, eu pelo menos me acho muito melhor agora do que aos 16.

    Beijos

  21. Oi Letícia,
    adorei o post. Tive a minha primeira vez a pouco tempo, aos 22 anos. Esperava, com dizem, aquela “pessoa certa” , mas acabou que conheci uma pessoa ( que não era exatamente a pessoa que eu esperava para perder a minha virgindade ), nós ficamos algumas vezes e acabou rolando. Eu não precisei dizer para ele que era virgem, ele percebeu antes que eu falasse algo. Ele foi atencioso e paciente. Mesmo assim senti muita dor, mas muita dor mesmo. Acredito que tenha sido porque eu estava nervosa demais. Mas tirando isso foi bom.
    Bjs e parabéns pelo blog !

  22. Já acompanho o blog há um tempinho, mas é a primeira vez que comento, justamente porque o assunto de hoje tem haver comigo. Tenho 22 anos e sou virgem, devido à timidez e também por muito tempo ter acreditado na história da “pessoa certa” (crença que venho questionando bastante ultimamente).
    A reação das outras pessoas quando ficam sabendo varia, vai desde quem “admira”, como se ser virgem fosse algum mérito (para mulheres, é claro). Até pessoas que me consideram bobinha, infantil por esse fato. Mas as pessoas que realmente me ajudam e compreendem são as que acreditam que cada um tem seu tempo, seu momento, seu ritmo, como foi dito no post, não há idade certa para isso ou aquilo.
    Entendo que, no meu caso, há até vantagens em não ter iniciado a vida sexual anteriormente. Vejo que agora tenho mais maturidade e criticidade do que quando era adolescente. Porém ainda me sinto insegura, afinal numa sociedade tão sexualizada como a nossa, parece, muitas vezes, que sexo é uma obrigação, e não um prazer. Quando for ter minha primeira vez, quero que a pessoa que esteja comigo (seja um desconhecido, amigo, ficante, namorado) saiba que sou virgem. E se não souber lidar com isso, bem, será um sinal de que talvez não deva ser alguém indicado para se viver essa experiência junto.
    Letícia, agradeço muito por você ter coragem de criar e manter o blog. É um oásis no meio do deserto de tanta ignorância que existe por aí. Penso que é possível aprender com as experiências de outras pessoas, óbvio que não é a mesma coisa que viver as próprias experiências, mas não deixa de ser um aprendizado.

    Bjos!!

    • Oi Gabi!

      Você disse uma coisa muito bacana, que talvez tenhamos que refletir melhor: se antes ser virgem era “obrigação” para a mulher, agora não ser virgem e ter orgasmos espetáculares em todas as transas é que virou “obrigação”. Fico pensando se isso não seria um efeito perverso da chamada liberação sexual feminina, que ao mesmo tempo em que nos libertou de vários grilhões, nos amarra em outros.
      Fiz uma pesquisa com estudantes de uma escola pública da cidade de São Paulo, e o que eu vi eram inúmeras meninas que tinham uma performance altamente sexualizada na frente dos colegas, mas que quando vinham conversar comigo estavam cheias de dúvidas, eram virgens (e morriam de medo que alguém descobrisse), não conheciam o próprio corpo ( muitas vezes tinham nojo dele), enfim… Cheias de paranóias…
      Acho que esse é um tema importante para a gente problematizar!
      beijos

      • Oi Ane,

        Pois é, talvez a liberação sexual feminina não seja assim tão “liberação”. Acho que mais que simplesmente fazer sexo, liberação seria ter autonomia sobre a própria sexualidade e corpo. Algumas mulheres conseguem, mas muitas acabam refém desses novos grilhões. Como essas meninas que você citou, conheço garotas e mulheres adultas que são assim. A pressão é grande, como já disse no comentário anterior, para que vc exiba uma imagem que talvez não corresponda às suas vontades e sentimentos.

        bjos!!

  23. Minha tentativa de primeira vez foi muita engraçada… Eu tinha 16 anos e namorava já fazia 3 meses, então fomos para a casa dele e apesar dele não ser mais virgem, simplesmente não conseguiu, broxou! Rsrsr… Acho que ficou nervoso, sei lá… Mas no dia eu não fiquei decepcionada, dei graças a Deus! Não que eu estivesse com medo, acho que não estava preparada, apesar de querer muito…
    Depois de umas 2 semanas, tentamos novamente… Aí o bapho aconteceu! Não senti dor e foi muito bom… Não é lorota! Foi muito bom mesmo…
    Acho que a “broxada” inicial deixou a gente mais descontraído para a segunda tentativa… Eu costumo brincar, já sou acostumada com broxadas desde a minha primeira vez. Rsrs

  24. Eu tive dificuldade para perder a virgindade. Resolvi perder no início da faculdade, pouco depois que comecei a ficar com um cara que me pareceu a “pessoa certa” (meu namorado, hoje). As primeiras tentativas não deram certo. Ele ficou nervoso quando soube que eu era virgem. E eu sentia muita dor e ele não conseguia me penetrar, como se eu fosse fechada. Só em outra oportunidade conseguimos, eu por cima, bem aos poucos, suportando uma das maiores dores que já senti na vida. Depois que entrou, tudo ótimo; por muito tempo ainda senti um pouco de dor no início de cada transa, e nas primeiras vezes sangrei bastante, mas passou. E pelo que aconteceu com amigas minhas me parece que esses casos de não conseguir de primeira não são tão incomuns. Eu jamais teria conseguido fingir que não era virgem.

  25. A minha 1ª vez não foi legal e nem a minha vida sexual com essa pessoa que namorei por uns 8 anos foi legal. Hoje percebo que escolhi a pessoa errada, pois ele não me dava o prazer que eu merecia. Acho sim que a 1ª vez tem que ser com uma pessoa legal para ser lembrada. Bjs Lê!

  26. A minha primeira vez foi a pouquíssimo tempo atrás… As duas primeiras vezes doeram e eu não consegui ir até o final. Fiquei dolorida…
    Já a terceira doeu quase nada e sangrei razoavelmente. Depois, parou de doer e em algumas até gozei! =]
    Acho que essa história de pessoa certa existe… sei lá, não de que a pessoa certa tem que ser a que você vai casar, amar e etc.. mas tem que ser uma pessoa que você confia pelo menos um pouquinho, uma pessoa bacana, pq se vc quiser parar, ela tem que ser compreensiva e parar, se estiver doendo, ela tem que ter paciência e ir com calma…
    Eu perdi a minha tarde também, tenho 20 anos. Eu tava ficando com um cara, as nossas pegadas tavam esquentando esquentando, eu decidi que não queria adiar mais, ele era bem legal. Mas também ficava na dúvida de qual é a melhor hora para falar. Eu adiei ao máximo… a gente tava pelado já, faltava só por a camisinha, aí eu falei bem baixinho no ouvido dele: “sou virgem”. Achei uma boa hora para falar… Tipo, ele já tava tão turn on que dúvido que fosse perder o tesão por isso… e se eu falasse antes, como era só ficada, eu fiquei com medo de ele se apavorar e não querer mais nada…
    Ele ficou calado e disse que não estava surpreso (depois, ele me confessou que ficou bem surpreso sim). Mas deu tudo certo… eu já tinha vibradores e tals, só que nunca tinha conseguido brincar muito com eles porque não entrava sem doer… Lembro da minha felicidade quando o meu vibrador entrou inteiro rsrsrsrsrs mas já estou fugindo total do assunto rsrsrss….
    beijos

    • acho q há uma diferença importante, pessoa certa existe, não existe pessoa perfeita.
      Há pessoas (nunca, jamais é apenas uma) cheias de imperfeições, de defeitos, mas q são ideiais, certas, por assim dizer, pra cada um de nós.

  27. OI LÊ, eu eridi minha virgindade com 14 anos e foi com primo meu, fiz mesmo por curiosidade e por vontade, e gostei… não senti esta dor imensa de que todos falam.
    No caso dos homens, creio que não seja necessário falar um antigo namorado meu perdeu a virgindade comigo e foi super bacana, eu mesma não notei nada de diferente, apenas soube porque ele me contou depois. Já meu marido também perdeu a virgindade comigo aos 19 anos, achei bacana pois eu já sabia, então eu consegui levar a situação numa boa e ensinar ele a fazer do jeito que eu gosto, ameeiiiii….

    bjus.

  28. Essa Questão é bem Complicada,ainda mais para mim no auge da minha Adolescência(17 aninhos) Sou virgem e não tenho vergonha disso ao contrario de umas amigas minhas,não espero o príncipe encantado como outras,só não Tive o Local certo digamos assim rs já fiz Oral e masturbei uma vez um Rapaz com quem eu saia mas como estávamos no Carro dele eu não levei Adiante,pois não me sinto a vontade(parece que tem alguém olhando mesmo com Insulfilme) Tenho amigas que cederam pela pressão e agora estão estão tendo que lidar com a fase Mamãe. Sim só esse ano QUATRO amigas minhas ganharam filhos! O que na minha Opinião mostra o despreparo para o Inicio da Vida Sexual,ou a Irresponsabilidade Mesmo. Me considero uma menina “Cabeça” e não dou um paço maior do que possa dar.E como eu acho que esse não é o momento,Esse não é O Momento! Quando tiver que ser vai ser sem Rodeios,sem pressão apenas por Desejo.

    Bjs Léticia.

  29. A minha primeira vez doeu, mas não foi essa dor horrorosa não. Eu tinha 15 anos e tinha um namorado, que já era há dois anos meu amigo e também virgem. Doeu na primeira, na segunda e depois passou, mas não foi nada de insuportável…

  30. A ver pela quantidade de comentários, é algo que realmente preocupa as pessoas…
    minha experiência neste sentido é que tb perdi minha virgindade cedo, com 15 anos, com um menino da mesma idade mas com alguma experiência, nem éramos amigos, apenas conhecidos, mas por vontade própria de ambos, no entanto, com um quê de rebeldia para romper com os ditames da virgem santa ou da vagaba que dá pra todo mundo.
    é isso. Acho que quem ainda é virgem depois da idade “padrão” não deve se punir psicologicamente. A pessoa com quem vc pretende perdê-la deve compreender esta condição e respeitá-la, caso contrário, não é merecedor e existe tanta gente pra fazer sexo neste mundo que vc não precisa de prender a alguém que não te entende!
    adoro o blog!!!

  31. Fiquei um pouco preocupada com o final do post!
    Quando eu perdi a virgindade eu não senti dor, mas ultimamente eu e meu namorado passamos muito tempo juntos e fazemos, em média, bastante sexo. Acontece que, de 5 dias por semana, nos 2 ou 3 últimos eu sinto bastante dor. Será que é normal?

    • Sabrine, considere trocar de camisinha (vocês usam?).

      Se não for o caso (ou se não resolver), procure o médico. Vc pode estar com candidíase, por exemplo (fácil de tratar). Também pode ser infecção urinária.

      Se cuide!

      • Usamos, já trocamos algumas vezes e a melhor é a olla large mesmo. Menos pior, na verdade. Quando não usamos (eu tomo remédio) é bem melhor.
        Tive esse problema há um tempo, pode ser q tenha voltado. Vou marcar médico ;)

        Obrigada!

        • também existe a possibilidade de vc ter alergia ao latex… to fazendo um trabalho pra faculdade sobre isso e eh incrivel como tem gente q tem alergia ao material da camisinha… existe uma camisinha latex-free, feita com poliuretano. vc pode tentar e ver tbm no q dá ;-)

  32. Letícia;me bateu uma nostalgia agora lendo esses comentários…Perdi minha virgindade aos 15 anos e namorávamos há mais de 3 anos.Mas era aquele namoro de criança,de passar na porta da casa dele o dia inteiro e ele me perguntava se podia me acompanhar.Ai que saudade.Mas ele sempre me traiu,e eu me fazia de cega.Foi um namoro de adolescência que marcou muito.O engraçado é que depois que aconteceu,eu me rebelei com ele,fiquei toda “periguete” e na primeira oportunidade lasquei um beijão num menino da minha sala,na frente de um amigo do namorado.Ele veio falar comigo e eu assumi que tinha feito e mesmo assim el não queria terminar.Resumindo:conheci um gatíssimo que hoje é meu marido e em menos de 1 semana estávamos no motel(eu menor de idade)com a identidade da irmã mais velha dele,com 1 ano de namoro fiquei grávida e meu filho hoje já está com 17 anos.Mas é sempre bom lembrar daquela época…quanto sarro meodeusdoceu…beijo Lê!!!!!

  33. Acho que mais uma vez, o problema está no” tabu sobre sexo”. Imaginemos se todos os pais; quando o filho e/ou filha entrassem na puberdade; levassem o/a jovem a um ginecologista ou urologista. Além disso, falassem abertamente sobre a sexualidade com o garoto ou garota em casa; como um assunto rotineiro e normal. A escola deveria ter educação sexual pra valer mesmo. Acho que todo esse drama seria evitado; fui adolescente e só pude contar com a ajuda de amigos.felizmente saí ileso de qualquer drama ou problema.

    • Eu concordo com vc, Ari. Por mais que existam inúmeras informações sobre sexo circulando por ai, ainda não é suficiente. Se existem adultos que têm vergonha de entrar numa farmácia para comprar camisinha, imagine um adolescente que tenha sido criado ouvindo que sexo é uma coisa errada e suja (e ainda aqueles que tenham tido uma relação mais aberta com os pais e educadores).
      Se o sexo fosse visto de forma mais natural, e se houvesse uma educação sexual apropriada, muitos problemas seriam evitados.

  34. Eu já tive uma experiência diferente na minha primeira vez, eu escolhi um amigo especial. Eu tinha certeza que ele seria carinhoso e cuidadoso e eu não queria vínculo emocional com o cara da primeira vez, mas queria lembrar com carinho.
    E foi assim mesmo, demorou um pouco, perdi com 18 anos, por que a gente só se encontrava nas férias de Dezembro, era uma amigo-amor de verão!! Foi muito bom e até hoje tenho contato com ele!

  35. Yay! Primeira vez que comento aqui, mas leio sempre!
    Muito bom o post! Ainda acho que ficarei na dúvida quanto ao “momento certo” de contar, mas realmente, acho que se o cara for legal, ele deve entender, né? Meu maior medo é o cara ficar muito nervoso, e isso acabar atrapalhando! De nervosa basta eu! hahahaha!
    Eu tinha medo da dor, mas hoje em dia acho que isso é o de menos. Como eu já me masturbava desde criança, acho também que eu conheço bem o meu corpo pra não ser nenhum bicho-de-sete-cabeças!
    Obrigada pelo post!

  36. Oi Lê!!!
    Quero te parabenizar pelo blog e te dizer que você e todos os leitores me ajudaram muito!
    Eu perdi a minha virgindade só aos 24.Eu sempre fui uma pessoa muito sexual, me masturbava desde cedo,e também falava muito sobre sexo com amigos, achava tudo bem natural.
    O meu grande bloqueio acho é que eu não sou uma pessoa que se apega facilmente e achava que só poderia transar com um namorado. Tive oportunidades de ter a primeira vez, mas nunca me deixei levar no momento por achar que tinha que ser com um namorado sério, senão eu não teria valor. E se transasse com um ficante iria me sentir muito mal depois.
    Não sei pq acreditava nessa besteira, mas fui amadurecendo e percebendo que nem tudo na vida é tão regrado.
    O tempo foi passando e nunca consegui ter um namoro sério, sempre casinhos de 3 meses que acabavam pela minha falta de paciência.
    Já com 24 anos, não estava mais aguentando ficar sem sexo, tinha muita vontade e me sentia constrangida por ainda ser virgem e me arrependia de não ter perdido antes. Só não conseguia me imaginar contando a algum carinha bem na hora H q era virgem, achei que ninguém iria saber lidar com isso ou me achariam uma puritana, coisa q nunca fui!
    Bom, um dia, ficando com um amigo meu, bebemos demais e quase rolou, estava bem desinibida e me sentia muito a vontade com ele. Não disse que era virgem, fizemos sexo oral um no outro e ele até me penetrou um pouco, não senti dor nenhuma, senti muito prazer, gozei no oral, mas mesmo bêbada parei pela falta da camisinha. No dia seguinte me senti um pouco mal por ter feito td meio bêbada e de não lembrar direito dos detalhes de uma coisa q pra mim era importante. Meu amigo também não reagiu bem e nem olhou na minha cara no dia seguinte, não queria nada demais, apenas q ele continuasse normal comigo, como amigo.
    Depois dessa noite me senti péssima, e parecia que todas as minhas dúvidas quanto a sexo casual tinham se confirmado e eu não tinha me valorizado. PURA BESTEIRA!
    Me senti mal por meses e então conheci o blog! Não sei explicar o q aconteceu mas acho q me dei conta de que eu estava exagerando e que tinha que levar tudo com mais leveza. Animada com os relatos do blog, coloquei na minha cabeça q iria transar com o próximo cara que me desse tesão e fosse bacana e entraria nos 25 com outra cabeça e sexualidade.
    Então um dia antes do meu aniversário eu sai com um cara que eu já conhecia e que não tinha transado há 2 anos atrás, mesmo ele querendo na época. Marcamos e fui super decidida e preparada, mas tb não contei. Não sei se foi pq ele não esperava a minha reação mas ele broxou assim q colocou a camisinha, por isso cheguei a ser penetrada, doeu mas não conseguimos ir até o final pq ele disse que com camisinha ele broxava e pra mim não ia rolar sem. Ele me compensou com mt sexo oral e gozei, saí de lá realizada, em casa eu sangrei mas fiquei sentindo que ainda faltava alguma coisa. Na segunda vez ele ameaçou broxar de novo com a camisinha mas conseguimos transar, doeu bem pouco no começo e depois até gozei. Foi mt bom, senti muito mais prazer e nem cheguei a sangrar!! Ele me trata super bem e ficamos super a vontade juntos, mas sabemos que é só sexo, gosto e tenho carinho por ele mas é só.
    Hoje acho q por ser mais velha e mais segura não me apeguei a vergonhas com o corpo e pudores na hora H, essa foi a parte boa, mas se pudesse teria feito antes pois agora quero toda hora!!!!rss…
    Lê, essa coisa de broxar com camisinha é comum?? Tem tanta diferença assim na sensibilidade??? Pq homem tem tanta aversão a camisinha???
    Continue escrevendo e ajudando as pessoas apesar de tanta coisa ridícula que você é obrigada a aturar. Vc faz a diferença, pelo menos fez pra mim!! Beijo sua linda!!!!

    PS: Desculpa ter ficado mt longo!!!rs.

  37. Perdi minha virgindade aos 15 anos, não doeu e eu estava menstruada. Me arrependi porque acho que não era a hora certa e nem a pessoa certa. Não que eu esperasse o “príncipe encantado” mas foi tudo muito rápido, me sentia pressionada. wuando acabou tb pensei: é só isso? Com o passar dos anos foi ficando bem melhor, fui conhecendo meu corpo, aprendendo o que me dá mais prazer, tb aprendi muita coisa depois que tive um relacionamento com um homem 15 anos mais velho que eu.
    Beijo Lê

  38. Oii Lê!
    Acho q já comentei sobre minha primeira vez.. foi num post antiiiigo onde vc falou de ‘abuso’.. uma coisa assim.. não lembro direito..!

    Enfim.. eu penso na minha primeira vez como um TERROR! Assim.. se eu não tivesse ido até o escritório dele com minhas próprias pernas.. eu consideraria o “ato”.. no grosso da palavra mesmo como estupro!

    Ele sabia q era minha primeira.. nós já ficávamos ha uns meses.. eu com 20 anos.. ele com 30.. os amassos aquele dia ficaram mais quentes e qdo dei por mim.. estava deitada no chão.. e ele colocando a camisinha e vindo com TUDO.. de uma só vez… PUTAQUILPARIL… q DOR!… E dps de mt forçar.. PLOCT.. o hímem rompeu e melhorou um pouco.. mas sei lá.. acho q eu não estava no ‘ponto’.. só sei q foi péssimo.. e ele nada cavalheiro.. delicado.. nada..! Foi.. meteu.. e tchau..! Qdo ele saiu d cima d mim.. eu corri pro banheiro.. e eu sangrava.. mas sangrava mt..! Eu tremia.. estava com mt medo.. será q alguém ia saber? Vim pra casa na impressão de q estava escrito na minha testa: NÃO VIRGEM… doeu uns dias mais.. sangrei uns dias mais… não fiquei mais cm ele… viramos aqueles ‘amigos esquisitos’.. q se veem e ficam sem assunto ou ação.. e nunca mais falamos disso.. nem sei mais dele hj em dia… o meu trauma foi tão grande q só fui transar d novo dali ha 2 anos.. com um namorado… q por sinal me tirou o trauma (ui).. e passei a gostar da coisa! hahahahhaa

    Agora sou casada (com o 3º homem da minha ‘lista’).. nos damos super bem na cama.. e vamo q vamo!

    :D

    Bejinhosss!

  39. Eu também sou do time das que perderam a virgindade depois dos 20 (com 22)! Mas nunca fui muito encanada com isso… Meu maior trauma era nunca ter tido um relacionamento de verdade…
    Mas conheci o atual namorado, e foi super natural… Inclusive a conversa sobre eu ser virgem, e ele foi super compreensivo. Também ele só tinha tido uma experiencia anterior, era quase tão virgem quanto eu! hehehe!
    A gente foi descobrindo tudo juntos, e o que no começo era super bleh, hoje tá ótimo! hahaha!
    Acho que super vale a pena esperar quando vc está pronta, e não fazer só pra se livrar do fardo… É só não pensar que é um fardo! hehehe! =]
    Beijão!

  40. Uma coisa que eu acho interessante é que, pelo menos aqui no interior do nordeste, a pressão para os meninos perderem a virgindade é tão grande que a primeira vez deles, em alguns casos, é no cabaré ou pegando animais, como cabra, vaca ou algo do tipo. Não sei se esta pratica hoje ainda é comum, mas antigamente era bem mais, tanto que tem uma música de forró que fala sobre isso.

  41. Acho que eu sou um dos casos de “sorte”, por não ter doído…
    Perdi há 2 anos e foi super legal!
    Já tinha percebido que esse papo de príncipe encantado não acontece pra todas e tinha decidido que queria que fosse uma experiência bacana. Já tinha 20 anos e muita vontade e curiosidade de fazer mas eu tava solteira e faltava o cara que, não sendo meu namorado, me deixaria à vontade e eu não me apegasse muito. (E fosse uma boa lembrança, né!?)
    Aí apareceu o cara mais gato que eu já peguei! =) Um sábado a noite saí com as minhas amigas e conheci um alemão que tava passando férias na cidade. Ficamos nesse dia e trocamos telefone. No fim de semana seguinte, a gente combinou de sair e acabou rolando. Foi a minha primeira vez, a primeira vez que fui a um motel e a primeira vez que entrei dirigindo… Mas foi ótimo, ele não sabia que eu era virgem e mesmo assim foi super carinhoso e cuidadoso. Senti um pouco de dor no início, mas depois deu pra aproveitar bem. E depois, nos dias seguintes, não perdemos contato (temos até hj) e ele sempre querendo saber se eu tava bem, etc. Aí chegou o dia dele voltar pra Europa e eu fiquei com uma história ótima pra contar pros netos! ;)

  42. Eu ja comentei aki antes, mas esse assunto é tão pessoal que até deu vontade de falar de novo. Eu tb sou o q chamam de “virgem tardia”, vou fazer 29 anos este mês (\o/) e sou completamente virgem. Nunca namorei, nunca fiquei, nunca NADA. Um tanto por timidez, outro tanto por falta de oportunidade (provavelmente causada pela insegurança). Como alguém ja comentou aki, tb ja passei pelas fases de “oh, que bonitinho” e “oh, é mesmo?!”. Mas eu não me importo muito com isso não. Acho que to esperando um príncipe encantado sim, mas não o clichê, “O CARA”, mas alguém que seja o “meu cara”, o “meu príncipe”, aquele que com quem eu desejarei dividir a minha vida, e tal. Dou muito valor ao meu corpo, e me sentiria invadida se fizesse isso com alguém que eu ñ sentisse algo realmente mto especial. Com certeza hoje eu tenho muito mais maturidade e conheço melhor o meu corpo e poderei curtir esse momento com menos medos e traumas do que se tivesse feito mais cedo.
    Sei que corro o risco de esperar ainda mais. Mas não tenho a virgindade como um fardo, nem tampouco como triunfo. É só mais uma de muitas coisas boas da vida que eu ainda não vivenciei… E que não vejo a hora de conhecer! rs

    • Bom, eu tb sou da turma das tardias. A 1a. vez foi com 24 anos. Transei apenas 3 vezes. Foi legal, com um cara atencioso, mas nada importante para mim. Sexo casual com carinho, como vc sempre comenta. Só que sou muito tímida. Sei que não sou feia, mas não sou exatamente uma modelo. Às vezes me sinto invisível. Sabe aquela pessoa que ninguém nunca nota? Sou eu e não sei ser diferente. Nenhum cara nunca se aproxima de mim sem a intenção de ser apenas amigo. Na balada eu sou sempre a amiga q sobra. Nunca fui apaixonada por ninguém e ninguém nunca se apaixonou por mim. Hoje tenho 28 anos, sofro com a solidão e não sei como fazer para mudar esse quadro.

    • Ate aqui estava me sentindo mal ate de comentar, pq neh? O post eh sobre “virgens tardias” e a grande maioria dos comentarios sao de pessoas que nao foram nada tardias. E as que se consideram tardias, nao passaram dos 24. Que bom que voce comentou de novo SI, porque eh a primeira vez que entro no blog e o post mais recente eh sobre um assunto que fala diretamente a mim…
      Eu tenho 27 anos e sou virgem. Jah fiquei com um bocado de caras, mas nunca cheguei nem perto de namorar ninguem, e acredito que seja por isso que cheguei ate essa idade “intocada”. Sempre pensei muito em sexo, nao tenho tabus religiosos, minha mae sempre foi super aberta pra conversar comigo sobre o assunto… Sempre quis esperar o “cara certo” mas foi realmente no sentido de estar em um relacionamento mesmo. Jah cogitei a possibilidade de fazer com qualquer um pra me livrar do fardo, mas nao tenho coragem… Penso que eu tenho que no minimo ter tesao no cara e na ideia de transar com ele, e ele tem que saber, porque senao isso jah nao me deixa confiar nele, e nao dah pra sair contando pra qualquer um. Recentemente conheci um cara que queria de todo jeito me levar pra cama, quando eu contei pra ele que era virgem, na hora ele disse que nessa situacao nem sequer ficaria comigo, que ele achava que tinha que ser especial e que o cara que tirasse minha virgindade casaria comigo. Como se fosse tudo que eu quero. Imagina que eu nem sei se algum dia vou querer me casar! Acho mesmo que tem que ser alguem que eu goste e confie, mas somente para que a coisa possa fluir, nao dou valor nenhum a situacao em si.
      Fato eh que eu sempre fui muito timida pra relacionamentos, beijei na boca pela primeira vez numa idade que a maioria das pessoas nem eh mais virgem, e eu tenho muita cara de menininha, ainda hoje as pessoas nao me dao mais do que 17 anos, e acho que esse aspecto de “bonequinha” tambem em nada me ajuda. Ate meus 22 anos eu nao tinha vergonha nenhuma de admitir pras pessoas que eu era virgem, mas depois disso, comecei a simplesmente omitir o fato. Meu problema em contar eh a reacao dos homens, sabe. Acho que eles jah tratam a gente como se eh obvio que nao eh mais virgem, e isso me trava, fico com vergonha. Se nao for um cara cabeca aberta e que esteja muito afim de voce, ele vai sair fora com medo da situacao, seja do ato em si (por causa da expectativa que eles acham que a gente criou depois de esperar tanto tempo), seja porque acham que tem que obrigatoriamente namorar com a gente depois. Eles mesmo pensam que a mulher virgem deve se entregar para seu principe encantado, ainda que a mulher nao pense assim.
      Considero a virgindade um fardo apenas nesse sentido de que realmente assusta os caras e nao eh tao facil assim hoje em dia achar rapazes a fim de se comprometer com voce e levar isso numa boa, e penso que a situacao soh se agrava quanto mais velha eu fico. Mas nao me arrependo de nao ter transado com alguem soh pra perder a virgindade, apesar de jah ter pensado nisso como eu disse.
      Agora, a parte PHODA eh saber que nao tem a menor expectativa de quando isso pode acontecer e ficar morrendo de vontade de conhecer a coisa na pratica e soh poder ficar imaginando… Isso sim eh a pior parte de ser uma “virgem tardia”, pode parecer besteira, mas morro de medo de morrer de repente sem ter transado, porque penso, tanta gente adora, eh uma parte tao natural e gostosa da vida, que eu ate hoje nunca vivenciei. Meio como nunca ver o mar, num exemplo meio besta. Mas o que resta eh mesmo ficar torcendo para aparecer logo algum cara que goste de mim o suficiente para respeitar a minha historia e querer fazer parte dela, nao eh?

      • Eu também sou do time da tardias,perdi com 24, com um cara que eu amava e me largou,foi horrível minha primeira vez.Eu também queria que fosse com alguém especial e esperei muito tempo.Era zuada na facu pq contei que era virgem para uma amiga que contou pra galera,poko vaca,né?Se eu pudesse dar um conselho, dê para qq um, se livre desse peso,não tem a menor importância a primeira vez, acho tão hipócrita as meninas ficarem falando isso,que é maravilhoso, que foi o máximo, como pode ser bom uma coisa que tu nunca fez? me diz que vai acertar na primeira? já chega um monte de besteira que a gente tem que engolir…

        • n acho q as pessoas n façam por dar importância por ser a PRIMEIRA, mas por ser uma coisa íntima. n importa se é a primeira ou a milésima vez, eu n consigo me imaginar dando pra qq um. por mim, eu removia logo o himen artificialmente, pra rolar uma coisa gostosa qd finalmente acontecer.

      • cara, eu me sinto muito mal por essa presunção de que todas as mulheres acima da idade X não PODEM mais ser virgens. outro dia os comentaristas do globo (aqueles ogros) tavam fazendo piada pq a notícia falava alguma coisa de virgindade. ficaram dizendo q é mais fácil nevar no brasil do que existir uma virgem adulta! q se vc quer uma virgem, só pegando criança! sério, mentalidade doente, beirando a pedofilia. eram homens E MULHERES falando isso, foi constrangedor (mesmas pessoas q dizem q menina de 14 q transa é puta, mó hipocrisia)

    • Anonimo, me identifiquei muito com voce… Eu nunca cheguei nem nas preliminares mais intimas, ainda sou virgem, mas eu sei muito bem o que eh se sentir invisivel para os homens… Durante muito tempo fui a amiga que nunca pega ninguem na balada, custou MUITO pra eu chegar ao ponto que consigo atrair um cara que estou afim. Penso que essa situacao soh mudou mesmo o dia que um cara que eu achava lindo, mara, falou que era afim de mim e que eu era bonita e atraente, eu jah tinha quase 24 anos. No final, tudo eh uma questao de confianca, penso eu. Tenho cara de muito mais nova do que eu sou, e penso que no setor relacionamentos isso me atrapalhou demais (junto, eh claro, do fato de eu ser extremamente timida: quando adolescente tinha crise de tremedeira soh de pensar que algum menino podia estar afim de mim, de medo de nao saber o que fazer, e mesmo mais velha um pouco a maioria das vezes que eu ficava com alguem eu estava meio bebada, portanto um pouco mais soltnha). Levou MUITO tempo pra eu abandonar o sentimento de que os homens nunca se interessariam por mim porque eu tenho cara de menininha e eles querem alguem com cara de mulher. Ate hoje ainda sofro com esse pensamento, mas nao me deixa mais tao travada quanto antes.
      Mas ate hoje soh me apaixonei por caras que nao se apaixonaram por mim ou vice-versa. Nos meus momentos de crise de solidao me torturo pensando como que ate hoje nunca apareceu nem UM homem sequer que tivesse um “click” das duas partes, quero dizer, qual eh a chance? Tanta gente namora, independente de ser bonita, feia, legal, chata… Jah pensei na possibilidade de eu me fechar pras pessoas, mas apesar de ser timida, quando conheco melhor adoro conversar, e sou muito mais autoconfiante hoje em dia. No entanto, continuo sem ninguem. Vai saber. Tambem nao sei o que fazer para mudara situacao.

      • Lis, Anonimo e Si,

        Faço minhas as palavras de vocês. Tenho 27 anos e a mesma situação: sou virgem e ao mesmo tempo isso não é devido a nenhum motivo religioso ou extra romântico – não quero casar, ter filhos, nada disso. PORÉM é essa a imagem que passo aos homens: a de esposa perfeita e isso os afasta. Nossa, estou tendo várias idéias para discutirmos, pois as mesmas incompreensões que vcs tem do mundo eu tb tenho… Voltarei no final de semana para escrever mais, tenho que sair agora! Bjs!

  43. Eu perdi a minha virgindade aos 18 anos e não contei ao meu namorado na altura que era virgem. Nunca encarei a virgindade como algo “sagrado”, ou que deveria ser com “alguém muito especial”; para mim, era um marco importante sim, tal como a primeira menstruação, e tem que acontecer naturalmente, você estando, ou não (como na maioria dos casos) preparada.
    Na minha primeira vez eu não senti absolutamente nada, mas como eu era virgem, e ele não sabia que eu era, eu não podia perguntar para ele se ele tinha sentido algo de errado; ficou assim até hoje! Na minha segunda vez, já com outra pessoa – que também não sabia que eu AINDA era virgem (descobri depois), doeu MUITO, sangrei MUITO, aliás, sangrei tanto que nem deu para continuar a brincadeira… Mas apesar de eu ter perdido, efectivamente, a virgindade nessa ocasião, eu já tinha chegado nas preliminares antes, já tinha feito sexo oral, já sabia fazer um “handjob”, já tinha um certo rebolado; só faltava mesmo a parte da penetração! Eu depois falei para ele que eu tinha ficado muito tempo sem transar, mas eu acho que ele não acreditou muito na história, apesar de nós termos transado muitas vezes depois disso. Eu hoje olho, e acho que não devia ter tido receio ou vergonha de contar a verdade, para nenhum dos dois.

  44. Olá Le!
    Leio o blog faz tempo mas hj resolvi comentar o post. A minha primeira vez foi com 16 anos, com um namorado de alguns meses. Não foi nem um pouco romântico, muito menos em um momento planejado. Simplesmente aconteceu quando devia acontecer. Não senti dor alguma e tive prazer. Acho que uma coisa importante é que a primeira (e todas as transas) seja com alguém que nos respeite. Pode ser namorado, amigo ou o que for mas tem que ser com alguém que nos transmita confiança. =)
    Le amo o blog e as discussões dos comentários são sempre enriquecedoras. Saibas que tu és importante pra mim e que de certa forma te considero uma amiga por dividir tuas idéias e sentimentos aqui. Beijos

  45. Olha minha primeira vez foi muito sossegada! Mas foi mto estranha tbm hahahaha
    Não senti mta dor não, estava relaxada e “pronta” mas quando foi, fiquei com aquela sensação de “é isso? o.O” Não teve orgasmo, pq chegou uma hora q ardeu mto! Aí paramos. Mas as outras vezes foram normais. Só que sangrei só na segunda vez, que o fight foi mais forte. haha
    No mais acho que independente de principe, a guria tem q escolher quem ela tá afim mesmo. De verdade, pois isso ajuda a relaxar e a lubrificar, pra não sofrer tanto.

  46. Oie.. faz tempo que não comento mas voltei..
    Não tenho o que reclamar da minha primeira vez…aliás só tenho a agradecer, pois é, foi com 17 anos e foi com meu príncipe! mais eu nem esperava por isso, só não tinha feito antes por falta de oportunidade…tanto que tínhamos pouquíssimo tempo de namoro quando aconteceu, o que era um absurdo! na rodinha de amigas só se perdia a virgindade com no minimo seis meses de namoro e olhe lá, foi tão perfeito que eu nem precisei falar pra ele que era virgem parece que ele adivinhou sei lá.. doeu muito e foram muitas tentativas mas ele foi super carinhoso e no fim tudo deu certo e estamos juntos até hoje.

  47. Eu me enquadro na categoria dos virgens após os 20 anos. Perdi minha virgindade aos 22 anos e não me arrependo. Foram várias tentativas até conseguir, porque doeu, sim. E eu contei a ele antes.
    Nas primeiras tentativas, ainda não éramos namorados, e ele foi super cuidadoso. Coincidência ou não, só consegui perder a virgindade de verdade dois dias após termos oficializado o namoro.
    Antes, eu ficava na neura por me achar “atrasada” em relação às demais. Mas hoje vejo que isso é bobagem. Aconteceu quando eu estava pronta pra isso. Cada um no seu tempo. O importante é fazer na hora em que tiver vontade, e não por pressões alheias.
    Beijo, Lê!

  48. Minha primeira vez foi super tranquila, acho que por eu conhecer bem meu corpo, eu me masturbava bastante a bastante tempo, o cara era um namorado e sempre ficávamos nos amassos e a coisa aconteceu naturalmente, os amassos foram esquentando e teve um dia que aconteceu. Sem data marcada, sem nada de mais. Não sangrou e não doeu. Depois que terminou fomos ao McDonalds comer um lanche, foi minha primeira vez no McDonalds… Comi cheddar e me apaixonei… Como pode, minha primeira vez no McDonalds e eu lembro em detalhes e da transa mesmo, lembro bem pouco???? Eu tinha 15 anos.
    Fui sentir dor com sexo anos depois, com 17, quando fui estuprada. E depois com vários parceiros eu senti muita dor, que passou(ainda bem).
    Uma coisa que eu acho importante é se masturbar para se conhecer, se tocar e relaxar.

    bjs

  49. Bom, por isso gosto cada vez do blog.
    Quando vi o post de hoje, logo me identifiquei.

    Sabe aquele rapaz de 25 anos ainda virgem que a letícia cita no texto? Pois é, eu ainda consigo ser pior.
    Tenho 26 anos e sou virgem, eu sei que isso é realmente vergonhoso, principalmente para os homens.

    Ocorre que eu sofro de uma timidez aguda, e não estou conseguindo lidar muito bem com isso. Sempre que eu penso em tomar uma atitude, acabo desistindo. Fico sofrendo sempre de amor platônico, mas não tenho auto-cofiança de chegar em um menina.

    O pior é que ultimamente estou ficando muito apático sobre esse assunto, acho que já estou quase conformado.
    Também não tenho coragem de expor isso, pois sinto vergonha.

    Será que existe outros casos assim, ou sou somente eu???

    Até.

    • ja tenho 28 e to na mesma

      não sinto tesão por mulheres nem por homens

      graças a deus nem por animais, vegetais ou crianças

      mto menos sinto vontade de me masturbar

      devo ser assexuado ou coisa do tipo

      • inclusive

        sugiro o assunto assexualidade para quem escreve nesse blog

        muito pouco se fala sobre isso e há muita incerteza e opiniões variadas

        algumas pessoas tem capacidade de sentir atração afetiva sem manifestar atração sexual, fazem sexo de forma forçada pra se encaixar na sociedade

        o que vcs fariam se entrassem em uma relação afetiva com uma pessoa que não tem interesse nenhum em fazer sexo ?

        faltou falar no post acima que tenho namorada e ela também é assim, somos um ótimo casal a nosso modo

        • Garoto…que interessante isso.
          Sinceramente, talvez por ignorância minha, nunca tinha ouvido falar disso, achava que isso fosse impossível e, pelo que vc relata, é comum!
          Gostaria de saber mais sobre o assunto, tomara q a Lê escreva sobre o assunto, para podermos obetr mais informações.
          Mas, uma dúvida, nunca sentiu nada, mas nadinha mesmo, nem na adolescência?
          Beijos

      • Pessoal,

        A partir do momento que a timidez começa atrapalhar a vida, no caso nossa vida sexual, é necessário ajuda um especialista: psicólogo, psicanalista.

        Já pensaram sobre isso? Tenho certeza que isso pode ajudar muito vocês.

        Abraços

      • E se vocês procurassem algum tipo de ajuda? Terapia, ou algo assim. Ai vocês poderiam desabafar e tentar trabalhar a timidez, insegurança, ou entender o por que não sentem vontade. Não sei.
        Desculpa me intrometer, só quis dar uma sugestão…

      • Zé acho que sua situação é bem diferente da do Forever alone. Vc pelo que relata, parece assexuado mesmo. Isso existe sim e é até relativamente comum, já viu essa ( http://revistamarieclaire.globo.com/Revista/Common/1,,EMI186425-17596,00.html ) reportagem sobre o assunto?
        O Forever, diferente de vc tem desejo por mulheres, só não sabe expressa-los. Tem vergonha de se relacionar e isso acaba colocando ele num ciclo vicioso (ele é tímido e não se relaciona, aí tem vergonha de não se relacionar, sua auto estima é cada vez mais prejudicada e ele tem cada vez mais vergonha de lidar com a mulheres).
        Olha longe de mim querer dar uma de sexóloga, mas foi essa impressão que eu tive do pouco que vcs falaram.

        • Li a reportagem e fiquei impressionada. E hoje, lembrando das várias pessoas que já conheci na minha vida, em especial na faculdade, acredito que há mais pessoas assexuadas do que imaginamos, mas assumir isso, deve ser muito complicado. Temos que abrir a mente para entender sempre o próximo e não fazer exclusão.

    • Existem sim. Embora eu ainda seja tímida e virgem aos 23 anos, hoje estou um pouco melhor da timidez depois que fiz terapia (cognitiva comportamental). Acho que seria uma boa você tentar.

      Boa sorte.

    • Forever alone, um dos meus melhores amigos tem 37 anos e é virgem também. A sociedade exalta tanto o sexo que às vezes nos sentimos aberrações por passar dos 25 ainda virgens. Pelo fato de eu não ser feia, religiosa e nem deficiente, a maioria das pessoas não acreditaria que passei dos 25 sendo virgem.

      Conheci, através da internet, muitas pessoas (várias delas bonitas e bem sucedidas) que passam dos 25, 30 anos sem transar ou sequer beijar. Mas isso fica em segredo, elas só revelam em grupos fechados para pessoas com dificuldades de interação social.

      O penúltimo rapaz por quem me apaixonei é muito tímido e nunca ficou com alguém.

    • então

      eu ja tinha visto alguns artigos como esse sobre assexuados assumidos e não é exatamente o meu caso pois tenho namorada e faço tudo normalmente, só não fazemos sexo

      pra Mariana questionou sobre eu ter desejos

      olha, eu levo meu namoro normalmente, vamos ao cinema, viajamos juntos, compro flores pra ela, jantamos em restaurantes bem românticos, nos comunicamos durante o dia trocando sms e emails apaixonados, brigamos por ciumes, planejamos o futuro, dormimos um na casa do outro e dormimos pelados abraçados, tomamos banho juntos

      não sei explicar por que isso não desperta desejo sexual em nenhum de nós

      durante minha adolescência conversei muito a respeito disso com meu pais e meu irmão que é 20 anos mais velho que eu pois eu pensava que tinha algum problema por sempre ter broxado com as meninas que eu tentava transar

      fui levado ao médico pra ver se era algum problema de impotência, mas o médico disse que não tinha nada de errado comigo fisicamente pois eu tinha ereções matinais como todo homem tem

      sou grato por ter passado pela adolescência sem isso ter se tornado um trauma

      às vezes enquanto estamos dormindo tenho ereção espontânea, o que é normal, tenho mesmo quando estou dormindo sozinho, e de vez em quando tentamos aproveitar isso pra embalar uma transa e experimentar pra ver se descobrimos algo de bom nisso mas se torna a coisa mais chata e tediosa do mundo e nem tentamos ir até o fim

      ainda me considero virgem pois não é uma penetração inacabada e sem sentido que vou chamar de sexo

      pra quem disse a respeito de buscar ajuda de terapeutas

      já fui a uma psicóloga e ela me disse que é uma característica minha e de muitas pessoas além do que imaginamos e não há o que tratar enquanto isso não estiver atrapalhando minha vida ou me incomodando e que essa é uma regra geral pra se procurar um psicólogo

      também considero o fato de que eu ainda não tenha descoberto o que me atrai sexualmente, mas como eu disse: graças a deus não são crianças, vegetais, gente morta, bonecas infláveis etc rsrsrs

      gostei desse blog e acho que vou voltar mais vezes

      • Mas pelo que li na reportagem dos assexuados, o comportamento e as características são idens às suas. Muitos deles namoram, se relacionam, casam, muitos se masturbam, só que simplesmente, não fazer sexo, pois não têm interesse.

      • Cara, vc é normal, desculpa se é preconceito,mas anormal é transar com criança,cachorro, cadáver, ( e eu já conheci gente que transa com o próprio cachorro,vontade de matar)tô pra ver alguém provar pra mim que isso é normal..fica do seu jeitinho que vc é feliz,não se sinta pressionado pela hipócrita sociedade.

  50. Transei pela primeira vez aos 23 anos. Não esperava o príncipe no cavalo branco, mas posso dizer que foi com o homem ideal, isto é, aquele que me respeita e trata com carinho. Acho isso fundamental na primeira vez. Não pode ser com qualquer idiota.
    Também não sei quando foi exatamente o fato, pois tentamos umas 3 vezes antes e ele pacientemente abortava as tentativas pq achava que eu não deveria sentir dor. Quando conseguimos ir até o fim, foi ótimo. Nada de dor ou sangue.

    o “vaginismo” na primeira vez pode ser bem normal. não deve ser tratado com preocupação. nas próximas vezes, vai melhorar. e a mulher jamais deve forçar o ato. neste momento é que eu vejo a importância de um parceiro bacana.

  51. Oi, Letícia. Perdi a virgindade ano passado, aos 19. Foi com um namorado. Não era aquele relacionamento de “homem-da-minha-vida”, “vamos-nos-casar”, e “meu-grande-amor”, como costuma ser o namoro em que muitas meninas transam pela 1ª vez. Mas acho que, praquele momento, foi a pessoa mais adequada, pois ele foi muito compreensivo e super paciente. Doeu MUITO e, antes de fazer sexo de fato, tivemos várias tentativas. Não sangrei, nem durante nem depois. Vai ver meu hímen se perdeu antes, sei lá. Acontece, né? Mas o ruim da história que a dor nunca passou. Mantive relações frequentes com esse namorado e sempre com incômodo, dor, desconforto. Descobri que tava com fungos, e achei que era isso que me impedia de ter prazer. O namoro acabou, me curei dos fungos e só agora, quase um ano depois, fui transar de novo, com um carinha que to ficando. No entanto, a dor permanece. Isso me dá uma angústia e uma frustração que vc não tem ideia. Me sinto anormal. A questão não é ausência de prazer na penetração, vai além disso, é dor. Eu tenho vontade, fico excitada, mas não tenho a mínima lubrificação e quando o cara penetra é uma dor horrível, mesmo usando KY. Durante, às vezes dói (dependendo da posição), e às vezes eu não sinto nada, nem de bom nem de ruim. O jeito é procurar ajuda médica. Fui eu que falei no twitter com você sobre dispareunia, e pelos relatos do “Deus Google”, acho que é esse o nome mesmo do meu problema. Como o problema com os fungos já foi curado, as causas devem ser psicológicas mesmo. Mas eu não sofri abuso, não fui estuprada, não tenho religião que possa me reprimir… sei lá, o motivo desse bloqueio deve ser uma coisa pequena e muito bem guardada aqui na minha cabeça. Não vejo a hora de resolver isso logo.

  52. Eu sempre fui a mais “namoradeira” das minhas amigas, e sempre achei que seria a primeira a perder a virgindade. Ainda bem que nao fui! Se fosse, iria ficar muito encucada, sem ter com quer conversar, perguntar… Fui a segunda e quando decidi transar com meu namorado, aos 17 anos (ele tinha a mesma idade mas nao era mais virgem), fui perguntar tudo pra amiga que tinha sido a primeirona. A dica mais preciosa que ela me deu e que eu falo sempre, inclusive pras pacientes (sou ginecologista) é: a primeira vai doer, a segunda vai doer menos, a terceira menos… só vai ficar bom lá pra quarta vez! Foi assim com essa minha amiga, foi assim comigo, e foi bom eu ter alguém pra me dizer essas coisas porque minha primeira transa doeu tanto que eu só queria que acabasse logo!

  53. Oi Leticia, leo seu blog todos os dias, vou contar como perdi minha virgindade, perdi com uma semana antes de fazer 23, e tb uma semana antes de casar, foi bem traumatico, foi atras da casa dele , no chao, ele insistiu muito e eu permeti, doeu muito e sangrei muito tb, sou casada com ele ate hoje ja fazem 10 anos, e ate hoje o sexo pra mim e um problema nao sinto muito prazer, mas hoje em dia ate tenho vontade mas nao com ele, quero ter outras experiencias, mas estando casada e um problema, entao minha vida esta um inferno. Adoro tudo q vc escreve , continue assim sempre, bjs.

  54. Bom saber que não sou a única! Tenho 23 anos e sou virgem por uma série de fatores somados: era insegura (ainda sou), tímida ao extremo (isso tem melhorado com o tempo), vim de família evangélica (apesar de não ser o fator mais forte) e não sei lidar com elogios. Era considerada feinha no colégio e fui “melhorando” com o tempo, ou seja, aos padrões de beleza estou em um nível aceitável (confesso que gosto).
    Estou com uma curiosidade louca! O problema é que quando conheço um cara bacana eu simplesmente fujo por medo, criancice, imaturidade ou sei lá mais o que. Morro de vergonha de falar para o ser que nunca transei, fora a insegurança com meu corpo, aliás, acho que é essa “neura” que faz com que eu fuja, “o que ele vai achar dos meus seios?”, “E minha bunda?”, “e se não for bom?”.
    Estou consciente de que para mudar esse quadro depende somente da minha pessoa e espero que consiga fazer isso com o próximo carinha legal que eu conhecer. Como a Letícia disse, tem gente que vai com um completo desconhecido e confesso que já pensei nisso, mas não é minha praia, sei que daria tudo errado e na hora eu simplesmente ia sair correndo, rs.
    Não quero um príncipe (eles não existem, descobri isso aos 15 anos, rs). Quero um homem legal e compatível comigo, já conheci uns e existem outros por aí.

  55. eu não senti dor, eu não sangrei, brinco que depois de 10 anos, ainda sou virgem.
    eu idealizava minha primeira vez com um amigo, porque pensava que seria tão ruim que eu não queria essa responsabilidade para um namorado. no fim, foi com um namorado bem troll.
    eu fui a primeira de um cara, e detestei. mas, sexo é que nem braço: cada um tem o seu e tem aqueles que não tem… rs

  56. Oi Leticia, me identifiquei muito com o post. Tenho 21 anos e sou virgem, e mais do que virgem, nunca namorei. Nunca namorei é piada, fiquei 1 vez com u mmenino que me cantava no MSN, e foi 1 noite, há 5 anos. E desde então nada.
    Não por que eu não queira, mas de todas as pessoas que eu já quis ficar, nunca houve reciprocidade. Eu sempre fui a gordinha da turma, e por muito tempo me encanei com isso. Há algum tempo eu superei, e hoje me sinto bem, mesmo com os quilos à mais. Mas nunca nada, se é que você me entende.
    E o pior de tudo, é que eu sinto que eu tenho muito pra dar, afetivamente e sexualmente. Eu já morei fora do país, sou poliglota, leio muito, assisto a muitos filmes, e modestia parte não me acho feia. Me pergunto o por quê de nada ter acontecido na minha vida amorosa até hoje. Ainda mais estudando numa Universidade Federal, onde há tantas pessoas.
    Mas também penso que se já esperei até agora, não vou me entregar pra qualquer um. Eu acredito que exista o dito “grande amor”, eu vejo ele em histórias ao meu redor. Só espero que eu seja digna de encontrá-lo algum dia.

    • Nossa, Carol, parece q vc ta me descrevendo aí! rs
      Essa sou eu. Sempre que me interesso por alguém não é recíproco, não sei se meu “radar” é ruim ou se eu é q ñ sei conquistar. Também sou gordinha mas me considero bonita, não quero acreditar que esse fator seja determinante, afinal ja vi muitas mulheres menos bonitas encontrarem caras bem legais. E eu também penso que, se ja esperei até agora (quase 29), não quero que seja com qualquer um, de qualquer jeito. Se td panela tem uma tampa, espero encontrar a minha também! rs

    • Carol,
      Estamos na mesma situação!! Pensei que só eu era assim.
      Tenho 22 anos, e beijei um carinha em um show quando tinha 17 anos, e desde então nada..
      Não me considero feia, mas acho que a minha vergonha e seriedade me atrapalham demais. E igualmente a vc, sinto que tenho muito pra dar…
      As vezes juro que sou invisível, só pode..kkkkkk
      Espero que vc encontre seu grande amor!
      Beijos e boa sorte!

      • Meu primeiro beijo foi aos 16 anos e depois beijei de novo aos 21, desde então nunca mais fiquei com ninguém e estou com 23. Mas eu não estou esperando alguém especial não, se o cara for confiável e compreensível com a minha atual situação eu me contento… : D

        • Depoimentos como o da Carol e da Si me deixam muito triste… É muita vida passando lá fora… Conheço outras meninas que também são super bacanas, inteligentíssimas, lindas (mesmo “gordas demais” ou “magras demais”), mas que por alguma razão não se enquadram no maldito padrão… como eu odeio essa palavra.
          E o pior de tudo é saber que tem um monte de cara bacana na mesmíssima situação. Ê mundo!

          • E eu quero é encontrar esses caras! Já pensou como seria?! rs
            Pri, ninguém vive isso, fica nessa “situação” pq quer. Tanto eu, como aparentemente as outras q tb descreveram a msm experiência (ou a falta de), estamos abertas às possibilidades, só que nunca aconteceu de dar certo… Tb ñ dá p se jogar no pescoço do 1º q aparece, né…

    • Meu caso também é parecido, rs. A primeira vez que beijei um carinha foi com 15 anos pór pressão dos meus colegas. Foi no shopping, com todo mundo atrás de uma planta olhando…hahahaha…tenso! Enfim, foi tão horrível que só beijei outro cara com 18 anos! e rolou legal por que eu quis!
      Enfim, a timidez e a beleza fora dos padrões sempre me atrapalharam demais. Sempre quis ser vista e admirada e consegui isso depois dos 20 anos (e depois dos 20 também percebi que isso é uma besteira sem tamanho). Agora com 23 quero perder a virgindade com cara bacana, mas e a vergonha? E a cara de pau de falar que sou virgem?
      Como os homens geralmente reagem a isso? Alguém sabe dizer?

      • Gente, li várias descrições minhas em cada um desse comentários. Beijei um cara com 16 anos e nunca mais fiz nada. Hoje sou uma virgem de 23 anos muito tímida. Detesto sair a noite, o que diminui consideravelmente minhas chances de pelo menos beijar alguém de novo (imagina transar então).
        Não espero mesmo um príncipe encantado, mas tbm não quero que seja com qualquer um, com alguém que me trate mal ou ria por eu ser virgem ainda (nem imagino como se conta isso para um cara…hahaha).
        Tem dias que eu penso ‘ah, foda-se ser virgem para sempre’ e outros me dá vontade de chorar por estar perdendo algo tão importante.
        Mas me conforma um pouco saber que tem mais gente na minha situação.

        • Não tem nada a ver isso – eu também não saio à noite, acho um porre, não combina comigo, odeeeiiooo!! *risos* Gente se conhece em qualquer lugar – escola, universidade, local de trabalho, feira livre…não precisa “baladar” para conhecer gente. Aliás, em baladas o pessoal via de regra está bêbado, descontrolado, só quer curtir…não é exatamente o local mais provável para se encontrar alguém com bom papo, que te atraia e que te interesse (pode acontecer, claro! nem toda balada é lugar de gente fútil/desmiolada e que só quer dar uma trepada e pronto).

          Meu primeiro beijo foi aos 22 anos, e minha primeira transa foi com o mesmo cara, mas nem sei dizer que idade eu tinha, pois fomos aos poucos…(mais detalhes abaixo)

          Sinceramente, acho essencial esperar a pessoa certa, e/ou o momento certo, SIM. Não só p/ transar, mas p/ beijar. Claro, a pessoa certa não necessariamente é o príncipe encantado, e não é preciso que vc. esteja necessariamente apaixonada…acho que a pessoa certa é aquela em quem você tem interesse e confiança o suficiente, e que vc. sabe que vai te respeitar. E, sobretudo, é aquela pessoa que você QUER MUITO beijar, abraçar…enfim, tem que ter desejo, senão não faz sentido.

          Quanto a contar que é virgem, e a reação do cara: acho essencial contar mas, mais do que isso, acho essencial fazer quando, onde e do jeito que VOCÊ quer. Se o cara não topar, ou quiser forçar a barra, não hesite: pé na bunda dele.

          Meu namorado (aquele mesmo que beijei aos 22) esperou MUITO, porque fui muito clara com ele sobre minha intolerância a dor e a tortura física e/ou psicológica *risos* Cansei de ouvir histórias de horror de conhecidas sobre a primeira vez…não achava, como continuo não achando, que é “normal” doer e sangrar, nem na primeira, nem na décima vez!!!

          Como disse, nunca tinha tido tipo algum de intimidade com ninguém – porque, justamente, nunca tinha me interessado por ninguém! Pra que beijar ou transar com alguém insignificante?? Que você não conhece, não admira, não sente nada, nem paixão, muito menos tesão?!? Não faz sentido, então o melhor é esperar – mesmo que você tenha conhecido alguém bacana, se não se sente preparada (tudo bem que frio na barriga todo mundo sente mesmo, ansiedade é normal!), melhor continuar aguardando.

          Foi interessante, pois (justamente por uma série de fatores, como não achar graça alguma em baladas, não ser uma pessoa noturna, por timidez, falta de auto-estima, insegurança com meu corpo, falta de espírito sociável e afins) conheci esse determinado rapaz via internet, como vários outros (mas alerto: tem muuuuito doido por aí, cuidado meninas!!! Sejam muito precavidas, todo cuidado é pouco, tem MUITA gente psicopata nesse mundo, vc. tem que saber “filtrar” as pessoas, conversar BASTANTE antes, JAMAIS mande foto alguma para ele, nem dados pessoais de qualquer espécie e, se for encontrar o fulano pessoalmente, conte para sua família e/ou amigos de confiança (ou inclusive vá acompanhada com alguém – essa pessoa que te acompanha pode ficar observando de longe se vc. quiser se garantir), diga exatamente onde e quando se encontrará com a tal pessoa, procure saber informações exatas a respeito dessa pessoa – nome completo, telefone, idade, etc.) e pesquise para verificar a veracidade das informações ANTES de ir…peça para ver fotos do indivíduo (não que isso seja garantia de nada, pois qualquer um pode mandar qualquer foto) e marque o encontro num lugar seguro e movimento, num horário bom, e de preferência que esse lugar te seja familiar, para que vc. possa sair dali a qualquer minuto que quiser).

          Geralmente as pessoas se mostram sob máscaras na internet, gostam de se mostrar mais isso ou mais aquilo, e normalmente são piores na vida real *rs* Tive sorte de me surpreender positivamente na maioria dos casos com as pessoas que conheci online (elas eram bem parecidas ou até melhores do que pareciam na net, incrível!! *rs*).

          Enfim…encontrei com esse rapaz algumas vezes e, quando percebi que estava interessada nele o suficiente, pois nunca havia sentido aquilo por ninguém até então, tomei a iniciativa (sim, nunca havia beijado ninguém até então, mas e daí??? *risos*). Depois do beijo, contei para ele (óbvio, pois ele devia ter reparado :P) e ele não só não tirou barato da minha cara, como se surpreendeu, disse que tinha adorado meu beijo, e que eram poucas as mulheres que tomavam a iniciativa (o que ele achava uma pena!! hahahahahah).

          A coisa entre a gente foi esquentando conforme o tempo foi passando, mas eu não hesitei em me mostrar muito brava e insatisfeita, e nem em dar tapa na mão boba dele!, até que eu me sentisse segura e confiante o suficiente para deixar que ele colocasse a mão aqui ou ali :P MUITO MENOS sexo…o cara teve que esperar bastante até que eu me sentisse à vontade para uma intimidade maior.

          Gradualmente, chegamos ao ponto de masturbarmos um ao outro, sexo oral e tal…mas quanto à penetração….toda vez que ele tentava (só encostava, hein :P) já doía, e eu mandava parar tudo. Demorou bastante, mas valeu a pena…ele começou colocando o mindinho hahahhahaha Quando não doía mais, ele passava p/ outro dedo e assim foi…quando, finalmente, dei o sinal verde, não doeu absolutamente nada, não sangrou nada, e, apesar de não ter tido orgasmo, tive muito prazer, foi exatamente como eu queria. Recomendo o método hahahhaha

          Claro que nem todo homem é paciente, e nem toda mulher é chata e/ou fresca e/ou medrosa e/ou intolerante quanto eu hahahhahaha Mas mesmo assim, acho que sexualidade é uma coisa muito íntima, muito particular, e só tem sentido quando é algo prazeiroso para você. Quando se torna fardo, fonte de angústia, de dor, ou uma espécie de obrigação, é porque tem alguma (ou muitas!) coisa errada. Claro que sempre se deve pensar em agradar a(o) parceiro (a) também, e não pensar apenas no prazer próprio, mas não a ponto de, só para agradar, fazer algo ou tomar uma atitude ou adotar algum tipo de comportamento que vai contra o que você é, como você se sente e as coisas nas quais você acredita.

          Como já disseram aqui e em tantos outros lugares, parece que fomos de um extremo a outro – da sexualidade absolutamente reprimida à sexualidade absolutamente banalizada. Se antes se cobrava virgindade e se ditava que mulher não podia ter interesse em sexo, agora parece que todo mundo tem que ser absolutamente desencanado, liberal, sair dando pra qualquer um em todo e qualquer lugar e ocasião, e que há uma obrigação em ter orgasmos fodásticos. Sei lá, acho que cada um tinha que cuidar da sua própria vida….quer permanecer virgem porque você ainda não achou o momento certo, ou a pessoa certa? Beleza! Quer dar pra 10 caras no mesmo dia? Manda ver! Quer transar no décimo encontro, ou no primeiro? Faça como quiser. Se o cara te julgar – te achando ultra-conservadora ou puta, que seja – mande à merda.

  57. Carol, eu acredito q vc seja linda, de verdade e deve ter muito a oferecer numa relação.A questão é: será q vc n está idealizando demais não? E tem o lance do medo. Talvez vc n se acha capaz de conseguir alguém legal…
    Eu tenho 23 anos e perdi minha virgindade recentemente galera. Doeu muito na primeira vez, na segunda, na terceira e só melhorou na quarta. E sangrou também. A sorte é q eu fiz com alguém muito legal. Ele não é meu namorado, mas é super confiável e compreensível. E isso ajudou pra caramba. Meu conselho é: Não fiquem esperando o príncipe encantado ou o namorado perfeito. E nem fiquem nessa onda de q só vai dar qdo valer a pena, q vai ser perfeito e mimimi. Percam com alguém legal, q vcs n amem tanto e q tenha confiança. E da primeira não vai ser boa…

    [Detalhe: perdi tarde pq tinha os grilos q eu disse ai em cima. Por isso os citei. Bjos]

    • Não é questão de idealizar. É uma questão de simplesmente não ter encontrado alguém.
      Eu não encontrei a pessoa “super confiável e compreensível”, entende? Ou quando encontrei não foi mutuo, ele tinha namorada, ou então é meu amigo, haha!
      Realmente existe o lance do medo, pra quem isso não existe? E não idealizo que seja perfeito, mas tem que ser com uma pessoa legal.

  58. Oi, Le!
    Eu tb fui uma virgem tardia! Tinha 22 anos. Foi com meu segundo namorado (o primeiro eu vim a descobrir depois que era gay! No sex for me… hehe). Foi a primeira vez dele tb (com 23), e a gente continua juntos. Nós dois somos tímidos.
    Eu não senti dor propriamente dita e não sangrou nada, foi mais um desconforto horroroso nas primeiras vezes. Super frustrante, eu só pensava “meu deus, eu nunca vou gostar disso!” hehe
    Mas lá pela quarta já foi ótimo e depois só melhorou.

    Beijo!

  59. Cambada , não tem idade certa para a primeira vez. Importante é que seja com uma pessoa que se der algo errado essa pessoa vai arcar com suas responsabilidade e não te deixar na mão, por isso sou contra sexo casual , sexo casual gera mãe solteira, pq não existe amor, o homem e a mulher transa pelo simples fato de sentir prazer.

    Um conselho para as mocinhas indecisas, seja você mesma, não vai pela cabeça dos outros não.

  60. Transei a primeira vez com 21 anos, com um namorado de apenas 1 mês. Foi ótimo. Doeu muito, só sangrou lá pra 4ª vez, mas mesmo assim era tão gostoso que a gente conseguia arrumar uma posição que não doesse tanto, só pra não ter que parar.

    Gosto muito dele, e somos muito felizes.
    Nunca acreditei em principe encantado, nem nada desse tipo. Alias, devio a um trauma quando era criança, nunca nem acreditei em amor (de homem e mulher). Minha adolescencia tambem foi tranquila, nada de pressão. Sempre tive minha cabeça no lugar.

    Hoje em dia, já consigo acreditar no amor, mas não pense que transei com ele pensando que ele seria o homem da minha vida. Transei porque quis, porque estava pronta pra isso, e pronta tambem para que se não desse certo, bola pra frente.

    Mas deu certo, e hoje já falamos de casamento e tudo. É, a vida pode ser bem engraçada as vezes !!

    Beijos Letícia, amo seu blog. Sempre leio, mas é a primeira vez que comento !!

  61. aah, esqueci de dizer como foi né?
    Foi num motel lindo, com banheira e tudo mais.
    Ele comprou vinho, e foi super romântico (apesar de eu não ser muito melosa.. rs) Toda hora eu mandava parar, toda hora a gente trocava de posição, cheguei até a chorar de dor. (Sério homens, dói muito e vocês não sabe o quanto – e olha que eu sou bem resistente a dor.) Enfim, ele conseguiu manter o menino dele pronto esse tempo todo! hahahha

    Foi ótimo !

  62. Oi Leticia!

    Nossa, adorei este post! td a ver comigo! rs… sempre fui dessas pessoas tímidas, com todas aquelas inseguranças da adolescência, então pra mim td foi meio tardio sabe.. o 1o. beijo, o 1o. namorado e claro a 1a.transa, por isso entendo mto bem esses dilemas que todo mundo tem! engraçado como esse post me fez lembrar o qto virginidade era um tabu besta antigamente, né mesmo? no passado se achava que pra uma mulher perder a virgindade teria que perder o hímen, mas sempre me questionei: será que virgindade é só isso?!

    Lembrei de uma piadinha besta: “A mocinha estava prestes a se casar, o noivo (tonto) imaginava que ela era virgem, chegando próximo do dia do casamento ela procurou sua mãe desesperada -mamãe não sei o que faço, o meu noivo pensa que sou virgem, mas não sou. A mãe vivida, conhecedora, acalmou a filha dizendo: calma, minha filha não fique nervosa, vou te ensinar um truque que é tiro e queda. Na noite de núpcias, antes de vocês treparem, você vai ate o banheiro e cola um pedaço de bexiga na região da danadinha, volta pro quarto, deita, deixa ele colocar e na hora H, ele vai sentir um estalo, logo imagina que é seu cabaço estourando. -Puxa mamãe ótima ideia, farei desse jeito! Na noite de nupcias, começou o rala e rola, de repente ela pede para ir ao banheiro e fez tudo direitinho como sua mãe ensinou, voltou pro quarto e apagou a luz, o rapaz desconfiado, acendeu a luz e ficou olhando entre as pernas da mulher, não parava de olhar. Até que ela não se conteve: -Que é, nunca viu um cabaço??? e ele responde: -Ver já vi , mas escrito feliz aniversário nunca !” kkkkkkkkkkkkk

    Lê, eu tinha 24 anos qdo tive meu 1o namoro sério. Lembro que a primeira vez que deixei me levar pelos amassos, que fiquei nua, que peguei no pau dele, e fizemos oral e outras “brincadeiras”, pra mim foi muito mais marcante do que propriamente o dia que rolou a penetração sabe! tanto que eu pensava: putz, depois de td isso, será que ainda sou virgem? rsrs.. pra mim já não era, pois o simples fato de já ter curtido tantas intimidades e até gozado, a penetração em si deixou de ter aquela expectativa, então o dia que rolou foi totalmente natural! instintivo eu diria… Curti pra caramba, não senti dor, apenas um leve desconforto, e só percebi que tinha sangrado um pouco qdo fui ao banheiro no final da transa.
    Sobre o dilema de contar ou não, é algo totalmente pessoal. Particularmente, embora fosse meu namorado e eu confiasse nele, optei por não contar (tinha uma certa vergonha da idade e medo da reação) então não contei, ele tb não percebeu e eu acho que fiz certo não ter contado. Acho que as pessoas que não se sentem seguras pra contar, não devem contar, isso não é o mais importante pro momento. O importante é estar a fim de fazer naquele momento e com aquela pessoa. Lógico que o sexo melhora com o tempo, as experiência, a prática, mas nem por isso a minha 1a vez deixou de ser especial, justamente pq foi na hora certa e com a pessoa certa. Não acho que deve-se esperar o “príncipe encantado” mas acho que deve ser sim com alguem que se goste, que seja bacana e carinhoso, e com responsabilidade ,claro, pois camisinha é fundamental.

    Bjsss! Jú

  63. Oi Letícia, eu leio seu blog sempre. Tenho 16 anos e sou virgem. Justamente, esse é o meu problema (ta, não é um problema, mais é um saco). Eu não sou virgem por opção, ou por não querer que seja com “qualquer um”, ou por querer transar só depois de casada, nada disso.
    Eu moro com meus pais e vou morar ainda por muito tempo, pretendo fazer medicina, meus estudos vão demorar e enquanto isso não vai dar mesmo pra eu morar sozinha.
    Meus pais são muito conservadores, pra ter uma noção, nem namorar eles deixam (claro que faço isso escondido então).
    Só que pra transar escondido não rola, minha mãe vive colada em mim, fazemos tudo juntas, vamos ao cabeleireiro, ao dentista, a ginecologista, a depilação, tudo! Por um lado é bom, eu amo minha mãe, mas por outro, como vou esconder uma coisa dessas dela? Não tem conversa com ela nem com meu pai.
    Poxa, eu sou bem informada, sei sobre as DSTs, sobre a importância da camisinha, etc.
    Eu tenho um pensamento bem aberto sobre relações, assim como você.
    Fora os meus pais, têm o povo da minha cidade inteira (interior é foda). Aqui quem dá é puta. Até as meninas (tipo eu) que já ficaram (beijo na boca) com muitos meninos, corre o risco de ser consideradas putas. Mereço não viu? KK
    Ou até minhas amigas, pensam de maneira conservadora, não sei mais onde eu desabafo. Alias, aqui encontrei um lugar!

  64. Ahhh…esse post me trouxe recordações tão boas!
    Minha 1ª vez também foi bem tarde para esse benditos padrões. Tinha 26 anos com um namorado, estávamos juntos acerca de um mês.
    Não aconteceu antes por vários motivos, encanações minhas, insegurança, idealizações e por fim medo de contar para os caras que eu ficava que eu era virgem, mas também não queria que acontecesse de qualquer jeito. AEu tinha medo que o cara pensasse que é O cara só porque era a 1º vez. Enfim…medo gera insegurança, que gera mais medo…parece um ciclo sem fim! Para vocês terem uma idéia depois da 1º vez pensei…me livrei dessa…agora posso transar com que eu quiser…hehehe
    O bom é que cheguei a uma maturidade legal, então quando aconteceu eu sabia que não era o homem da minha vida, mas sabia que era uma pessoa em quem eu podia confiar.
    E foi muito legal, ele estava muuuuito nervoso porque não queria me decepcionar, foi muito carinhoso! Doeu, mas não foi nada insuportável!
    O namorado se foi, como eu disse, não era o homem da minha vida. Mas ficou a lembrança tão boa desse dia! Ele foi ótimo, mas digo a vocês ele ser ótimo não faria a menor diferença se eu não soubesse que era exatamente o que eu queria.

  65. Letícia, queria chegar nos meninos (não em um em especial) mas não sei como fazer isso. Sou delicada, mas queria parar de esperar eles resolverem chegar em mim. Não combina comigo um comportamento agressivo (tenho 14 anos) queria umas dicas, quem comentar aqui pode me dar um help?

    • Eu entendo bem como você se sente, porque também sou assim. Não quero influenciar ninguém, mas quando eu bebo, mesmo que um pouco, me sinto mais solta e consigo chegar nos caras. Mas aqui vai uma dica: você não precisa chegar e dizer: quero te lamber todo gostosão. Chega com um papo sobre o ambiente, a música, se ele se interessar ele continua conversando com você, senão ele some, simples. Aí é só jogar seu olhar inocente angelical (que deve ser o que combina contigo, senão sei lá dá umas piscadas e lambe os lábios HUEHEUHE) que vai rolar naturalmente. Boa sorte o/

  66. Gente, lendo os comentários acima, cheguei à conclusão de que sou uma sortuda. Quando tive a primeira relação vaginal não senti nada de dor nem de ardor nem nada de desconforto. E só descobri que havia sangrado quando vi o pinto do meu namorado manchado de sangue. Talvez ajude o fato de eu sempre ter me masturbado bastante e de no dia da primeira tranza eu estar completamente lubrificada (eu sou de molhar lençóis). E só não gozei porque ele gozou muito antes e acabou a festa.

  67. A minha primeira vez não doeu tanto assim, apesar de ter rolado um certo desconforto, talvez devido à posição (dentro do carro, era meio complicado fazer um papai e mamãe basico ahahahah !), mas também devido ao nervosismo de ambos. Eu tinha quase 17 anos, meu namorado da época tinha 19. A pressão era realmente muito grande, o medo de fazer algo errado, do menino não gostar, de EU não gostar, do menino me achar uma menina facil (apesar de três meses namorando antes, essa pressão era muito pesada para mim na época)… Mas foi bom apesar do nervosismo, não me lembro se cheguei a gozar, mas a minha lembrança é de uma boa experiência.
    O engraçado foi que ELE não admitiu que era virgem, so foi confessar muuuuuito tempo depois…

  68. Muito legal ler e aprender com as experiências de vocês.
    Espero um dia poder colocar alguma experiência legal para vocês lerem.

    Até. : )

  69. Perde minha virgindade aos 23 anos com um desconhecido, quis me livrar dessa tensão! Me senti ótima depois, pois não ia ficar com o carinha na cabeça, nunca mas vou vê-lo mesmo!

    Beijos Florzinha! =]

    • Eu perdi a virgindade na mesma situação. Só que um pouco mais nova. Acho que a vontade é muito importante. Se vc tiver muito afim, mesmo doendo vai ser interessante.

    • Apoiado Florzinha, essa turma fica esperando um cara carinhoso, paciente, cabeça, tranquilo, etc. Tão pensando que sexo é o que? Algo de outro mundo? Depois ficam se perguntando: é só isso??? Acho que elas deveriam procurar um marciano. Voce está certa e deve ser superresolvida na vida. Apoiado

    • Hiane, tu não precisa namorar ninguém pra transar. Se o que tu quer é – pura e simplesmente – fazer sexo, vai numa balada, escolhe o cara que tu quer e deu. Podemos fazer o que quisermos com o que é nosso e ninguém tem nada a ver com isso.

  70. eu perdi a virgindade aos 18 com o meu namorado, que foi um querido (tinha tentado com um outro cara aos 17, que erro). doeu pra caralho e até hj dói muito toda vez. nunca transei com outro cara e fico pensando se eu me sentiria confortável com outro, pq esse meu namorado faz o máximo possível pra eu ficar bem e doer pouco.
    sobre a dor: já perguntei pra minha ginecologista, ela falou que é normal, e me deu um gelzinho tipo aqueles de sex shop pra facilitar as coisas. ajuda, eu recomendo.

  71. Mas doer não é regra não.Já foi comprovado que isso depende de estar relaxada,com tesão,etc.Claro que 98% das mulheres ficam nervosas e dói,mas nem sempre é assim.Não senti dor nenhuma.Não senti prazer either mas pô,tava no lucro não sentindo dor.hahaha

  72. Mais uma que acompanha o blog mas nunca havia postado antes, mas com relação a esse assunto não resistiu. :)

    Essa coisa de virgindade tardia pode ser terrível pra cabeça mesmo. Eu, desde adolescente, nunca tive pretenção de casar virgem, nem acreditava em príncipe encantado e essas coisas. Queria só que a primeira vez fosse com alguém bacana, e que importasse comigo antes, durante e depois, e não com um FDP que só iria usar e descartar. O tempo foi passando e eu ainda virgem, pq não tive muitos relacionamentos na adolescência (eram mais ficadas de 1 noite só), e nos poucos que tive, nunca me senti suficientemente segura para prosseguir, nunca confiei em nenhum deles. Quando passei dos 20, passei a sofrer uma pressão absurda das amigas, a ouvir piadinhas, mas não me importei, não queria forçar uma situação que talvez me fizesse mal só para agradar a terceiros. Enfim, minha primeira vez só veio rolar mesmo com 27 anos. Foi com um carinha que eu estava saindo, alguém que achei legal e me deixou segura e confortável, exatamente como eu precisava. Ele sabia que eu era virgem, não se apavorou com isso e também não me pressionou para rolar nada, esperou meu tempo. A primeira vez que tentamos estava tensa demais e não consegui, ele foi super compreensivo. Depois, num outro dia, as coisas simplesmente fluíram. Não fiquei tensa, senti pouquíssima dor e só fui perceber que havia sangrado depois, quando fui ao banheiro. Ele foi carinhoso e atencioso o tempo todo, exatamente como eu precisava. Tenho uma lembrança maravilhosa da 1ª vez, por isso não me arrependo nem um pouco por ter esperado, por não ter abrido mão do que era importante pra mim.

  73. Perdi a virgindade ao 28 anos com o rapaz que era meu noivo.
    Pra mim o sexo foi decepcionante , eu achava que esperando alguém especial tudo rolaria bem, que o amor tornaria tudo mais fácil mas o resultado não foi o esperado. O rapaz em questão já na nossa primeira vez ficou brochando de ansiedade . Dei mais chances e foram seguidas de diversas relações com ele tendo ejaculação precoce, e me procurando poucas vezes .Quando o questionei ele fez com que eu me sentisse culpada por cobrar algo dele. Deixo claro que não agi como uma virgem inocente, sempre estive disposta ao sexo e sem nojinhos,o que me faltou foi alguém de alta libido , criatividade e boa vontade .

  74. Eu perdi a virgindade com 18 anos, não aguentava mais esperar pra transar, tive várias oportunidades antes mas não quis, então numa baladinha fiquei com um carinha que já havia ficado antes e rolou. Eu contei que era virgem, doeu muito, alias doeu nas primeiras vezes.
    Acho que temos que contar sim que somos virgens, por que dai o cara vai mais “devagar”.
    Não foi com ninguém em especial não, e não me arrependo nem um pouco.

  75. curti muito o post…pois bem,tenho 22 anos,virgem e n tenho nenhuma vergonha disso(nem tenho pq sentir),e nao,nao sou feia,nem sou “crente”,nem estou esperando o principe encantado; parte do fato eh por eu nao ser to tipo que fica com muitos caras,ou q esta sempre com um,eu simplesmente fico com quem eu quero e se ninguem me interessar fico sozinha e n vou pra balada. Tbm tem o lance de eu me achar (e sou) muito magra e nao sou tao satisfeita com o meu corpo… eu tenho MUITA vontade de fazer sexo e por isso sempre penso em fazer com um desconhecido pra nao ter q vê-lo nem ele a mim, mas ao mesmo tempo nao quero fazer com qqr um,uma pessoa q eu n conheço,que eu n sei como vai me tratar,se vai respeitar se eu me negar a alguma coisa…mas tem um “amigo” q eu saio de vez em quando,que eu “confio”,que rola muito tesao e sei q vai dar tudo certo,ele quer que role mas ele n vale nada.Entao fico nesse vai-nao-vai…so queria dar pra alguem que nao fosse so por tesao ou so pq eu quero fazer,n so me comer e ir cada um pro seu canto…mas confesso que as vezes queria ser Leticia,qm sabe um dia?!

  76. Tenho 19 anos e ainda sou virgem, sofri abuso duas vezes… Então quando chega na hora, eu meio q travo.
    Falei sobre o assunto com meu ex, q por sinal era virgem tbm(ele tem 17 anos). Até tentamos, eu tava afim e talz.. Mas na hora n rolou =/
    E nem a minha mãe sabe q eu sofri abuso sexual :x

  77. Eu esperei conhecer um cara legal, tive oportunidades antes mas eu não estava realmente apaixonada pelos caras e não tive vontade de fazer nada. Eu estava esperando surgir a vontade, comecei a namorar e daí senti aquela vontade louca. Não fiquei com essas paranóias da idade, eu queria era que meu corpo mandasse, então ele mandou e não me arrependo. Foi com 21. Como já estava namorando a um tempo e ele também era virgem, descobrimos tudo juntos, cada dia a gente tentava um pouquinho, a penetração demorou um tempo pra acontecer, a gente mais se acariciava do que tentava penetrar. Assim fui me soltando…soltando…e ele também, até que chegou o momento de ficarmos seguros um com o outro. No primeiro dia doeu, parei no meio. No outro dia doeu de novo, mas ele conseguiu penetrar. E nas próximas vezes a dor passou e aí sim eu descobri o que era um bom sexo!

    Tenho um sério preconceito das pessoas que querem se livrar logo da virgindade com qualquer idiota que aparece na frente.
    Pra mim fez toda a diferença o jeito que aconteceu, pois se fosse qualquer carinha, eu só ia fazer por fazer e não porque estava morrendo de tesão. E do jeito que aconteceu tbm, com todo aquele carinho e carícias quentes por vários dias, foi ótimo! Se fosse no primeiro encontro, por exemplo, eu sentiria aquela dor toda e ia me apavorar como algumas que comentaram e ia ficar com receio de fazer de novo.

    Por isso, eu acho, que o melhor é sentir aquela puta vontade, e com alguém especial sim, por quem vc estiver apaixonada, e vc sentir que ele está tbm, e não com aquele q só quer te comer.

    • Muito legal seu relato Priscila! Também acho muito mais gostoso descobrirmos coisas com pessoas “especiais” para nós. Mesmo que não haja amor, em algumas vezes, havendo aquele carinho bacana, já é uma grande coisa. Nem sempre haverá paixão, porém, nada impede de viver momentos inesqueciveis com pessoas que você não ama profundamente. Faz parte da vida né? Há sempre pessoas com perspectivas diferentes.
      Beijos!

    • Quando se fala em sexo não existe verdade absoluta( aliás; em nada!). Por isso, respeito opiniões diferentes, divergentes pois sexo é bom, é tão bom que a pessoa faz como quer, quando quer,com quem quer, da maneira que mais lhe convier ou simplesmente não faz. Quem sou eu pra contrariar qualquer opinião???Mesmo discordando; só devo respeitar!!!

  78. Vi o relato da Priscila, e achei legal, mas a sua resposta….

    A partir do momento que abre um site para ter comentários, você tem que aceitar o que os outros pensam. Você vem com um discursso todo montadinho, quando alguem te critica, mas quando alguém coloca alguma coisa que não te agrada, você também fica irritadinha.

    Como você mesma diz, cada um faz o que quer, e assim como você quer que respeitem sua vontadade inicial, que era ter N parceiros em um ano, respeite quando alguém é contra.

  79. Eu sempre fui muito precoce, acredito eu que a vida me fez assim.
    Tenho uma irmã mais velha e meus pais queriam que sempre estivéssemos juntas, que fossemos companheiras e blá blá. Então entrei cedo na escola, e como era escola particular, na mesma sala da minha irmã, acompanhei a turma que era mais velha (da idade da minha irmã).
    Em casa ficava na companhia das empregadas de casa, que eram adultas, amadureci muito rápido.
    E o tamanho também ajudou, alta e com corpão.
    Me apaixonei perdidamente aos 11 anos, e o namoro vingou quando eu estava com 12 anos e ele 14 anos. (Muitos desencontros).
    Transei pela 1ª vez aos 13 anos. Na primeira e segunda vez não doeu nada, e também não senti nada. Não contei pra ninguém, minhas amigas mal beijava os paqueras. Mas fui ao ginecologista (como era bem grandinha, ia ao médico sozinha).
    O hímen rompeu na 3ª vez, e doeu muito.
    Namoramos por mais 3 anos, guardo boas recordações dele e de tudo que vivemos.

    • Eu só comecei a me masturbar muitos anos depois de ter transado a primeira vez.
      Tinha impressão que não podia, e para falar a verdade não sabia como era.
      Só tinha escutado falar.
      Um dia não lembro porque tentei e gozei. A partir da masturbação aprendi a gozar com penetração.

    • Olha, quando era mais moleque fazia bastante, mas agora posso ficar umas 3 a 4 semanas sem fazer.
      As vezes quando fico ancioso, me dá muita vontade toda hora.

    • Sim, acho importante conhecer o próprio corpo, e o prazer que ele pode proporcionar, por si mesmo, não é preciso esperar alguém pra fazer certas descobertas.

    • Eu perdi a minha virgindade a pouco tempo e sempre me masturbei… me masturbo já faz tanto tempo que nem lembro quando foi a primeira vez. Lembro que com 7 anos já era comum pra mim. Masturbação é uma parte essencial da minha vida desde sempre! não conseguiria viver sem…

  80. Minha primeira vez foi com 17 anos, estávamos namorando a 1 ano. Era um namoro de escola. Estávamos apaixonados, e sem combinar nada um dia rolou. Eu achei que ele sabia que eu era virgem, mas ele só descobriu muito tempo depois quando falamos sobre o assunto e ele confessou que era virgem também.
    Dois tapadinhas;
    Essa primeira vez foi bem difícil, não entrava, já havia perdido o tesão, e ele tentando, tentando. Doeu, mas não horrores, e nas vezes seguintes também, até que foi melhorando. Namoramos mais uns 2 anos.
    Troquei de namorado e descobri o que era sexo.

  81. Eu perdi a virgindade com 24 anos, prestes a fazer 25. eu tinha encanações,achando que eu era única virgem no planeta com essa idade. Não sabia que era tão comum outras pessoas na mesma situação que eu passei, só fui saber por causa dos comentários nesse post.Acontece que eu tinha vergonha de falar para os caras que eu ficava, e daí sempre que eu tinha oportunidade eu pulava fora. Só que jamais eu tive vergonha de falar isso para minhas amigas. Elas sempre souberam disso e nunca acharam estranho e nunca me cobraram ou fizeram piadinhas. Acho muito estranho essas meninas falarem que sofreram pressão das amigas. Po, se elas não respeitam sua decisão, o seu momento e intimidade é pq não servem para serem amigas. Eu cortava do meu convívio. Que coisa escrota!

  82. Interessante. De todos os comentários (sem contar os replys), somente 2 eram de homens.

    Mais um aqui. Homem, 24 anos, virgem.
    “Por que?” E precisa de motivo? Simplesmente nunca aconteceu.

    Sim, já me apaixonei (e muito), já sofri vendo essas garotas por quem era apaixonado saindo com outros caras enquanto eu era só mais um amigo delas (spoiler: acredito sim em amizade entre homem e mulher, além de somente sexo como sempre aturei outros homens me falando), amigo esse que dava conselhos, ajudava e etcs.

    Não sei se alguém que eu conheço ‘in real life’ sabe, sempre evitei falar (“Nunca faça muitas perguntas”), e nas vezes que precisava sempre consegui “enganar” de um jeito ou de outro (“nunca conte mentiras, apenas omita fatos”).

    No meu caso, sempre tive uma luta interna entre meu lado conservador e meu lado liberal. Felizmente o lado liberal ganhou.

    Hoje, vejo minha vida de dois lados: lado profissional e lado pessoal. Lado profissional é um lado feliz, não tenho muito do que reclamar. Já o lado pessoal, é completamente destruído, por isso que não me preocupo mais em ser virgem ou não. Vai acontecer, se acontecer e quando acontecer, apenas deixo a vida acontecer.

  83. Olá !!

    Tenho 33 anos e sou virgem. Creio que esta característica se deve a um conjunto de fatores, como uma mãe repressora,
    timidez e introspecção, uma curiosa baixa auto-estima. Sei exatamente as aflições que nós homens passamos em virtude
    disso. Sendo assim gostaria de compartilhar sobre minha vida para que talvez sirva para outros homens aflitos como eu.
    Da minha parte descobri com muita reflexão na solidão, geralmente após ter me afastado de pessoas que tanto gostava.

    Creio que quando uma pessoa mais velha diz “Sou virgem” ela esta dizendo na verdade algo como “Ei sou sozinho(a) não
    tenho ninguem, nao tenho ninguem para andar de mão dada, nao tenho ninguem pra mim buscar água ou tomar cuidado, pra sair ou não fazer nada apenas ficar junto, não necessariamente fazer sexo”. E isso dói… Não sei o que acontece comigo,
    um medo me invade quando eu sinto alguma afetividade por uma garota, primeiro que não sei o que faço com isso, algo como
    um “analfabetismo afetivo”, como se fosse uma ameaça, gostar de alguém e deixa isso florescer é vulnerabilidade…
    cresci num ambiente tumultuado filho único entre pais que brigavam constatemente, com minha mãe me relatando as traições
    de meu pai como se eu fosse um confidente, isso eu com 10-12 anos, e assim me mantive sozinho me esquivando de garotas
    em festas e ambientes públicos. Já fui rotulado de gay e tudo mais, as vezes me sinto distante de todos, das pessoas,
    como as vissem sempre de longe como o personagem michel do livro “Particulas elementares – Houellebecq”. Devido essa
    conciencia tento me aproximar treinar e tentar desenvolver meu lado afetivo, e as vezes duvido se vou conseguir afinal
    tantos anos depois, estou numa aventura de me conhecer cada vez mais, me respeitando sempre. Problema em ser virgem com
    33 anos ? Não, nenhum! Problema é ser afetivamente virgem com 33 anos e ao deitar lembrar de algumas garotas passaram
    pela sua vida e se foram pois desistiram frente a alguém indiferente, é sentir tristeza por nao conseguir expressar, e
    comprar presentes e agrados para a garota por nao conseguir dizer algo simples como “Putz, eu gosto tanto de você!!!”.
    Talvez eu consiga e me esbalde nas aflições desamores e toda a desilusão e felicidade que é gostar de alguém e demostrar isso de forma plena…

    desculpe pelos erros ortográficos….

    • Foo
      Gostei muito do teu comentário!
      Concordo inteiramente que ser virgem sexualmente até pode ser um problema, mas ser virgem emocionalmente é muito mais sofrido!
      Não conheço nada da tua história ou coisa assim, mas já pensaste em fazer terapia???
      Falo isso pq faço a +/- 5 anos. É o investimento mais difícil mas também mais bonito que já fiz na minha vida!
      Porque a vida tem tantas oportunidades bonitas, tantas coisas boas para passarmos por ela sem senti-la realmente né!
      Desculpe a intormissão!
      ;)

    • Foo, acho que dar um conselho no seu caso é pisar em campo minado, cada um sabe bem onde o calo aperta, e é fácil falar quando estamos de fora.

      Mas vc tem que trabalhar isso, pq não procura um terapeuta pra juntos trabalharem essa sua timidez ou “analfabetismo afetivo” ?
      Acho que faria bem pra vc, compartilhar com alguém que possa efetivamente te ajudar a superar essa barreira!

      Torço por vc

      Bibi

    • Veja bem Foo, problemas por mais graves que sejam sempre tem soluções. O seu, não foge a regra, busque ajuda psicológica de um profissional. Vá a luta, sei que não é fácil; mas se você encarar os problemas de frente e confiar que sua luta não será em vão, quem sabe você encontre, até com certa facilidade uma solução. Viver vale a pena, não se acomode e comece sua luta agora. Sucesso!!!

    • Não sei se terapia é a solução. O pessoal fala em terapia como se fosse o pó de pirlimpimpim mágico e que tudo fica bem assim que você toma a decisão de entrar num consultório de psicólogo ou psiquiatra!!! *risos*

      Eu tb. me sinto ignorante em termos de afetividade…tive 2 relacionamentos até hoje mas não me sinto muito mais segura que antes hahahhahaah Também me assusto ao perceber que gosto de alguém, ou que a pessoa gosta de mim, mas tenho me obrigado a não fugir. Porque não fugir é dar tempo ao tempo…às vezes coisas imprevistas acontecem de onde (ou de quem!) você menos espera….

      Não ando me obrigando só a não fugir, como também a me declarar :P Sei lá, a partir de uma certa idade (tenho 30) você começa a reparar o óbvio: a vida é curta demais. Não bastasse ser curta demais, você nem sabe se vai vivê-la, porque no final das contas, pode acontecer um acidente a qualquer momento, certo? :P

      Faz 20 dias que disse a um cara que o amava. Infelizmente :P O cara tem namorada, disse que não queria nada compromissado, e se mostrou sempre interessado apenas em sexo. Eu não queria só sexo, óbvio, E MUITO MENOS COM ALGUÉM QUE TRAI a namorada!!!, mas, como disse, estou me forçando a conviver com situações e pessoas que me amedrontam, para ver como é, encarar meus monstros, e para me conhecer melhor – quando descobri que ele tinha namorada, apesar de já estar interessada nele, eu poderia simplesmente ter virado as costas e desistido. Mas se você quer saber…sinceramente, eu estava de saco cheio de ficar sozinha. O cara era legal, simpático, lindo, bem-humorado e inteligente…e fazia anos que eu não beijava ninguém, nem recebia um abraço (amigos e família não contam, vc. sabe do que estou falando :P). Apertei o botão do foda-se e fui encontrá-lo….os beijos e os abraços e os olhares dele eram exatamente o que eu estava precisando *risos* CLARO que toda essa situação me deixou muito deprimida, já que eu sabia que não ia dar em nada, e que ele queria apenas uma “variação de cardápio” (!!).

      Não permiti que chegássemos aos “finalmentes” em nenhuma das vezes (foram apenas 4) que nos vimos, porque sabia que isso me magoaria. Continuamos em contato (via email) o tempo todo (nos conhecemos em dezembro do ano passado), ambos expressando dilemas…tinha dias que eu queria desesperadamente fazer sexo com ele (sinto um tesão absurdo pela criatura :P e ele pelo jeito também…hahahhaha), cheguei a convidar e ele declinou…outras vezes, ele queria me ver e eu não fui!! hahaahah Muito irônica a situação toda.

      Enfim…fomos conversando (sempre por email, lógico, já que tem namorada) sem maiores pretensões, mas volta e meia um de nós “desperucava” e a conversa ia para o lado sexual *risos* O fato é que, com o tempo, você vai se apegando…não tem como.

      A mulherada normalmente acusa os caras, fala “ele me enganou!” e, de fato, existe muito canalha enganador por aí.

      Mas precisamos admitir também que sobre certas coisas não se tem (muito) controle…tem coisa que é de pele. E tem sentimentos que são incontroláveis. E tem sentimentos que simplesmente vão aparecendo com o passar do tempo…por mais que a pessoa martele no “não quero criar laços afetivos’, “quero você, mas sem compromisso!” e coisas do gênero…às vezes não dá. Conscientemente você sabe…racionalmente você não teria razão alguma para se colocar naquela situação…no começo, é de fato uma escolha – como eu disse, eu poderia ter caído fora ao descobrir que ele tinha alguém. E mesmo que ele não tivesse ninguém, é do tipo canalha/galinha, ou seja, não é o perfil de homem que procuro. Mas depois de um tempo…acontece. E o engraçado é que tenho razões para acreditar que ele também desenvolveu alguma espécie de sentimento por mim hahahahahhahaha Pode até ser “viagem’ minha, ou ‘wishful thinking”, mas tenho provas materiais pra provar :P hahahaha

      Enfim…mesmo antes de desconfiar que ele pudesse gostar de mim, de qualquer maneira eu queria que ele soubesse que o amo. O cara é galinha? É. É sem-vergonha? É. Ele fala que acredita na poligamia, em relacionamento aberto, mas na prática é mentira, pois não admite que a namorada tenha outro (disse que se um dia descobrir, termina o namoro na hora) – aliás, ele não admite sequer que as “ficantes” (eu inclusive!) tenham outros hahahahhah Absurdo, né? :) E sem contar que, se de fato fosse o caso, ele teria contado à namorada que está atrás de outras. Mas não, eles não têm um relacionamento aberto, e sim monogâmico – portanto, a atitude dele é de alguém que CHIFRA MESMO. Ou seja, ele é um fdp, vamos combinar :P

      E ele nunca quis nada comigo. Vocês devem estar se perguntando “Ué, então por que contar pra ele que o ama??” Porque eu acho que todo mundo que é amado tem que saber que é amado, simples assim. Como eu disse, a vida é curta demais. Se você sente tesão por alguém, por que esconder?? Se você gosta de alguém, qual o benefício em esconder esse sentimento?? Se ama, idem! Só para se prevenir, só p/ não se machucar? Tarde demais… se você gosta de alguém e, por algum (ou mais de um) motivo acha que não pode dizer isso a essa pessoa, é porque você já está machucado, em algum nível, em maior ou menor grau *risos*

      Claro que eu queria ter falado isso ao vivo, olhando nos olhos dele – não por ter esperança alguma não, mas porque acho que uma coisa dessas tem que ser dita pessoalmente, e não por email, nem por telefone, nem carta, nem telegrama *rs* Mas as circusntâncias me obrigaram…e desde então não nos falamos mais.

      Me arrependi de ter falado? Não. De jeito nenhum! Eu precisava falar, aquilo estava me angustiando, como se fosse um segredo horrível…*rs* Sem contar que, lógico, de toda forma o cara já devia saber, era óbvio pelo modo como eu me comportava e o olhava…

      …sem contar que, já disse, acho que todo mundo merece saber que é amado. Independentemente se o sentimento for recíproco ou não. Não é porque a outra pessoa não te ama que você vai (re)negar o que sente por ela…não tem como. E com que finalidade? Isso não traz benefícios a ninguém. Claro que, quando o amor – ou qualquer outro sentimento – não é alimentado, eventualmente morre…

      Portanto, Foo…ao invés de comprar objetos (também pode, as pessoas sempre gostam hahahaha :P), diga sim o que sente. É difícil, e pode ser uma experiência humilhante dependendo das circunstâncias e de quem você estiver lidando, mas via de regra é uma experiência liberadora, que traz alívio até…

  84. Engraçado, andei meio na correria e não lia o blog há um tempinho e agora chego com esse post que tem tudo a ver com minha história de vida.
    Eu também “perdi” a virgindade de forma “tardia”. Sim, tiveram muitas questões povoando minha cabeça….mesmo porque dos 17 aos 20 estava com um cara que me achava um troféu e uma preciosidade por eu ser virgem. Isso contribuiu muito para manutenção desse status já que o pedestal, por mais que venha dessa forma sexista e escrota, é um lugar bacana de se ficar.
    Resumo da ópera terminei com esse cara por conta de uma traição(nos mais variados sentidos da palavra) meses depois me encontrei com ele(carente) ele me levou direto prum drive-in e queria me foder(mais uma vez de todas as formas possíveis)de qualquer maneira… escrotizando.Naquele momento ou melhor…depois que me recuperei…eu percebi que queia fazer aquilo por mim mesma; que não ia perder a virgindade e sim ganhar uma vida sexual e que por fim não era tardio era meu tempo. O tempo deu conseguir ser madura e ver que valores eram certos e errados pra mim e não pruma moral exterior e claro, tempo de colocar minha auto-estima em dia. E te contar procê doeu nadinha!!NADA

    *desculpa o hiper texto mas ó #desabafo

  85. Perdi dias depois de fazer 26 anos…. Sou uma mulher considerada bonita, alta, magra, pele boa, etc.. Por tudo isso meu constrangimento era ainda maior! Acabei resolvendo com um homem por quem tinhanuma atração enorme, estava meionapaixonada mesmo.

    Mas estava tão desesperada pra transar – sempre me masturbei, desde bem pequena, era muito obsecada por sexo, lia muito, fantasiava..- que não contei e praticamente ” devorei” o cara! Haha.. Parti pro ataque, não lembro de tanta dor mas sangrou um pouco. Tive orgasmo, foi bom, pena que acabou criando em mim muitas expectativas, que não resultaram em namoro..

    Na verdade ele foi um dos mais ruinzinos amantes que tive. Mas nas primeiras vezes a gente não sabe exatamente o que pode esperar do sexo, acho eu..

    Achomuito aflitiva essa virgindade tardia. Não acho muto possível ficar desencanada com isso, assim, acreditamdo nos relatos aqui, admiro quem consiga, acho exceção à regra.

    O relato do rapaz acima , virgem afetivamente também, me chamou a atenção… Sugeriria terapia, essa dificuldade deve ser terrível, uma solidão profunda..

    Minha opinião: quanto mais idealizar, pior. Sexo não devia ser tão complicado… Muita gente aqui comentou e eu também endosso: quando finalmente transei pensei ” puxa, tanta ansiedade, tanta agonia pra isso???? ”

    Cem beijos Leticia, às vezes não gosto de você mas é só as vezes! Rs O blog das cancões émuito legal, belo gostomusical!

  86. A minha primeira vez foi com o cara que eu amava ( na época) aos 14 anos. Não éramos namorados, só ficavamos e aconteceu. Foi no banheiro de uma chácara em uma festa com todo mundo da escola la. E claro que doeu muito, as posições possíveis dentro de um banheiro não são mto confortáveis mas foi bom se um modo geral. Lembro que minhas amigas achavam um horror isso ter acontecido. Nunca entendi pq., quer dizer, acho q virei A Vagabunda, mesmo sendo mega tímida normalmente. Voltei a transar só aos 16 depois dessa. Já ouvi várias histórias de gurias de 27, 28 anos (minha idade)que são virgens, acho que e mesmo mais comum do que se imagina. Já ouvi de caras que saem com elas e não querem transar qdo elas contam, tem medo que elas fiquem apaixonadas, que queiram casar com eles, sei la. Acho que a maioria que se mantém virgem e por pura vergonha do corpo mesmo, talvez medo. Bom, não sei, essa e minha opinião. E sobre isso e como naquele seu post sobre gente feia. Me sinto um pco leviana falando assim, mas e o que penso. Adoro seu blog, vc escreve muito bem.

    Wwww.aagridocevida.wordpress.com

  87. Minha ex namorada era virgem. Começamos a namorar quando ela tinha 17 anos e eu já com 29. A mãe dela segurou e impediu que ficassemos juntos. Preconceito por eu já ter sido casado. Quando ela completou 18 anos me procurou. Voltamos a namorar e ela não aguentava de vontade de saber como era. Foi muito bom logo da primeira vez. Fui paciente, fiz ela relaxar demais com massagens e óleos e entrar em um estado de super excitação. O sexo oral bastante prolongado ajudou muito. Ela teve vários orgasmos. Não teria como fingir tantos. A primeira penetração deu um pouquinho mais de trabalho, mas abusando nos lubrificantes a coisa logo foi resolvida, tanto é que ela só veio sangrar de verdade na terceira vez que transamos. Novamente a mãe dela conseguiu impedir o namoro. Terminamos novamente. Pelo menos ela conta aos 4 ventos que fui o homem da vida vida e que não se arrepende do que fez, porque era comigo que ela queria.

    Ótimo post Letícia.
    Bjs

  88. Lê,

    Tava lendo umas coisas, e fiqui curiosa e como em outro post vc tinha pedido ideias de posts, lá vai uma:

    Ejaculação feminina e Ponto G

    O que acha?

    Eu iria adorar ler!

  89. Nossa….
    vendo os comentários aqui fico pensando em como a sociedade é mal-resolvida com relação a sexo. Acho que não deveria ser assim, ter uma idade certa para perder a virgindade e quem é virgem ficar se martirizando por isso… sexo é bom e deveria ser só prazer e prazer e prazer e quem ainda não experimentou deveria ficar tranquilo e as pessoas deveriam olhar com certa naturalidade. É horrível ficar sendo julgado, pelos outros e por você mesmo. Sexo não deveria estar associado com nada de sofrimento, nada de tristeza… É esquisito, parece repressão sexual ao contrário! Antes, quem era virgem era visto com bons olhos hoje quem é virgem é julgado e as pessoas jogam pressão para a pessoa perder logo como se fosse um crime, uma coisa horrorosa…

  90. Boa tarde Leticia, tudo bem?
    Sabe, por muitas vezes quando estou em algum lugar público (ônibus, metro, e tals), qualquer lugar onde eu fique ocioso demais eu começo a olhar as pessoas e pensar bobagens (já sou pago pra pensar em coisas sérias 8h por dia, 5 dias por semana), fico olhando pro rosto de alguns, a forma como se vestem, e imagino “- Como sera que essa pessoa é na cama?”. Como que se fosse possivel imaginar isso tendo um contato taum superficial.
    Lendo o seu Post lembrei que antigamente eu pensava “- Sera que essa pessoa ainda é virgem?”
    Hoje percebo que esse papo de virgindade pro principe encantando já não rola mais (pelo menos pra mulheres, pro homem nunca rolou nenhum tipo de valor ligado a isso). Não sei é por causa das intervenções televisivas na nossa mente, ou se simplesmente houve uma “evolução natural humana”, onde isso já não tem nenhum valor social.
    Ou sera que as pessoas andam fantasiando a vida muito mais que antes? Interessante, muitas coisas a se discutir com isso.
    Bom, parabéns pelo blog.

    Beijos

  91. Olá Letícia,venho aqui todos os dias e,tenho estranhado você não postar nada desde o dia 10/10.Será que você está se cansando daquele povinho sem vida própria que fica te irritando?Tô com saudades!!!Beijo.

  92. Perdi a virgindade aos 15 anos, fiz porque quis e achei que tinha que ser naquele momento e com aquela pessoa. Mas tenho amigos que com seus 20, 25 anos ainda são virgens, e não vejo “problema” algum nisso, cada um tem seu tempo, sua hora, e sempre aconselho a ser com alguém que realmente deseje e sinta a vontade, e não por “pressão” ou “obrigação” só porque está em um relacionamento sério a alguns meses. Acho também que para a pessoa que ainda é virgem, o melhor é contar para o parceiro. Já “tirei” a virgindade de um rapaz sem saber, ele não me falou nada, estávamos no maior clima e acabou rolando. Achei ele meio sem jeito e foi tudo muito rápido, mas sequer me toquei que aquela era a primeira vez dele. Depois que fiquei sabendo, pensei que teria sido melhor se ele tivesse me falado, com certeza eu teria ido com mais calma, e tentado fazer com que o momento fosse mais especial.

  93. Eu me lembro da minha primeira vez, namorava há um bom tempo, sabia que ele não era o cara da minha vida (como realmente não foi), mas acordei decidida a dar pra ele, e foi assim mesmo, falei que queria fazer, ele sabia que eu era tão virgem quanto a virgem Maria, e fez com carinho e direitinho, mas doeu!
    Doeu muito, o pau era grande, e na hora que vi quis correr, queria correr dali, mas com jeitinho e beijinho tudo se resolve né?
    Entrou, doeu, sangrou, sangrou pra cacete, manchamos o lençol e o colchão (sangrou mesmo), tomamos banho juntos e dali pra frente doeu mais algumas vezes, mas dpeois, depois só alegria.

    Acho que cada um tem seu tempo, independente da idade, tem que acontecer quando a pessoa tem vontade e pronto, tenha ela 15, 30 ou 60 … o que importa é o tesão, é querer e pronto.

    P.S.: Letícia, adoro o modo como vc aborda os temas, adoro o fato de vc ser dona do seu próprio nariz e não ligar para as críticas, e espero que vc cumpra sua meta, e que com cada um deles o sexo seja maravilhosos!

    Beijos

  94. Oi Letícia! é a primeira vez que publico. Eu namorei um virgem no começo desse ano. Ele tinha 22 anos, eu 24, e achei mto difícil ter q ensinar todo o caminho… Não sei se era pelo nervosismo dele, ou a sede que ele qria ir até o pote, mas eu tive que levar a minha mão até o pênis dele e mostrar o caminho. Dá pra perceber mesmo quando o cara não sabe, mas a fome de aprender é tanta que rapidinho ele ficou bom no assunto e… terminamos! Ele me trocou por uma mulher casada com o dobro da idade dele. Eu fiquei pensando se tinha feito alguma coisa errada por bastante tempo, mas desencanei, ninguém manda em quem o outro apaixona…

  95. Gente, essa questão de achar a pessoa certa rola com todo mundo! No meu caso, eu jurava que tinha achado A PESSOA aos 18 anos… estava apaixonada, o cara era legal, gostava de mim, e nossas ficadas eram fenomenais e, portanto, rolou… Claro, ele não era “o homem da minha vida” ( pra que isso, mesmo?), mas era o homem certo para fazer sexo comigo naquele momento. Me senti na obrigação de contar que era virgem porque não queria que ele descobrisse, por acaso, na hora… o resultado…. bem, amigas, ele não conseguiu aguentar a pressão. O pau dentro foi tão rápido que só serviu para “alargar” meu hímen, que só foi rompido com outro cara, um namorado de graduação. Com essa minha experiência aprendi que virgindade não é mesmo um hímen, mas ela pode vir a ser um estado de espírito ruim do qual você deve se livrar! No “processo” da perda da minha virgindade, descobri que eu já sabia várias coisas sobre sexo, sabia dar prazer (pelo menos um pouco) e sabia reconhecer alguns prazeres de que gostava. Ah, na segunda vez, quando finalmente meu hímen se rompeu, o namorado nem ficou sabendo porque não doeu e não sangrou. Oh, vida! Enfim, mais uma história sobre virgindade. Beijos!!

  96. Eu sou virgem. Nunca tive uma oportunidade real de perder a virgindade. Aliás, eu nunca criei essa oportunidade por medo de rejeição do meu corpo. Sei lá, tenho muita vergonha em relação ao tamanho do meu pau; não sou um atleta, nem tenho o corpo todo definido; fiquei com poucas garotas…

    mas não conto pra ninguém! Primeiro, obviamente, é por que ter 21 anos, e ser virgem, todo mundo logo pensa que você é gay…
    enfim, evito contar, e também não sei como enfrentar meu maior medo: a nudez.

  97. @ Foo_ O mesmo acontece comigo.

    Não é por não gostar, é simplesmente panico!

    O excesso de timidez faz isso comigo.

    É a mesma situação do animal acuado: ele entra em panico, e as únicas reações dele são: fugir ou atacar.
    No meu caso, eu simplesmente fujo da garota ou acabo sendo ‘seco’, frio, até grosso com ela.

    Já me apaixonei por alguém, e felizmente eu conseguia tratá-la bem. Até fomos grandes amigos, mas infelizmente ela era comprometida. O que acabou com todas as minhas esperanças.

    Enfim, aos poucos estou tentando lidar com isso. Espero que em breve eu consiga superar isso.

  98. Não pretendo me estender sobre o assunto pois para mim é ruim demais falar sobre isso, mas também não consegui deixar de comentar. Leio o blog a algum tempo, comecei porque uma amiga minha lê, não concordo com muita coisa da opinião da autora, mas a gente sempre aprende alguma coisa, mesmo com opiniões diferentes. Sou virgem e de uma família crente. Não sou mais da religião, mas isso não sai de mim e não sei se o problema é só esse. Tenho uma profissão, sou bem paga, bem sucedida, não sou uma loser. Consigo reconhecer que sou uma mulher bonita, tenho um corpo lindo, dentro dos padrões. Não sei o que há. Não sei o que fazer para mudar. É só.

  99. Adorei o post !!! Eu perdi a virgindade com 21 anos, doeu, sangrou, enfim, eu tive a sensação de ter tido algumas primeiras vezes (afinal as próximas também doeram), mas tudo passa e fica melhor. Não há hora certa para perder a virgindade é aquela velha história cada um tem o seu tempo, seja para namorar, casar e ter a primeira vez, rsrs … Na minha opinião tem que ser com um parceiro bacana que te respeite e te de carinho e o resto literalmente encaixa !!!

  100. Bom, eu tenho 16 anos e sou bv. O problema é que meu pai perdeu com 11 ou 12 seila. E desde os 13 ele me “cobra”. Eu até menti pra ele disendo que ja tinha feito e tal. Me sinto pessimo com isso.

  101. Olha, eu perdi minha virgindade com 24 e foi bem tranquilo, eu não disse pra garota que era virgem (ela tinha 29) e até disse estar meio nervosa porque também não tinha muita experiência e eu parecia ser bem mais experiente que ela.

    A parte mais difícíl, na verdade, foi enfiar a maledeta camisinha que ainda estourou duas vezes. E foi bem divertido, mas mesmo sendo homem você precisa de umas vezes pra conseguir acertar o ritmo. Com a segunda, também, só começamos a ficar realmente bons na cama depois de algumas vezes. Acho que o importa é estar realmente interessado, sem nojinhos, preconceitos etc. O resto se resolve, meio no instinto também.

    Para os que ainda estão tentando (ou não) perder a virgindade, por onde vocês andam? Seilá, pra encontrar alguém, tem que sair de casa, ir em festas, bares etc. E perder o medo de conversar, é só ligar o rádio AM (como aquela cena do Annie Hall do Woody Allen). Porque, obviamente, afinidades demoram tempo pra se descobrir, e eu sempre acabei me apaixonando por minhas melhores amigas (uma delas virou namorada, outra deu merda) aliás, é um bom tema pra um post, Letícia, amizade que vira sexo que vira namoro. Tive experiências boas e bem ruins com isso…

    • Perdia a minha com 22, tô no time que perdeu a paciência de tanto esperar, o casinho acabou não durando mais do que um mês. Um tempo depois conheci o meu atual namorado e ele sempre me pareceu bem experiente, muito bom em carícias, sexo oral, quase tudo, demorei um pouco pra conseguir aceitar a ideia de transar com ele por conta do desenrolar problemático da minha relação anterior.
      Bom, no dia o moço tava meio nervosinho e foi ficando cada vez mais, falhou… Então, morto de vergonha me disse que ainda era virgem, que sempre ficava tenso com penetração, preocupado de não conseguir ficar ereto e acabava não conseguindo mesmo.
      Resolvemos o “probleminha” dele e tudo, mas foi meio dificil, agora ele tá preocupado em me dar o mesmo “trabalho”, não sei o que fazer pra acalmá-lo pois também não sou mega-experiente, o que eu faço para ajudá-lo a relaxar?

      • Olha… tempo e álcool na medida certa (se for muito aí é que não levanta mesmo)…

        E talvez seja só crendice, mas eu acho que chá verde me ajuda a ficar “saudável” nessas horas também.

        Outra coisa legal que eu vi outro dia (Viu Letícia?) é essa camisinha aqui: http://www.naturalsensation.com.br porque é bem comum perder um pouco da ereção na hora de colocar a camisinha e isso ajuda bastante.

        Mas ele chega a penetrar ou perde a ereção antes? Porque eu acho bem difícil perder a ereção com estímulo constante, talvez ele devesse procurar uma ajuda mais séria também. (fica tranquila que o problema com certeza não é seu..)

  102. Perdi a virgindade aos 23, mas, por incrível que pareça, não era o momento certo. Por mais incrível que pareça ainda, talvez o momento certo tivesse sido antes, com um namoradinho super fofo que tive aos 17. Não foi com ele, guardei para o príncipe e acabei perdendo a virgindade com um cara que mal conhecia. Esse cara jamais me respeitou. Por isso digo que isso é muito relativo. Não existe idade certa. Só aconselho que percam com alguém que goste de vcs.

  103. Olá Letícia. Sou viciada no seu blog!

    Perdi a virgindade com 22. Doeu muito que ele nem consegui penetrar,mas não sangrou, e eu estranhei isso…
    Não sei se é pela minha inexperiência,mas nunca cheguei ao orgasmo. Queria muito ter um já que todos dizem que é muuuuuuuito bom. Queria saber como é,sabe?

    Beijos

  104. Vixi!
    Eu passei por isso tudo ai.
    Por auto estima sabia que não podia ser com qualquer um e que não adiantava eu fazer com uma pessoa qualquer uma única vez, pois não seria virgem de hímen mas continuaria sem saber como fazer de verdade.
    Um dia comecei a pensar em fazer com um menino que era mais novo que eu inclusive, que fazia tempo que não ficavamos, mas tinhamos bastante consideração um pelo outro.
    Fui na casa dele e contei que era virgem, ficamos e quando vi estava fazendo. Coemcei a sangrar muuuuito. Fui pro banho e o sangue jorrava. Fiquei uma semana tendo de usar absorvente. Quando parou de sangrar fui de novo na casa dele e aconteceu o mesmo. Mais uma semana sangrando. na terceira semana fiquei menstruada e nunca mais fizemos. Ele foi muito fofo nas duas vezes. Quase não senti dor, apesar de todo o sangue. Dois meses depois me sentindo mais segura, acabei começando um namoro e foi com ele que criei experiencia. Claro que contei antes de fazermos qual era minha experiência. Eu tinha 25 anos. Tarde bem tarde. Mas no final me tornei uma pessoa segura em relação ao sexo. Não tenho mais vergonhas e nem preconceitos. Não faço nada que possa me sentir humilhada, mas faço agora com quem me dá vontade e me sentindo muito mulher.
    No final das contas, sempre digo pras minhas amigas que isso foi ótimo, pois como eu era bem louca quando entrei na faculdade, vivia bebada e fazendo merdinha, acredito que não engravidei, ou peguei doenças pq na hora h saia correndo pq nao queria que aqueles caras fossem meus primeiros. Hoje, bebo menos e mesmo que esteja trebada, também criei um único bloqueio, não transar se não houver camisinha. Há coisas que são pro nosso bem e se angustiar pra peder a virgindade cria vários monstros na nossa cabeça. Depois que passa, vimos o quanto fomos bobas. Ao menos eu penso assim. Foi na hora que eu tinha equilibrio pra lidar, com uma pessoa que tenho muito carinho e vice versa. Que sempre será um querido na minha vida.
    Poderia ter sido um namorado escroto que eu nunca mais quisesse olhar na cara… talvez isso sim tivesse me deixado mais pra baixo ao invés de me deixar uma verdadeira mulher.

  105. Minha primeira vez foi há um ano e meio atrás, eu tinha 20 anos na época e foi um garoto que eu ficava havia uns meses. Ele era super fofo, atencioso e acabou rolando, sem pressão nenhuma da parte dele, eu é que já estava com vontade de fazer sexo faz tempo. Só na hora H é que contei praele que era virgem e ele demorou pra acreditar. Mas foi ótimo, ele teve peciência, me respeitou, foi super carinhoso. Rolou mais algumas vezes com ele mas depois ele sumiu, parou de atender ligações, se mostrando um babaca.
    Mas apesar disso não me arrependo nem umpouco, quando rolou foi tudo lindo e ele foi o garoto ideal naquela época.

    Beijos Lê! Sou leitora nova aqui e to gostando mt do seu blog!

  106. Minha primeira vez foi no meu aniversario de 20 anos, o que ja e bem tardio para um homem. Eu resolvi me dar um “presente” e sai com uma garota de programa. Eu sofria uma pressao muito grande das pessoas com quem eu convivia (eu era metalurgico) porque eu ainda era virgem. Como sentia o fardo, resolvi que seria daquela forma mesmo.
    Eu devo dizer que foi muito estranho. A garota foi ate gentil, mas eu simplesmente nao conseguia olhar pra ela. E demorei horrores pois eu nao conseguia pensar naquele momento. Posso dizer que nao teve significado nenhum pra mim. E acreditem ou nao, mesmo sendo homem, eu queria muito que tivesse sido com uma pessoa que eu considerasse especial. Hoje me arrependo muito e nao da pra voltar atras. E como continuei sendo timido continuei saindo com GPs. Ate o momento que eu decidi que so faria sexo de novo com uma pessoa que gostasse. Isso foi aos 23 anos. Hoje aos 27, ainda nao encontrei alguem que eu gostasse e que gostasse de mim (ainda procuro alguem que eu considere especial), entao faz 4 anos que nao faco sexo. E para piorar a minha situacao, agora eu estou cheio de neuras e muito inseguro. Nao sei se conseguiria transar com alguem de novo, ainda mais se nao fosse uma GP, pois eu me sentiria muito cobrado pela performance (confesso que nao aprendi muita coisa que eu possa aproveitar para usar para satisfazer uma mulher), e nao sei se conseguiria agradar alguem, ou ao menos, encontrar alguem que tivesse paciencia para que eu pudesse aprender a satisfazer uma mulher. Me vejo meio que num beco sem saida…

  107. Oi, Letícia! Venho acompanhando seu blog a um bom tempo e adoro seus posts. Bom, eu sou uma virgem tardia. Assim, eu tenho a ideia de que tenho que perder com alguém que eu confie, porém ainda não tinha encontrado. Nos últimos tempos, estou com alguém que confio muito, meu namorado. Já temos uns 7 meses de namoro, mas não tive coragem de dizer que sou virgem, falta palavras e coisa e tal. Eu quero muito que seja com ele, e tenho certeza que será. Mas não sei como chegar pra ele e dizer que ainda sou virgem, sabe?! Acho que tenho medo que ele fique morgado, sei lá. =/

  108. Olá, Letícia, tudo bem? Primeiramente, quero elogiá-la pelo blog e pelos textos muito bem escritos. Acabei de conhecê-lo por intermédio de uma amiga e gostei da sua iniciativa, principalmente, porque reparei que vc acompanha tudo muito de perto (existe um feedback e isso é realmente muito positivo). Não li todas as postagens AINDA, mas pude perceber, pelo que já li, que vc deposita carinho e honestidade naquilo que escreve. =)
    Bom, acabei de ler “Virgindade Tardia”. Bem interessante… rsrs. Bom, fico feliz em saber que vc não vê mais com preconceito quem demora demais para transar.
    Tenho vinte e cinco anos de idade e sou virgem por opção… isso mesmo, por OPÇÃO! Não porque não tenham aparecido pretendentes, ou porque fiquei paralisada por pressões internas (bloqueio, complexos) ou externas (cobrança para não perder a virgindade), mas, simplesmente, porque desejo fazer sexo com alguém que encare essa questão como consequência de um relacionamento baseado em cumplicidade e amor. Sou romântica e não vejo mal algum nisso, assim como não vejo mal algum uma menina decidir que quer transar com 15 anos de idade, se a sua decisão é baseada unicamente em sua vontade.
    Não perco o meu tempo criticando quem pensa diferente de mim, pois acho que cada um deve fazer da vida o que achar melhor, inclusive, nesse quesito. E é justamente por isso que não acho que tenho que provar nada pra ninguém e tão pouco que exista uma idade específica para perder a virgindade. Essa é uma decisão individual, íntima, PERSONALÍSSIMA, e, caramba, não é pra provar nada pra ninguém! É pra sentir prazer, ser feliz. E cada um tem a sua idéia de felicidade, não é mesmo? Ninguém TEM que fazer nada, a menos que tenha vontade, que acredite que aquilo vai fazer bem, trazer satisfação, felicidade.
    No meu caso, digo que, HOJE, transar apenas porque já chegou a hora (pq tenho idade suficiente) não faz sentido pra mim porque a MINHA idéia de felicidade é amar, ser amada e transar com amor. Pode ser que eu mude de idéia, acontece (afinal, sou humana e mudar de idéia é humano). Ou por outro lado, pode acontecer de eu continuar acreditando que esperar faz parte e, lá na frente, achar que valeu muiiito a pena o tempo de espera.
    Confesso que ainda não sei no que vai dar, mas acredito que o que interessa mesmo é agir com convicção, com propriedade, fazendo o que acredito ser melhor pra mim e não porque tá na moda um determinado tipo de comportamento (todo mundo faz, então NECESSARIAMENTE devo fazer) ou porque as pessoas criticam ou tentam me pressionar a tomar algum tipo de atitude que acreditem ser a correta.
    A felicidade não tem uma fórmula única… Cada pessoa deve descobrir o SEU modo de ser feliz … cada uma deve trilhar o SEU próprio caminho… acho que é mais ou menos por aí! =)

    • Eu acho o mesmo.

      Embora seja homem (o que pode até ser visto com maus olhos) com 23 anos, não ligo.

      Eu poderia acabar com isso fácil, basta ir em qualquer esquina (e pagar,rsrsrs).

      Mas não tenho interesse. Se tive que esperar tanto, tem que ser com alguém especial e que me entenda. independente de ela ser virgem ou não.

  109. Lendo um comentário aí em cima, vi que cometi um ato falho, antes de perder a virgindade com 24, eu tinha transado com uma garota de programa com uns 19. Mas foi tão estranho e tão ruim que eu nem lembro direito… Não me ajudou muito na vida mesmo, o que ajudou foi desencanar um pouco e ir conhecendo pessoas, até a hora que rolou.

    Mas o assunto das GPs é muito bom pra ser explorado, merecia um post até. Tive duas experiências, as duas na augusta, a primeira foi uma droga, a segunda foi curiosa, em uma noite que eu tinha tomado um pé na bunda daqueles, com vontade de entrar em algum bar e arrumar uma briga, às três da manhã, sem amigo pra ligar, sem terapeuta pra consultar, acabei caindo na augusta de novo…

    Entrando lá na casa de tolerância (soo many synonyms), já chegou uma garota pra jogar conversa fora, pedir um drinque (padrão) e perguntar se eu queria ir para o quarto… Eu, obviamente, uma pilha de nervos, inexperiente, resultando num sexo bem meia boca quando ela senta na cama e interpela: “vem cá, você tá querendo conversar, né?”.

    E em uma meia hora de conversa, ela me escutou, disse exatamente o que eu precisava ouvir e eu consegui ir calmo pra casa dormir. Já conversei com outras GPs da augusta, algumas são cheiradas o tempo todo, algumas são lésbicas, várias têm crianças pra sustentar… E elas têm uma função que eu acho bem preciosa, fazer essa “terapia popular”. Quantos não perderam a virgindade, o medo de mulher, o estresse, quantos não deixaram de cometer uma violência porque conseguiram pagar uma hora nos braços de alguma prostituta que fala exatamente o que você quer ouvir?

    Eu não gosto da atmosfera da augusta, que quase já sumiu, por sinal, não gosto das histórias que ouvi e não recomendo a ninguém começar por ali, mas tenho todo o respeito pelas senhoritas que ganham seu pão ali..

  110. Perdi a virginidade com 24 anos. Taarde, rs.
    Isso nem me incomoda tanto, o que me incomoda tanto é que com 28 anos eu só beijei 4 meninas!

    Teoricamente não sou feio, mas sempre fui mais tímido, mais de ficar em casa, daí o tempo foi passando… E das 4 que eu beijei, 3 conheci pela Internet!

    O problema é que hoje eu fico sofrendo com isso… Pois fico pensando que não aproveitei a juventude como deveria… E hj eu tenho uma namorada de que gosto muito, mas mesmo assim fico sofrendo com esse fato… Não sei o que fazer pra parar de me incomodar com isso!

    • Rafael,

      o que importa não é a quantidade e sim a qualidade :D

      Eu tenho 18 anos, não estou esperando um príncipe encantado mas espero a pessoa certa, no tempo certo , na hora certa. Não vou pretendo perder minha virgindade somente por ‘vontade’ ou por qualquer outro motivo. Aproveitar a juventude com certeza não é ficando com várias pessoas, como diz a frase ”Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.” Você viveu o que tinha pra viver e mudar esse curso da vida precisaria de muito esforço seu. Não se sinta incomodado com isso, fique feliz por não fazer parte desse mundo cheio de regras inúteis ensinando que precisamos de muitas ficadas, sexo para sermos felizes. Chego a pensar que as pessoas são muito vazias em suas escolhas e se moldam ao padrão de vida que com certeza não traz felicidade. E o que adianta eu ter beijado muitos meninos se nenhum é pra mim .. entende? Você tem que ficar feliz por ter encontrado alguém que goste de você do jeito que vc é.. e você ter ficado somente com 4 meninas pra mim se chama AMOR PRÓPIO o que poucas pessoas tem ultimamente.. se eu tivesse te encontrado ( até mesmo virgem com 24 anos, não me importaria)

      Espero ter te ajudado :D

  111. Nunca passei está situação de ter que dizer para o parceiro que sou virgem. Tenho 20 anos e meu parceiro 19 anos, estamos juntos a 4 anos, nesse tempo nada rolou. Não tenho vergonha em assumir a minha posição de virgem assim como ele não ver problemas em também assumir que é virgem, somos virgens por opção oportunidades já tivemos, esperamos o momento certo, queremos que seja algo diferente e agradável para os dois, nem por isso somos os bobões, falamos abertamente de sexo com os outros, brincamos com provocações, o que acaba tornando a expectativa ainda maior para o dia que decidirmos perder a virgindade.

  112. Pra mim isso de virgindade sempre foi uma bobagem. O fato de romper ou nao uma membrana faz assim tanta diferença? Pra mim o fato de “estar com utra pessoa e se relacionar de forma bastante intima” já é sexo, com ou sem penetraçao.
    A minha primeira vez nao doeu e nem sangrou nada. Depois de transar (bem meia boca diga-se de passagem) pensei “mas é só isso, e eu tinha tanto receio, tanto medo por uma bobagem?” E por ter tanto medo ou insegurança acabei escolhendo (escolhi mesmo, foi algo bem pensado) um ex que era super apaixonado por mim. Há muito tempo que ele nao significava nada pra mim, mas sabia que pelo fato dele gostar muito de mim eu me sentiria melhor, com menos vergonha, sei la. Eu tinha vergonha até de ficar nua na frente de algum homem, imagina transar! A transa foi bem meia boca por minha culpa, que queria simplesmente o “pau dentro da buceta” e com isso me sentir “desvirginada”. Tudo uma grande bobagem, esperei tanto tempo (tinha 21 anos) pra ver que nao era nada de mais.

  113. Namoro há um ano e meio um rapaz que perdeu a virgindade comigo. ele caiu na besteira de não me contar na época. Resultado? Uma noite péssima, uma impressão péssima. Tudo de péssimo!
    Até que depois ele resolveu me contar a verdadeira história! E percebi que o julgamento que eu tinha feito não tinha compreensão nenhuma de minha parte.
    Quebrei a cara! porque? Ele foi aprendendo, do jeitinho que gosto e hj ele é um cara Super 1.000 entre quatro paredes! Muito melhor que outros babacas que me envolvi que se achavam fodão!
    Não largo ele por nada e fazemos a maior bagunça!

  114. Oi letícia antes de comentar o comentário da leitora gostaria de elogiar seu belo talento de escrever, você torna qualquer assunto aqui interessante, claro que quase todos já são muiiiito rs, mas tô adorando ler tds essas histórias! Quanto ao comentário, eu tenho 19 anos e perdi a minha virgindade com 15 anos, também e foi com o meu primeiro namorado ao qual fiquei 5 anos e foi horrível rs doeu muito eu chorei tentamos várias vezes antes mas nunca conseguíamos, no dia em que perdi o pau entrou depois de horas tentando e depois que entrou eu quis que saísse e não entrasse mais rs e isso se prolongou várias vezes mais, acredito que é com o tempo que vai melhorando, é um corpo novo dentro de vc e depois ele se acustuma e até gosta muito.

  115. Pingback: Tema (ainda) tabu? « Solitary Angel

  116. Adorei o post Le! Eu perdi a virgindade com meu namorado, ele sabia que eu era virgem, e lembro que as primeiras 5 vezes doeram muito e eu sangrei. Comecei a achar que havia algo de errado comigo mas as coisas melhoraram. Eu pedia para ele ir mais devagar no comeco e talvez usar um dedo ou outro… sabe como é, e tambem usamos lubrificante. A dor e o sangramento deixaram de acontecer e tudo ficou mais prazeroso. Tive muita sorte pq ele teve muita paciencia comigo e nao ficou com nojinho bobo quando eu sangrava.
    Boa sorte meninas

  117. OLá Leticia, gostei muito do site, achei bastante informativo….
    Eu gostei muito dos posts, e por isso resolvi comentar como foi minha 1 experiencia, pq acho ( e sempre vi assim) q isso é uma coisa natural q algum dia vai acontecer no momento certo, não importa a idade…Mas sempre achei q não só o corpo fisicamente mas tbm o psicologico tem q estar maduro para o momento, pois bm, eu sempre fui uma garota VICIADA em informação e sobre todos os assuntos e qndo cheguei lá pelos 15( isso msm somente aos 15) comecei a me informar e ler tudo a respeito de relação sexual, nunca tive ou se qr ficava constrangida ao falar no assunto mas somente a partir dessa idade comecei a me interessar sobre o msm, como sempre tive a mente aberta e esclarecida sobre sexo, todos os meus amigos e alguns conhecidos pensavam q eu ñ era virgem…como nunca senti a necessidade de provar nada a ninguém deixava eles pensarem o q quisessem… nunca tive um relacionamento longo, duravam no máximo 6 meses, pq eu ñ gostava e ainda não gosto de gnt no meu pé rsrsrs… sempre gostei de um certo tipo masculino rsrsrs assim conjunto da obra sabe, caras animados, sinceros, simples, simpáticos atrelados ao tipo fisico alto, corpo atlético ñ precisa ser necessariamente musculoso, mas ter pernas grossas e bunda grande sempre me chamou a atenção rsrsrs qndo estava no último ano da facul já com 26 e ainda virgem (em 2010 pasmem…rsrs) eu era bolsista e meus colegas qriam fazer uma viagem de formatura, eu ñ tinha grana para isso então a agencia falou q se eles conseguissem certo num. de pessoas 2 ganhariam a viagem e eles me escolheram para ser uma dessas 2 pssoas fiquei superrr feliz e grata aos meus amigos….nessa viagem um dos rapazes q foi com minha turma era amigo de uns amigos meus e eles me apresentaram o cara, e eu nem se qr fazia ideia q ele viajaria conosco as 3 semanas de viagem, eu achei ele lindo desd o inicio, era alto, simpático, corpo atlético, divertido, cabelos cor de chocolate, comunicativo, olhos cor cinza, ou seja praticamente um deus grego rsrsrsrs, qndo conversavamos as vzs ficava sem graça qndo notava q ele estava observando e acho q no fundo ele gostava disso, como eu não bebo ñ fui com a galera em um dos passeios que incluia festival de bebidas, e ele resolveu ficar tbm (isso foi no inicio da 2 semana de viagem), foi ai q conversamos mais sobre nossas vidas e ele acabou contando que ele era – para tudo- de origem grega, os pais deles eram gregos e moravam no brasil, a mais de 30 anos…
    Pronto pensei, essa vai ser a VIAGEM DA MINHA VIDA, devido há um problema em um dos hoteis q a agencia havia contratado cerca de 30 pessoas ficaram sem lugar pra ficar e meus amigos, o cara bonitão e eu eramos uns dos 30…com isso para evitar processo, dor de cabeça. a agencia resolveu nos dar mais 2 semanas de viagem, e nos mandou um outro roteiro ( esse periodo de resolve isso arranja lugar pra dormir, comer durou 8 dias até a agencia “nos indenizar” com essas 2 semanas), com isso o bonitão e eu nos conhecemos melhor…1 semana antes de terminarmos a viagem nós já haviamos nos beijado, rolado uns amassos super hot e por ai vai, como eu estava com 27 recem adquiridos, pensei vou fazr desse momento o melhor da minha vida, então na última semana enqnto estavamos em uns dos amassos hot, deixei q ele fosse adiante, ele me perguntou se era o que eu qria, e logo disse q sim e entreguei a ele a camisinha ( q já estava na minha bolsa há mais de 1 semana só esperando a hora) estava super excitada, o lugar era lindo, e ele foi ótimo, não senti dor ou tensão , nada, só uma imensa satisfação, o meu único receio era q ele percebesse q havia sido minha 1 vz, pq ele tinha 28 e com toda absoluta certeza era muiiiiiiito experiente, qndo terminamos, eu fiquei tão maravilhada q só pensava ” pq demorei tanto tempo para fazer isso” rsrsrs, até q ele me perguntou se estava tudo bm, e eu sorri e disse q estava ótimo…então voltamos para o hotel, no dia seguinte, eu estava rindo pelas orelhas, e ele qria sabr se isso era por causa dele ou por causa da noite… eu disse sem pensar por causa da noite, então ele mudou a cara na msm hora e me chamou para conversar em particular, e dai veio a infeliz pergunta essa foi sua 1 vz? levei um baq na hora, não sabia o q falar, como sempre fui direta em tudo , falei sim foi, sabia q vc iria perceber, então ele me disse q durante a transa ele ñ percebeu pq eu não aparentei timidez, constragimento, dor…por ai vai, mas q qndo tudo terminou a minha reação era de uma pessoa q havia esperimentado algo novo pela 1vz, e isso o deixou na duvida, e com aqle cometario no dia seguinte q a minha felicidade era por causa da noite, dai ele tev certeza, então perguntei e vc se aborreceu por causa disso?, ele disse q não, mas o q aborreceu foi q ele gostaria de saber q era a minha 1 vz q ele teria sido mais paciente, preparado melhor as coisas blablabla, então eu disse á ele q foi como tinha q ter sido, pq ele me tratou como uma mulher q qria sentir prazer e dar prazer, e ñ como alguém fragil q poderia confundir as coisas….e eu havia gostado disso fiquei super a vontade, sem medo e receio, e acho q foi por isso q tudo deu certo na hora h…o restante da viagem continuamos o “namorico” mais sem transa, e qndo voltamos ele pediu telefone, email, etals…3 meses dpois qse ñ tinhamos mais contato e seria a minha festa de formatura, os nossos amigos em comum mandaram convite para ele, e no dia da festa ele estava lá, lindo como sempre rsrsrs eu ainda não sabia o q sentia por ele, achava q era somente atração, pq nunca estive realmente ligada emocionalmente a alguém, e naqle dia dpois da festa, ele falou q qria namorar a sério comigo, q ele pensava e muito naqla viagem e tudo o q havia acontecido entre nós…. e pra terminar logo essa história hj um ano depois da minha formatura ele me pediu em casamento, isso msm exatamente hj (qr dizer ontem 05/04 rsrsrs)e por isso resolvi postar minha história pois estou muito feliz, mas ao msm tempo fico pensando se eu deveria ter conhecidos outros caras, pq para mim casamento é para vida toda, eu vejo assim, é maior prova de amor nos tempo de hj, vc escolher uma pessoa para passar todo o tmpo com vc…por isso acho um passo muito sério!
    Mas o bonitão q é ate hj o 1 cara da minha vida me faz imensamente feliz em todos os apectos….
    Bom feriadão á todos!

  118. Nossa esse post é tão antigo, mas tão atual. Só vejo garotas comentando sobre virgindade… Acho que uma mulher não precisa casar virgem e não precisa ter vergonha disso, mas agora e um homem? Você casaria ou namoraria um homem virgem? Tenho 23 anos e nunca tive namorada, claro que sou virgem. Sim sou tímido, mas já tentei quebrar o gelo. Quando quase aconteceu eu fui tarado demais e a garota se assustou, já tentei até comer minha irmã (de 19 anos)!!! Vocês acham que devo ir pra um bordel e perder logo pra ganhar experiência e não passar vergonha com a próxima, ou eu deixo a vida me levar e tomara que aconteça??
    Letícia e você, já pegou um homem virgem? Sabe identificar um? Às vezes me sinto estúpido por pensar tanto em sexo sem nunca ter feito…Que maldição, nem sou religioso mas queria casar logo só pra acontecer (a mulher se sente obrigada nessas horas neh)
    Abraços

    • Eu sou mulher e pretendo me casar virgem, isso é uma questão de escolhas, não vejo problema no homem querer casar virgem. Mas já que você quer fazer sexo, pelo menos tente arrumar alguém que você goste e que goste de você que fica mais fácil..

  119. Pingback: Cem + 1 – O que é sexo

  120. oi leticia, tenho 22 anos sou virgem, mas minha namorada so quer “fazer amor” quando casarmos, e ando sofrendo com isso
    porq quando estamos namorando eu me molho todo e não sei se isso é normal, pode me responder se é normal se molhar somente em se tocar e beijar?

  121. Sou homem, hetero, e “perdi” a virgindade com 39 anos. Não me fez falta nenhuma, tenho uma vida sexual saudável, e antes disso sempre participava de “joguinhos” e brincadeiras, como masturbação mútua e sexo oral. Penetração, finalmente, não fez muita diferença.
    Acho que a primeira vez dolorida, das mulheres, está relacionada com o fato de alguns homens não saberem mesmo fazer a mulher relaxar nessa hora.

  122. OI EU ADOREI TODOS COMENTARIOS !!!
    MAS O SEGUINTE QUE TENHO 25 ANOS E AINDA SOU VIRGEM E TENHO MEDO DE CONHECER ALGUEM E DIZER SOU VIRGEM ENTAO RIREM DE MIM POIS NIGUEM ACREDITA O QUE DEVO FAZER ….

  123. Olá, perdi a virgindade com meu namorado sexta-feira.
    Senti dor na hora de entrar e saiu um pouco de sangue..
    Só que depois ele metendo eu não sentia nada de dor nem de tesão… Fiquei fingindo que tava gostando mas na verdade não senti nada.
    No domingo fizemos de novo , mas senti dor e tesão só na hora que entrou depois não sentia nada, cavalguei em cima, fizemos de quatro, papai e mamãe e só sentia dor e tesão na hora da entrada..
    Será oq acontece?? =\ o problema é comigo??

  124. olá =) gostei do blog e me senti à vontade para contar minha experiência também.

    tenho 30 anos e perdi a virgindade aos 26 (quase 27) com um cara da minha segunda faculdade, por quem eu era completamente apaixonada. na hora, ele foi legal, atencioso, carinhoso. doeu muito e não fomos até o fim. a segunda vez também foi com ele e outra vez doeu e sangrou. mas, ele foi meio idiota comigo depois disso, o que me causou sofrimento emocional….mas, na hora do sexo, foi tudo bem.

    também demorei pra dar meu primeiro beijo, que só rolou aos 21 anos, com um menino que veio a ser meu primeiro namorado…um namoro que só durou um mês rsrsrs

    sempre fui muito tímida e quase não saía de casa, tinha uma vida social só de colégio e depois faculdade, sem estar nas situações mais propícias para a paquera,como festas, barzinho com a galera… era de casa para a aula, da aula para casa e estágio depois….acho que isso contribuiu para as coisas terem rolado mais tarde pra mim.

    Parabéns pelo blog, Leticia.

  125. Tenho uma dúvida , me contaram que quando uma virgem deixa de ser , que costuma doer mais em mulheres que já passou dos 18 do que por exemplo em uma garota de 14 , por conta da elasticidade e rigidez da vagina… isso é verdade?

  126. queria saber o seguinte quando o homem e virgem ele penetra o pênis na vagina da menina e tira com menos de 1 minuto… e nao faz mais, ele e considerado virgem de novo?? ou ele perdeu a virgindade nesse momento que ele penetrou?

  127. Tenho 36 anos. Perdi minha virgindade com 30 anos. Para mim foi muito louca a minha atitude. Durante meu trabalho um rapaz que foi prestar serviço no local me conheceu e começou a me assediar para dar bola pra ele. Eu estava passando momentos difíceis comigo mesmo e com a minha familia. Incialmente o cara falou que era solteiro e que tinha apenas um filho. Estava me sentindo carente e precisando de um apoio. MInha situação emocional estava tão seria que fui parar no hospital onde fiquei internada dois dias. No segundo dia , comigo ja no trabalho o rapaz passou la de novo e como uma forma de buscar uma saída, entreguei meu telefone pra ele. Saimos e enfim a transa aconteceu. Logo me apaixonei e achei que tinha encontrado alguem que iria me ajudar e ser uma companhia. Esse cara saiu comigo umas tres vezes. Até que um dia , me confessou que estava preocupado com seu filho e com a mãe dele e que não se interessava por mim. Levei choque ao perceber que ele me tratava com frieza e ao retornar algumas vezes a sair comigo me levava para transar nos piores lugares. Eu, sega, aceitava porque gostava dele. O tempo passou e sinto uma cicatriz em meu peito que se abre todas as vezes que o vejo em algum lugar. Recentemente fiquei sabendo que se casou com outra mulher. E tenho sofrido muito com este fato. Ja me relacionei com outros homens depois dele, como forma de esquecer o que ocorreu. O segundo me deixou cheia de hematomas. O teceiro, se tornou meu amigo, me ajudando a compreender sobre meu corpo e as reações que eu tinha sem culpa. Agora, com o primeiro que tirou minha virgindade, sinto raiva e ódio . SAbendo que ele esta casado a ferida abriu ainda mais. Me sinto sozinha.

  128. Alguem pode me dizer se sou uma pessoa normal e se essa coisa de perder a virgindade é piração da minha cabeça sentindo ódio do cara que me tratou com desprezo , mentindo que era solteiro.? hje todo mundo ta saindo com casados e descasados.. mas em mim, ficou uma ferida muito grande.. Me arrependo , poderia ter sido com outro cara.

  129. Adorei o seu post .. Tenho 20 anos sou virgem ainda, assim eu já namorei mais com medo de está sendo precipitada de pensar q deveria esperar mais um pouco acho q ele cansou e terminou comigo .. Hj depois de 2 anos q nos vimos pela última vez ele reapareceu todo arrependido .. Ainda tenho sentimentos por ele e creio q ele tbm tenha por mim … Ficamos novamente, mais descobri q ele deu um tempo com a namorada dele, eu já não estava esperando um príncipe encantado mais ele quer transar e eu tbm só q me sinto insegura claro q não espero q ele termine com a namorada dele pra ficar comigo mais tenho duvidas se realmente deveria fazer pois tenho medode me arrepende novamente ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>