Vida de gorda: comprar roupa

Eu sou gorda, como vocês sabem.

E sou gorda há bastante tempo, ainda que na minha vida eu nunca tenha sido tão gorda quanto agora.

Quando eu estava naquela fase de ainda conseguir comprar roupas em lojas “normais”, mas tinha que fuçar muito até achar algo que coubesse, eu me recusava a entrar em lojas especializadas de tamanhos grandes.

Pra mim, era como se fosse uma derrota. Porque, como vocês sabem, ser gordo é ser preguiçoso, sem autoestima… a verdadeira escória da humanidade. Caso eu tivesse que recorrer às plus size, sentia como se estivesse assinando minha existência de mulher sem nenhuma vergonha na cara. Evitei. Durante anos.

Especialmente quando morava no Rio de Janeiro, onde há poucas lojas de gordas (e são caríssimas), eu acabava me vestindo sempre com as mesmas coisas. Eu não sou nada entendida de moda, mas queria usar umas coisas mais modernas, mais fofas (sou meio girlie pra várias coisas, como sapatos), com estampas bacanas.

Porém, era difícil encontrar roupas assim que coubessem em mim. Tenho peito grande, e várias coisas não fechavam na altura do busto. Calças fechavam na cintura, mas apertavam minhas coxas de maneira desconfortável.

Então engordei mais enquanto já morava em São Paulo. Não teve jeito: tive de recorrer às lojas especializadas (completamente louco serem “especializadas”, quando pesquisas indicam que metade da população está acima do peso “ideal”). Ainda consigo comprar camisetas e outras blusinhas em lojas de departamento ou quando há tamanho GG. Calças, eventualmente (comprei uma ótima na coleção da Preta Gil na C&A).

Mas vestidos… nem pensar.

Abracei minha versão baleia e fui descobrindo onde há lojas de gorda. Aqui em São Paulo, gosto de ir ao Shopping Ibirapuera, onde há umas quatro ou cinco lojas em que consigo encontrar tamanhos maiores.

Só que dois problemas me atingem: em geral, acham que roupa de gordo é simplesmente colocar mais tecido. E só. A escolha das estampas é sofrível; muitas parecem daquele “sofás Bartira”, vendidos nas Casas Bahia.

A outra questão é o preço. Não são mais caras que as roupas de grifes famosas, mas dificilmente você consegue comprar uma calça jeans por menos de R$ 150, enquanto se eu fosse magra eu poderia encontrar, sei lá, na Renner, por uns R$ 70.

Na última sexta-feira eu fui ao shopping procurar roupa. Encontrei algumas. Comprei um vestido preto muito bonitinho (todo preto, esqueça as estampas, Nádia Lapa, a não ser que você queira sair feito uma cortina de casa de vó. Que ainda não foi reformada desde 1960). Consegui umas blusas na tal coleção de gorda da C&A – que também tem uns vestidos que são perfeitos para usar num funeral.

Entrei numa outra loja, na qual nunca havia ido. Eu não gostei de nada. Duas vendedoras insistiram, mesmo com a arara quase vazia, em razão da mudança de coleção.

- Mas como você não gostou de nada?

- Não gostei.

- Olha, tem esse vestidinho (era um vestidão enorme, enorme, enorme, até pra mim). Ele tem os braços cobertos.

Aí eu me irritei. Braços cobertos? BRAÇOS COBERTOS? Por que inventaram que as pessoas gordas têm que cobrir os braços? Tem alguma vergonha em ser toda gorda e ter braços gordos? Porra, se você é inteira gorda, como seu braço não vai ser?

Eu tenho uma fucking tatuagem no meu braço direito, adoro mostrá-la, acho linda, e mesmo antes dela eu nunca tive qualquer problema em mostrar meus braços. Mesmo no calor eu teria que os esconder, para evitar o horror, o horror das outras pessoas em se depararem COM UM BRAÇO?

Mesmo em lojas voltadas ao público gordo, ainda vejo essa cobrança maluca com a aparência. Um ambiente em que era para a gorda sentir alívio, porque finalmente, entre as centenas de lojas do shopping, tem umas quatro em que ela pode escolher calça, camiseta, cinto (!!!!), jaqueta que caibam nela. E mesmo ali querem que ela se esconda.

Eu, não.

Jamais.

E mando um beijão pro meu braço gordo e tatuado. Com uma roupa de loja de gorda.

nadia e elisa 2

Compartilhar

65 pensamentos em “Vida de gorda: comprar roupa

  1. Isso do braço eu passei ao planejar a tatuagem.
    Teve gente que questionou como eu ia fazer tatuagem no braço se ele é “cheinho” (amo eufemismo, sqn) e ia ficar flácido logo.
    Depois ainda vieram uns anônimos dizer que tatuagem em braço de gorda é ridículo no Ask.fm.

    Também iriam dizer isso sobre “fazer tatuagem e ficar velha”. Não adianta, sempre vão ter algo pra apontar.

    Eu tinha muita noia com meu braço, mesmo quando eu era magrinha achava ele gordo, mas depois dessa situação eu liguei o foda-se e gosto dele riscadinho e gordinho do jeito que está :3

  2. Aqui em Manaus chamamos “braço de tacacazeira”, em homenagem às tias gordas que servem essa delicia amazônica nas barraquinhas de esquinas.

    eu amo o meu. boto pra fora, fiz tatuagem também e se tiver feio, é pros outros e não pra mim.

  3. Sou gorda desde a adolescência, e tenho mil problemas de auto-estima, mas nunca tive encanação com meu braço gordo, são as vendedoras que se incomodam. Esse problema de tentarem empurrar roupas com “excesso de pano” pra cobrir aqui e ali é recorrente. Juntando isso com a falta de tamanhos grandes, comprar roupa acaba sendo uma tarefa insuportável, estressante.

  4. É tão ridículo isso de que gorda só deve usar um tal tipo de roupa, que geralmente é aquele estilo de “senhora”, tudo fechado, tudo em preto, escondendo braços, pernas e etc. Dá vontade de perguntar pra vendedora “não quer me trazer uma burca que é mais fácil?”.
    Essa coisa do braço então, já vi pegarem no pé de tanta menina absurdamente linda porque ela tem o “braço gordo”. Como a Paola Oliveira, que falavam que tinha “braço de biscoitera”, como se isso fosse o pior defeito do mundo numa atriz e eu amava ver ela na novela com aqueles braços que não eram esqueléticos, que eram fofinhos (porque gordos é que não eram) e…humanos sabe? E eu me sentia mal quando falavam do braço dela, porque o meu dava fácil uns dois do dela e se o braço dela estava gordo o meu estava oq? Obeso mórbido? risos infinitos.

    Uma das coisas que eu mais aprendi com o feminismo (e nisso seu blog e seu twitter tem um grande papel) foi que eu não preciso ser magra ou gostosona de academia para ser bonita. Não que uma pessoa magra ou malhada não sejam belas, mas EU não preciso seguir esse tal padrão para ser bela.
    E isso é libertador, tanto que uma das tatuagens que estou planejando fazer talvez seja no braço. Meu braço de biscoitera que eu amo tanto =)

    • Olha uma das coisas que aprendi com o feminismo e que foi libertador é ir pra faculdade a noite suuuuper cansada de moletom e nao estar nem ai.
      Vestir vestido de alcinha no calor mesmo com “braço gordo e dobrinhas” e nao estar nem ai
      Vestir biquíni na praia mesmo que digam que depois dos 30 e sendo gorda nao pode usar e usar numa boa (se no Brasil nao fosse proibido faria top less pelo conforto, odeio ficar com o peito molhado) alias me parece tao hipócrita Brasil proíbe top less mas vendem biquínis micros

  5. Mandar fazer roupa não sairia mais barato? Você pode comprar umas estampas legais e mandar fazer vestidinhos. Eu não sei quanto custa a mão de obra de uma costureira, mas acho que é melhor que pagar caro em vestido com estampa de cortina mofada.

  6. Moça, que tatuagem linda! De onde veio o desenho? Vc que teve a idéia e pediu para alguém fazer? Vc que desenhou? Ou escolheu num catálogo!? Apaixonei com ela!

    Quanto a temática do post, posso fazer um comentário meio bobo? Sou magra então não tenho problemas em comprar roupa (exceto por calças tipo skin que não passam na minha panturrilha de jeito nenhum – mas dá para viver sem isso né).

    Por outro lado sempre tive peito grande. Sutia 46. Desde a adolescencia eu uso aqueles sutias de sustentação. Nunca me adaptei a porcaria do Bojo até porque em 90% dos casos o bojo aumenta o peito e meu peito já é grande o suficiente.

    Pois é, tenta comprar um sutiã bonito sem bojo por aí. Não tem. Aliais, basicamente eles vem em tres cores: branco, bege e preto. Essa ultima raramente esta disponivel. Em lojas mega caras vc até consegue comprar algum modelo bonito e importado (pela bagatela de sei lá uns R$ 80). Rsrsrsrs eu me sinto sempre uma “vovó sexy”, com meu sutiã de sustentação bege rendado.

    Nem sei se isso é um problema da industria (que nao identifica um nincho de mercado), um problema meu (que nao me adaptei a um produto que agrada a maioria absoluta das mulheres), da sociedade (que parte do principio que mulheres sexualmente ativas sempre irão querer seios maiores e mais vistosos). Só sei que isso me irrita. E que eu vou acabar aprendendo a costurar só para descolar uns sutiãs mais bonitinhos (e para colocar bolsos laterais em calças tb… Achava a moda skatista super prática… para onde foram aquelas calças confortáveis e cheias de bolsos?)

    • Olha o meu drama ai. Acho que é a indústria q não está nem ai pra quem tem peito grande e simplesmente não quer sensualizar o tempo todo. Sutião de bojo pra mim é desconfortável além da maioria absoluta marcar na roupa. O modelo q eu uso todo dia, achei muito por acaso na revista da Demillus,, pq nas lojas é quase impossível achar esse modelo, ele fica lindo e deixa o peito lindo, e no tamanho real sem que eles batam no meu queixo, mas na revista ele parece mais sutiã de vó mesmo. E só vem em bege e preto ( LÓGICO). A indústria ignora que exista gente taça C, nos 44 normais, meu peito fica pulando, ridículo e com 46 as costas ficam largas. A falta de noção da indústria brasileira pro tam de taças faz esse show de horrores q a gente vê por ai, mulheres com peitos saltando pros lados, pra cima, tentando espremer melancias em bojos tam maça.

      • Pior é quando vc tem peito tamanho 40 por exemplo e costas tamanho 42. Entao ou vc compra um sutiã grande e o peito fica murcho lá dentro ou vc compra um que serve direitinho no peito mas vc tem que usar aqueles aumentadores de sutiã nas costas que vivem abrindo….
        E claro nem da pra usar sutiã bonito porque os com ferrinho embaixo e todo detalhado sao apertados nas costas e grandes no peito….

    • Sutiã no brasil tem uma numeração meio burra. Os tamanhos deviam considerar 2 medidas: costas e volume dos seios. Tem mulher com costas largas e seios pequenos e vice-versa.

    • Meus peitos são pequenos, não tenho esses problemas, mas realmente é difícil encontrar sutiãs legais de usar, principalmente no que diz respeito tamanho do peito vs. tamanho da caixa torácica. Eu prefiro conforto do que beleza para usar no dia a dia, e mesmo assim é difícil encontrar algo legal sem pagar caro.
      Eu gosto dos soutiens da Hanes, são bem básicos e confortáveis, não parecem soutien de velha, porém acho que não abarca tamanhos muito grandes, mas tem modelos com alças largas, com bojo e sem bojo, alguns tem suporte, com aro, sem aro…e preços bem razoáveis dependendo do lugar onde compra. Infelizmente creio que não vende pela internet, mas no site você pode consultar se sua região tem lojas que revendem, geralmente em atacadistas e talz.

    • Meus peitos são IMENSOS. Meus sutiãs variam entre 52 e 54. É um horror achar um do tamanho certo E que seja bonito.
      O que eu vejo nas lojas é que se seu peito não estiver entre os tamanhos 42 e 46 você não tem direito a ter um sutiã. E quando acha é FEIO, sem graça. Adoro sutiã de renda, cheio de frufrus, acho sexy, mas a maioria dos que encontro são bege (bege, ponto, sem escolha).
      Qual o problema de se fabricar um sutiã grande? Ou uma calça com bolsos na frente?
      Aliás, alguém sabe qual foi a da remoção de todos os bolsos da frente das calças jeans femininas?

  7. Cara, eu reparo muito nessas coisas quando vou comprar roupa! Eu já tive dificuldade pra comprar roupa, e olha que só cheguei no máximo ao 44! Hoje uso geralmente 40 e ficou imensamente mais fácil (e barato) comprar roupa!! E digo geralmente 40 pq não existe padrão nenhum nas numerações!!! NENHUM!!! Outro dia comprei uma camiseta na Luigi B. e qdo reparei era GG! Mas no máximo era um tamanho M aquilo! Acho isso um desrespeito!
    A Khelf e a Luigi B. fazem muitas camisetas grandes, mas é claramente pra magra usar algo largão…

    E pra quem acha que gorda tem q se vestir de luto, fica aqui a dica desse site mais cheio de amor do mundo:
    http://www.cupcakesclothes.com/

    bjus

      • Nossa Lia, agora vc descreveu a minha agonia maior! To nem aí pra essa história de “cobrir os braços”, até detesto mangas, mas blusas curtas na cintura me deixam louca! Pq blusas curtas na cinturas acabam com qualquer visual, deixam a gente achatada. Acho que quem faz esse tipo de roupa pensa que gordas não podem ter cintura, aliás, acham que gordas não tem vaidade nenhuma, né?

  8. Imagino como deve ser dificil para quem veste mais do que 44. Eu engordei de uns tempos para cá, mas ainda falta muito para eu ser gorda, visto 42 e em muitas lojas compro roupas G, GG. Ou seja, não sou gorda, mas visto o maior tamanho em muitas lojas. Tenho um blazer da Zara, da coleção Basics, que comprei quando estava magrinha. Ele é G e veste 38. E 38 mesmo, se tiver peitão ou costas largas não serve mesmo. É complicado pois hoje é comum ver gente maior que eu. Todo mundo gosta de comprar roupas, de compor um estilo, de se arrumar e vejo amigas gordinhas que vestem roupas masculinas ou roupas de vó pois não encontrar peças legais e acessiveis no tamanho delas. E nem são pessoas muito gordas, são gordinhas. Pois ou não tem tamanho maior, ou eles usam aqueles tecidos molengas que mostram todos os defeitos da pessoa ( e caga até amiga magrinha, afinal, ninguém é perfeito).

    Se um dia eu for abrir um negócio focarei nisso: loja de roupas maiores e estilosas. Venderei saias bonitas, vestidos acinturados, blusinhas com decote V e ficarei rica, pois cansei de ver amiga que gosta de alguma roupa legal mas ela não existe em tamanhos grandes. Se o tecido e a modelagem forem bons a peça fica bem em qualquer tamanho.

    • Falou tudo, eu tb estou com uma 42 embora tenho roupas que tem lá XXL (!) ou inclusive tamanho 44 e 46 e tenho uma bem grande que esta escrita 38…! Nao da pra entender mesmo.
      Roupa estilosa tamanho grande existe mas é caríssima e sao poucas lojas que vendem.
      Pois a sua loja, e se der pra comprar online pra todo o Brasil e tiver um preço decente, fará sucesso.

  9. Olha nadia, eu so te conheço de alguma entrevista que vc deu na televisão e alguma foto que vc publicou no seu site. E me custa acreditar que seja tao dificil achar roupa para o seu tamanho. Eu nao vejo que vc seja gorda, um pouco acima do peso, talvez mas ficar se chamando de baleia, sei lá, quem nunca te viu vai ficar pensando que vc é obesa e nem é verdade.
    O que acontece é que no Brasil e em alguns países a partir da 44 ja é um numero super dificil de encontrar fazendo com que as pessoas que usam esse numero se sintam obesos.

  10. Acredite: homem gordo também sofre. E quando acha roupa bacana que sirva, você tem que deixar os rins na loja. Operei o estômago, mas não deixei de ser gordo, então pra algumas peças, ainda tenho certa dificuldade em achar coisas boas (calças, especialmente).

  11. É um desrespeito que a nossa indústria não tenha leis que obriguem a numeração a seguir um certo padrão. Eu tenho calças tamanho 40, 42 e 44. Ou eu sou a mulher borracha ou tem algo muito errado nisso. Sem falar nos sutiãs e calcinhas, que é a mesma coisa, tamanho G me apertam já que eu tenho bastante quadril, como alguém comentou logo acima, é impossível achar sutiãs bonitos que sejam confortáveis para tamanhos maiores, todos tem alças finas demais que machucam e não dão sustentação nenhuma. No mínimo deveria ter uma numeração e tamanhos baseados na estrutura corporal da mulher brasileira. Provavelmente se isso acontecesse, muito menos seria necessário gastar $ em lojas “especializadas” para plus size, pois as lojas regulares com preços mais acessíveis estariam cheias de peças que servem em mulheres normais como nós, mais ou menos gordinhas, simplesmente normais, que querem se vestir bem sem parecer a cortina da sala da bisavó e nem cortar nossos ombros com sutiãs sem sustentação.

  12. Já faz um tempo que não consigo comprar nada na C&A, nunca encontro calças que sirvam e quando encontro elas não vestem bem, ficam caindo ou apertando minha panturrilha que é gorda (gorda mesmo, eu adoro minha panturrilha gorda, fica lindo com vestido <3 )… Depois de rodar SP inteiro (exagero, fui em uns três shoppings) desisti e fui procurar alguma coisa na internet, foi quando encontrei a Chica Bolacha, uma loja Plus Size que tem roupas estampadas lindas e super fofas com referências de filmes e HQs… Pena que o preço, como toda loja plus suze, é meio salgadinho… E em SP, às vezes rola o Bazar Plus Size aqui em sampa, com várias lojas que são puro amor, acho que o próximo é dia 14. Pena que não vou estar aqui em sampa nesse dia, queria muito conhecer.
    Desisti de entrar em lojas como a C&A, não sei se eles pedem poucas roupas para gordas ou se tem tanta gordinha por aí que acaba logo, mas eu quase nunca consigo encontrar alguma coisa bonita que sirva.

  13. desde que engordei por problemas hormonais vivo essa luta, passei a usar roupas de senhora H-O-R-R-I-V-E-I-S.
    Uso 50/52 embaixo por conta do quadrilzão e 48/50 em cima.
    Ai achei a PROGRAM, tem no shopping ibirapuera, e deve ser uma das lojas que vc não gostou, mas eu curto as roupas, e ainda mais quando descobri o outlet deles, na rua jauaperi.
    Camisas estampadas, fofas, com braço de fora, por R$30,00. Calça jeans de no máximo R$ 80,00. Vestidos de trabalhar, todos sérios e vestidos bacanas, quase piriguete gorda, o máximo!!! kkkkk Os últimos que comprei, super bacanudos, R$ 60,00. Melhor que C&A e afins… É lógico que depende de uma garimpada, mas vale a pena.
    Eu realmente curto as roupas de lá. Não é tudo, é claro, mas tem algumas coisas legais, como botões a mais no busto, pra não ficar abrindo ou fazendo aqueles circulos horríveis normais quando a gente tem mais busto, mas fazem os abotoamentos com os espaços iguais das roupas das despeitadas.
    Além disso, os vestidos tem ziper na lateral, o que ajuda qdo a gente tá grande e não alcança as costas.
    Não sou da loja, não. Curto bastante, mesmo. As vendedoras do outlet não tem essas bobeiras de esconder os braços da gente, até pq tem muita regata por lá…
    De todas as roupas de lá, nada se compara à saia e a camiseta que comprei na Chica Bolacha, no bazar que eles participam na Bela Vista. Realmente algo muito moderno e bacana, difícil de achar em qualquer loja plus size.
    Pijamas eu compro pela internet no Anna Joana. Malhas deliciosas e bonitas, pena q são caras. Espero a promoção de fim de estação. Mas as lingerie deles não tem nada a ver, só vale os pijamas mesmo.
    Lingerie é a fase mais difícil. Sou alérgica à lycra, só posso usar 100% algodão, ai só tem ceroula, né? Ai, as boas que tenho são todas de fora do Brasil, principalmente da Africa do Sul, pq meu traseiro tem muito da mulherada de lá, né? E lá não tem esses preconceitos, lojas do naipe de C&A, Renner, etc, vendem o mesmo modelo, desde o tamanho 34 (sim, tenho amigas q vestem isso, e tem muita dificuldade de comprar, feito os plus size), até o tamanho 60 ou maior (não sei até onde vai, sei que era muito maior do que eu).
    Falta muito pra indústria perceber que tem muita gente precisando de roupa… raras exceções.
    Sou feliz pelas exceções que achei…

  14. Meu “problema” é justamente o contrário, quando entrei para a academia o meu instrutor disse que seria bom se eu ganhasse mais massa muscular no braço porque era bem fininho…
    NUNCA tive problema com meus braços. Assim como tu não deve ter com os teus.
    Aliás, amei tua tatuagem.

  15. Não lembro onde eu li um texto bem esclarecedor explicando o motivo de ter pouca roupa pra gordos em loja de departamento, não é que eles não queiram vender exatamente tamanhos GG ( afinal eles querem lucrar, não é? ) mas o corpo humano é muito imprevisível ao engordar, o da mulher ainda mais, então nunca dá pra saber exatamente onde vai sobrar e onde vai faltar, daí você só achar os moldes mais magros em lojas grandes, muito mais previsíveis e que podem ser feitos em larga escala.

    Eu também odeio loja de departamentos, uma época a C&A inventou de rebaixar a cintura das calças masculinas, pra quem tem uma barriguinha aquilo apertava que só. E uma camiseta da renner saiu a estampa depois de uma lavada, além do tratamento lavagem-cerebral dos vendedores. A melhorzinha é a Zara, mas aí você lembra das denúncias e brocha também. Prefiro ir na Levis e pagar mais.

    • O broxante da zara é que no Brasil é tipo loja cara…. Vc sai lá fora, acho que a Zara é espanhola, nao? Bom vc vai lá fora e é tipo loja baratona com roupas meio vagabundas….

  16. Este texto me contempla totalmente! Eu, além de gorda, sou alta (182cm), sou toda grande, peito grande, costas largas… E comprar roupa é sempre uma novela.Pooxa tenho 22 anos e ir nas lojas especializadas parece q estimam que todas têm 50 anos, e oq vc falou é realmente verdade as roupas nao tem um bom corte, nao valorizam nada do corpo, nao é pq é gorda q tem q andar de burca!
    Já tem alguns anos que me encontrei nas roupas da grife Elvira Matilde, as roupas nao são baratas, mas tem um ótimo material, um ótimo corte, lindas estampas e duram muuuuito… veste a gordinha da cintura fina, a do quadrilzão, a com pouco busto, muito busto, enfim tem pra todas… vale à pena conferir, eu indico!!!!

  17. visto 44-46, e comprar roupa é sempre aquele suplício. coxão, bração, batatão… enfim.
    recentemente comprei (depois de muuuuuito, muito, muito procurar e quase desistir) um vestido pra ir num casamento. numa loja normal, tamanho XL.
    desde então digo que eu sou modelo. meu tamanho é bundchen: XL bundchen ;)

    • Me identifiquei com seu comentário Nathalia. Tenho medidas parecidas com as suas e normalmente uso tamanho G. Eu normalmente acho roupas que servem em mim, porem conseguir fechar um botão não é garantia de sucesso: Percebo que a modelagem da maioria das roupas são feitas para cairem bem em pessoas magras, logo, só aumentar o tecido deixa elas em um caimento péssimo em mim. Isso me irrita profundamente.

  18. Eu realmente não entendo pra quem são feitas as roupas de lojas de departamento e coisas do tipo. Sou uma vara-de-cutucar-estrela de 1,90m e meus pulsos e canelas sabem o que é sentir frio. Imagino como deve ser horrível achar roupas pra quem é mais gorda e ainda aturar olhares de vendedoras desaforadas e inconvenientes (quem nunca?)

  19. Nadia, não sei se você costuma comprar roupas pela internet já que não se pode experimentar, mas tem um loja americana com muuuitos modelos de vestidos e com uma variedade legal de tamanhos (lá plus size não é algo diferenciado, apenas mais uma opção de tamanho). As compradoras fazem um release das roupas e conseguimos ter uma certa noção de como eles ficam nos mais variados corpos. E muitos deles, mesmo com imposto, são mais baratos dos que vemos por aqui. A loja chama Modcloth.

  20. Eu não gosto de mostrar meus braços gordos, acho-os feio. O seu é bonito, Nádia.
    O engraçado é que nas lojas que costumo comprar as vendedoras ainda insistem em oferecer blusa de alcinha e até transparente (!). Se eu tivesse coragem de colocar os braços pra fora minha vida seria tão mais fácil e mais fresquinha também..

  21. As roupas que se vendem no Brasil não são feitas para serem usadas por brasileiros. FATO! Sou super feliz com meu corpo…até procurar uma calça jeans! Meu deus, que inferno!! Sempre tive coxas largas e cintura fina…ou seja, as calças ficam largas na cintura e insuportavelmente apertadas na coxa. Moral da história: hj em dia eu aboli calça jeans.

  22. oi minha linda eu tbm sofro com o tal do braço gordo e agora flácido eu pesava 116 kls dai eu consegui secar alguns ,estou com 100 kls ficou muito feio o tal do thau kkkksem contar que fica fazendo um ovo na parte de tras kkk mais nem por isso deixo de usar blusas sem manga procuro chamar mais atenção aonde me favorece ,,,tenho poco seio e cintura não muito grossa,mais pernas e bunda tenho com gosto kkk . o meu manequim já foi 56 mais hoje visto 48 e 50 aqui na minha cidade tbm tenho dificuldades de encontar roupas com preço mais em conta.bjs

  23. Desabafo modástico:

    Onde foram parar as calças jeans com bolso na frente?

    Onde foram para as calças NÃO skinny (ODEIO COISA APERTADA e só vendem essas merdas agora. Cadê as pantalonas??)

    Onde estão as blusas pra quem tem o braço gordo? Meu braço é gordo, mas acho que quem faz roupa pensa que quando você engorda, só a sua cintura cresce.

    Qual o problema desse povo em fazer blusinhas só com tecidos que ficam semi-transparentes? E curtos na cintura! Levante os braços e mostre os peitos.

    Sou alta (quase 1,80), peituda (sutiã 52/54) , bunduda (calça 50), tenho o pé grande (39/40).
    Comprar roupas do meu tamanho que me agradem é um INFERNO! Odeio comprar roupas, fazer isso pra mim é uma tortura chinesa. E tudo abusivamente caro (olha, colocamos 5 cm a mais de tecido, vai sair o triplo do preço).

    Pronto, falei. :( E lembrei que eu preciso comprar roupas. :’(

    • Marta, compra na Asos.com.

      Demora a chegar, mas é ótimo. Só se certifique de cada compra ser menos de 50 dólares, para você não ser taxada. E, caso você se apaixone por algo mais caro, lembre-se que haverá 100% de cobrança de imposto. :/

  24. Me identifiquei com cada linha desse post. Adorei! Eu morava no Rio e sofria muito também, até descobrir a Asos. Me mudei para os EUA e aqui, apesar de haver mais opções, ainda acho muito capenga. Compro roupas no site ModCloth, calças jeans da coleção da Jlo na loja de departamento, etc.

  25. Ah meu deus. Me identifiquei tanto com isso. Tipo por favor não é pq sou gorda que sou uma senhora que adora estampas de sofá. Eu tenho 20 anos sou gorda e feliz. Caguei pra quem não me acha bonita. Eu acho! E tem quem ache e me coma tbm. Não sou pior nem melhor por isso.
    Mega me inspiro em vc Letícia (ou Nádia nao sei kk). Obrigada pelo blog ;)
    Ps: no Brás tem umas lojas bem boas pra calças em “tamanhos não convencionais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>